Make your own free website on Tripod.com

Projecções e Sonhos

Missionários da Luz

Home
Seminarios
Forum
APELOS
Espiritismo
Projecção Astral
Mediunidade
Oculto
Profecias
Wicca
Astrologia
Adivinhação
Ovniologia
Mensagens
Divindade do Homem
Um Só Deus
Sonhos
Significado dos Sonhos
Cromoterapia
Humanitarismo
Velas
Eventos e Outros
Amizade e Amigos
Espíritos Instrutores
Campanha:Homenagem aos Deficientes Físicos.
Biografias Diversas
Nomes - Sinificado e sua Origem
Livros Download
Livros Leitura
Os Cantinhos do Pessoal
Fotos - Imagens
Grupo MSN

Missionários da Luz

01 - Psicógrafo
02 - A Epífise
03 - Desenvolvimento Mediúnico
04 - Vampirismo
05 - Influenciação
06 - A Oração
07 - Socorro Espiritual
08 - No plano dos sonhos
09 - Mediunidade e fenômeno
10 - Materialização
11 - Intercessão
12 - Preparação de Experiências
13 - Reencarnação
14 - Proteção
15 - Fracasso
16 - Incorporação
17 - Doutrinaçã
18 - Obsessão
19 - Passe
20 - Adeus

---------------------------------------------

01 - Psicografo

"(...)Fixando-e a expressão espantadiça, Alexandre continuou:
_ Preliminarmente, devemos reconhecer que, nos serviços mediúnicos, preponderam os fatores morais. Neste momento, o médium , para ser fiel ao mandato superior, necessita clareza e serenidade, como o espelho cristalino dum lago. De outro modo, as ondas de inquietude pertubariam a projeção de nossa espiritualidade sobre a materialidade terrena, como as águas revoltas não refletem as imagens sublimes do céu e da Natureza ambiente.
Indicando o médium, prosseguiu o orientador com voz firme:
_ Este irmão não é um simples apaarelho. É um Espírito que deve ser tão livre quanto o nosso e que, a fim de se prestar ao intercâmbio desejado, precisa renunciar a si mesmo, com abnegação e humildade, primeiros fatores na obtenção de acesso à permuta com as regiões mais elevadas, Necessita calar, para que outros falem; dar de si próprio, para que outros recebam. Em suma, deve servir de ponte, onde se encontrem interesses diferentes. Sem essa compreensão consciente do espírito de serviço, não poderia atender aos
propósitos edificantes. Naturalmente, ele é responsável pela manutenção dos recursos interiores, tais como a tolerância, a humildade, a disposição fraterna, a paciência e o amor cristão; todavia, precisamos cooperar no sentido de manter-lhe os estímulos de natureza exterior, porque se o companheiro não tem pão, nem paz relativa, se lhe falta assistência nas aquisições mais simples, não poderemos exigir-lhe a colaboração, redundante em sacrifício. Nossas responsabilidades, portanto, estão conjugadas nos mínimos detalhes da tarefa a cumprir.
(...) "

Correlações Sugeridas:

**Livro dos Espíritos:
Questões 893 à 919
**Livro dos Médiuns:
Capítulo XX - Da influência moral do médium
Capítulo XXI - Da influência do meio
** O Evangelho Segundo o Espiritismo:
Capítulo XVII - Sede perfeitos

----
"(...)
Deslocando, porém, a sua atenção do cérebro para a máquina corpórea em geral, o orientador prosseguiu:
_ A operação da mensagem não é nada simples, embora os trabalhadores encarnados não tenham consciência de seu mecanismo intrínseco, assim como as crianças, em se fartando no ambiente doméstico, não conhecem o custo da vida ao sacrifício dos pais. Muito antes da reunião que se efetua, o servidor já foi objeto de nossa atenção especial, para que os pensamentos grosseiros não
lhe pesem no campo íntimo. Foi convenientemente ambientado e, ao sentar-se aqui, foi assistido por vários operadores de nosso plano. Antes de tudo, as células nervosas receberam novo coeficiente magnéticom para que não haja perdas lamentáveis do tigróide(corpúsculo de Nissl), necessário aos processos da inteligência. O sistema nervoso simpático, mormente o campo autônomo do coração, recebeu auxílios energético e o sistema nervoso central foi convenientemente atendido, para que não se comprometa a saúde do trabalhador de boa vontade. O vago foi defendido por nossa influenciação contra qualquer choque das vísceras. As glândulas supra-renais receberam acréscimo de energia, para que se verifique acelerada produção de adrenalina, de que precisamos para atender ao dispêndio eventual das reservas nervosas.
Nesse instante, vi que o médium parecia quase desencarnado. Suas expressões grosseiras, de carne, haviam desaparecido ao meu olhar, tamanha a intensidade da luz que o cercava, oriunda de seus centros perispirituais. Após longo intervalo, Alexandre continuou:
_ Sob nossa apreciação, não temos o arcabouço de cal, revestido de carboidratos e proteínas , mas outra expressão mais significativa do homem imortal, filho do Deus Eterno. Repare, nesta anatomia nova, a glória de cada unidade minúscula do corpo. Cada célula é um motor elétrico que necessita de combustível para funcionar, viver e servir.
(...) "

Correlações sugeridas:
** Livro dos Espíritos:
Introdução - item XV
Questões: 367 à 370
Questões: 688 à 691
Questão: 703
** Livro dos Médiuns: Segunda parte
Capítulo I - Da Ação dos Espíritos sobre a matéria
Capítulo XVI, item 188 e item 194
Capítulo XVIII - Dos Inconvenientes e Perigos da Mediunidade
** Obras Póstumas
Primeira parte : Manifestações dos Espíritos
Parágrafo 6 - Dos médiuns

------------------------------------------------

02 - A Epífise

"Enquanto o nosso companheiro se aproveitava da organização mediúnica, vali-me das forças magnéticas que o instrutor me fornecera, para fixar a máxima atenção no médium. Quanto mais lhe notava as singularidades do cérebro, mais admirava a luz crescente que a epífise deixava perceber. A glândula minúscula transformar-se em núcleo radiante e, em derredor, seus raios formavam um lótus de pétalas sublimes.
Examinei atentamente os demais encarnados. Em todos eles , a glândula apresentava notas de luminosidade, mas em nenhum brilhava como no intermediário em serviço.
(...)
Estudara a função da epífise nos meus apagados estudos de médido terrestre. Segundo os orientadores clássicos, circunscreviam-se suas atribuições ao controle sexual no período infantil. Não passava de velador dos instintos, até que as rodas da experiência sexual pudessem deslizar com regularidade, pelos caminhos da vida humana. Depois, decrescia em força, relaxava-se, quase desaparecia, para que as glândulas genitais a sucedessem no campo da energia plena.
Minhas observações, ali , entretanto, contrastavam com as definições dos círculos oficiais.
(...)
_ Não se trata de órgão morto, segundo velhas suposições - prosseguiu ele - É a glândula da vida mental. Ela acorda no organismo do homem, na puberdade, as forçar criadoras e, em seguida, continua a funcionar, como o mais avançado laboratório de elementos psíquicos da criatura terrestre.
(...) "

1)Alguém poderia nos explicar como é a epífise e onde ela se localiza?
2) Como é vista a função da epífise pela ciência humana?
3) Da época das informações de André Luis até hoje houve alguma modificação dessa visão pela ciência humana?
4) No campo espiritual , e pelas informações passadas pelos Espíritos, qual a importância e a função da epífise?

--------------------------------------------------

03 - Desenvolvimento Mediúnico

"(...)
_ Hoje, à noite - disse-me o devotado amigo - observará algumas demonstrações de desenvolvimento mediúnico.
(...)
Antes do ingresso dos companheiros encarnados, já era muito grande a movimentação. Número considerável de trabalhadores. Muito serviço de natureza espiritual.
Admirava as características dos socorros magnéticos, dispensados às entidades sofredoras, quando Alexandre acentuou:
_ Por enquanto, nossos esforços são mais frutíferos ao círculo dos desencarnados infelizes. As atividades beneficentes da casa concentram-se neles, em maior porção, porque os encarnados, mesmo aqueles que já se interessam pela prática espiritista, muito raramente se dispõem, com sinceridade, ao aproveitamento real dos valores legítimos de nossa cooperação.
E, depois de longa pausa, prosseguiu:
_ É muito lenta e difícil a transição, entre a animalidade grosseira e a espiritualidade superior. Nesse sentido, há sempre, entre os homens um oceano de palavras e algumas gotas de ação.
(...)
_ Alguns - explicou Alexandre - pretendem a psicografia, outros tentam a mediunidade de incorporação. Infelizmente, porém, quase todos confudem poderes psíquicos com funções fisiológicas. Acreditam no mecanismo absoluto da realização e esperam o progresso eventual e problemático, esquecidos de que toda edificação da alma requer disciplina, educação, esforço e perseverança. Mediunidade construtiva é a língua de fogo do Espírito Santo, luz divina para a qual é preciso conservar o pavio do amor cristão, o azeite da boa vontade pura. Sem a preparação necessária, a excursão dos que provocam o ingresso no reino invisível é, quase sempre, uma viagem nos círculos de sombra. Alcançam grandes sensações e esbarram nas perplexidades dolorosas. Fazem descobertas surpreendentes e acabam nas ansiedades e dúvidas sem fim. Ninguém pode trair a lei impunemente, e , para subir, Espírito algum dispensará o esforço de si mesmo, no aprimoramento íntimo...
(...) "

Para iniciarmos nosso debate, eis alguns questionamentos :

1) Já vimos que a mediunidade é uma faculdade. Qual, pois, seria a necessidade dos ensinamentos apresentados por Alexandre, através de André Luiz?
2) Qual a necessidade de nossa reforma íntima para o bom desempenho da mediunidade?
3) Como poderíamos distinguir um bom médium? Existe bons médiuns?
4) O que poderiamos considerar como "aproveitamento real dos valores legítimos da cooperação" do plano Espíritual?
5) O que seria confusão entre o poder psíquico e função fisiológica?
6) O que significaria, em termos de mediunidade e seu desenvolvimento, "toda edificação da alma requer disciplina, educação, esforço e perseverança"?
--------

2ª parte:

"(...)
_ Não, André. Não temos sob os olhos o espiroqueta de Schaudinn, nem qualquer nova forma siscetível de análise material por bacteriologistas humanos. São bacilos psiquícos da tortura sexual, produzidos pela sede febril de prazeres inferiores. O dicionário médico do mundo não os conhece e, na ausência de terminologia adequada aos seus conhecimentos , chamemos-lhes larvas, simplesmente. Têm sido cultivadas por este companheiro, não só pela incontinência no domínio das emoções próprias,
através de experiências sexuais variadas, senão tb pelo contacto com entidades grosseiras que o visitam com frequência...O pobrezinho ainda não pôde compreender que o corpo físico é apenas leve sombra do corpo perispiritual, não se capacitou de que a prudência, em matéria de sexo, é equilíbrio da vida e , recebendo as nossas advertências sobre a temperança, acredita ouvir remotas lições de aspecto dogmático, exclusivo, no exame da fé religiosa. A pretexto de aceitar o império da razão pura, na esfera lógica, admite que o sexo nada tem que ver com a espiritualidade, como se esta não fosse a existência em si... O erro de nosso amigo é o de todos os religiosos que supõem a alma absolutamente separada do corpo físico, quando todas as manifestações psicofísicas se derivam da influenciação espiritual.
(...)
_ Os alcóolicos - esclareceu Alexandre, com grave entonação aniquilavam-no vagarosamente. Você está analisando as anormalidades menores. Este companheiro permanece completamente desviado em seus centros de equilíbiro vital. Todo o sistema endocrino foi atingido pela atuação tóxica. Inultimente trabalha a medula para melhorar os valores da circulação. Em vão, esforçam-se os centros genitais para ordenar as funções que lhe são peculiares, porque o alcóol excessivo determina modificações deprimentes sobre a própria cromatina. Debalde trabalham os rins na excreçao dos elementos corrosivos, porque a ação perniciosa da substância em estudo anula diariamente grande número de nefrons. O pâncreas viciado, não atende com exatidão ao serviço de desintegração dos alimentos. Larvas destruidoras exterminam as células hepáticas. Profundas alterações modificam-lhe as disposições do sistema nervoso vegetativo e não fôssem as glândulas sudoríparas, tornar-se-ia talvez impossível a continuação da vida física.
(...)
_ Temos aqui uma pobre amiga desviada nos excessos de alimentação. Todas as glândulas e centros nervosos trabalham para atender as exigências do sistema digestivo. Descuidada de si mesma, caiu na glutonaria crassa, tornando-se presa de seres de baixa condições.
(...)
_ ... A mente encarnada engalanou-se com os valores intelectuais e fez o culto da razão pura, esquecendo-se de que a razão humana precisa de luz divina...
(...)
_ ... A maioria dos candidatos ao desenvolvimento dessa natureza, contudo, não se dispõe aos serviços preliminares de limpeza do vaso receptivo. Dividem, inexoravelmente , a matéria e o espírito, localizando-os em campos opostos, quando nós, estudantes da Verdade, ainda nãoi conseguimos identificar rigorosamente as fronteiras entre uma e outro, integrados na certeza de que toda a aorganização universal se baseia em vibrações puras...
(...)
_ Não, ANdré. Tenhamos calma. Estamos no serviço de evolução e adestramento. Nossos amigos não são rebeldes ou maus, em sentido voluntário. Estão espiritualmente desorientados e enfermos. Não podem transformar-se , dum momento para outro. Compete-nos, portanto, ajudá-los no caminho educativo.
(...) "

Assim, pergunta-se:
1) O que é centro(s) de equilíbrio vital?
2) qual a relação entre sexo e desenvolvimento mediúnico ou exercício mediúnico?
3) qual a relação entre bebidas alcóolicas e desenvolvimento mediúnico ou exercício mediúnico?
4) qual a relação entre alimentação e desenvolvimento mediúnico ou exercício mediúnico?
5) qual a relação entre fumo/drogas e desenvolvimento mediúnico ou exercício mediúnico?
6) e quem tem necessariamente que ingerir remédios para manutenção da saúde, como fica com relação ao desenvolvimento mediúnico?
7) Alguém poderia explicar o que é cromatina, nefrons, células hepáticas, esses termos técnicos de saúde e qual a correlação deles com o desenvolvimento mediúnico?

-------------------------------------------------------

04 - Vampirismo

"(...)
_ Graças ao Senhor, tivemos uma noite feliz. Muito trabalho contra o vampirismo.
Oh! era o vampirismo a tese que me preocupava. Vira os mais estranhos bacilos de natureza psiquíca, completamente desconehcidos na microbiologia mais avançada. Não guardavam a forma esférica das cocáceas, nem o tipo de bastonete das bavteriçeas diversas. Entretanto, formavam também colônias densas e terríveis.Reconhecera-lhes o ataque aos elementos vitais do corpo físico, atuando com maior potencial destrutivo sobre as células mais delicadas. Que significa aquele mundo novo? que agentes seriam aqueles, caracterizados por indefinível e pernicioso poder? Estariam todos os homens sujeitos à sua influenciação?
(...)
_ ... Adnré, meu amigo, as doenças psiquícas são muito mais deploráveis. A patogênese da alma está dividida em quadros dolorosos. A cólera, a intemperança, os desvarios do sexo, as viciações de vários matizes, formam criaçoes inferiores que afetam profundamente a vida íntima. Quase sempre o corpo doente assinala a mente enfermiça...
(...)
_ Ouça, meu amigo. Como se verificam os processos mórbidos de ascendência psíquica? Não resulta a afecção do assédio de forças exteriores? Em nosso domínio, como explicar a questão? é a viciação da personalidade espiritual que produz as criações vampirísticas ou estas que avassalam a alma, impondo-lhe certas enfermidades? Nesta última hipótese , poderíamos considerar a possibilidade do contágio?
(...)
_ ... Nas moléstias da alma, como nas enfermidade do corpo físico, antes da afecção existe o ambiente. As ações produzem efeitos, os sentimentos geram criações, os pensamentos dão origem a formas e consequências de inifinitas expressões... Cada viciação particular da personalidade produz as formas sombrias que lhe são consequentes...
(...)
_ ... Desde o primeiro dia de razão na mente humana, a idéia de Deus criou princípios religiosos, sugerindo-nos as regras de bem-viver. Contudo, à medida que se refinam conhecimentos intelectuais, parece que há menor respeito no homem para com as dádivas sagradas...
(...) "

1) O que seria vampirismo?
2) De que forma ele se dá?
3) Como podemos evitar a vampirização?
4) Todos nós estamos sujeitos a ela?
5) Pode vir o vampirismo ser um influenciador do suicídio? Por que?
6) Qual a consequência física do vampirismo?
7) Qual a consequência espiritual do vampirismo?
8) Como se dá o vampirismo no momento do desencarne?

------------------------------------------------------

05 - Influenciação

Que Jesus esteja sempre nos acompanhando e nos influenciando. Nos textos abaixo, do Cap. 5 do livro Missionários da Luz, vemos de maneira clara a influência que os pensamentos têm em nossoas vidas, por terem vida e por serem energia.
Quando por meio do nosso comportamento inadequado com a lei Divina, afastamos todo o tipo de proteção espiritual damos oportunidades para que espíritos inferiores nos induzam e com isso, cada vez mais nos afastamos do caminho de luz e consequentemente da nossa evolução.

( pag. 49 - último parágrafo ).........Se conseguissem manter semelhante estado mental, pondo em prática as regras de perfeição que aprendem, comentam e ensinam, fácil lhes seria atingir positivamente o nível superior da vida............Cada hábito menos digno adquirido pela alma no curso incessante dos séculos, funciona qual entidade viva, no universo de sentimentos de cada um de nós, compelindo-nos às regiões perturbadas e oferecendo elementos de ligação com os infelizes que se encontram em nível inferior.

( pag.57 - segundo parágrafo)- Aqui, André, observa você o trabalho simples de transmissão mental e não pode esquecer que o intercâmbio do pensamento é movimento livre do Universos. Desencarnado e encarnados, em todos os setores de atividade terrestre, vivem na mais ampla permuta de ideias. Cada mente é um verdadeiro mundo de emissão e recepção e cada qual atrai os que se
assemelham

(pag 58 - quarto parágrafo) Então - continuei perguntando - não seria difícil preparem-se todas as criaturas para receberem a influenciação superior?
- De modo algum - esclarece ele - todas as almas retas, dentro do espirito de serviço e de equilíbrio, podem comungar perfeitamente com os mensageiros divinos e receber-lhes os programas de trabalho e iluminação, independentemente da técnica do mediunismo que, presentemente, se desenvolve no mundo. Não há privilegios na criação. Existem, sim, os trabalhadores fieis, compensados com justiçã, seja onde for.

Para reflexão:

1 - Que meios dispomos para que estejamos sempre bem influenciados pelos espíritos superiores?

2 - No caso de uma influenciação de espíritos inferiores, qual seria o caminho a seguir para que pudessemos retornar o caminho da nossa evolução?

3 - Estamos sempre sendo influenciados, de uma maneira ou de outra, no curso da nossa existência?

4 - Essa influenciação seria só de desencarnado para encarnado?


Obra básica: Livro dos Espíritos - pergs. 525 a 535

------------------------------------------------------

06 - A Oração

"(...)_ Há diversos processos de medicação espiritual contra o vampirismo, os quais poderemos desenvolver em direções diversas; mas para fornecer a você uma demonstração prática, visitemos o lar de nosso amigo. Conhecerá o mais poderoso antídoto.
(...)
_ Naturalmente - acentuou meu generoso companheiro - você já sabe que a prece traça fronteiras vibratórias.
(...)
_ O lar - disse - não é somente a moradia dos corpos, mas, acima de tudo, a residência das almas. O santuário doméstico que encontre criaturas amantes da oração e dos sentimentos elevados, converte-se em campo sublime das mais belas florações e colheitas espirituais...
(...)

Para conversarmos:
1) Por que a oração seria o mais poderoso antídoto contra o vampirismo?
2) Como deve ser realizada a oração? Tem ela frequência? Norma?Culto? forma?
3) Por que nos lares onde há criaturas dedicadas à oração se torna um "campo sublime das mais belas florações e colheitas espirituais"?

correlação sugerida:
Livro dos Espíritos - Questões 658 a 666
Evangelho Segundo Espiritismo - Capítulo XIX, Capítulo XXVII, Capítulo XXVIII

Textos apoio [Lu]

- fluidos: fluido cósmico universal é a matéria elementar primitiva; que se encontra em dois estados : um eterizado, outro materializada; pode ter e ser combinada de várias formas; uma dentre essas combinações obtem-se os: fluido magnético, e fluido vital, dentre outros.
Um dos produtos mais importantes do fluido cósmico é o perispírito. Os fluidos são manipulados pelos Espíritos através do pensamento e da vontade. E é através do perispírito que o Espírito encarnado pode expandir-se em comunicação direta com outros espíritos (Encarnados ou desencarnados).
- Perispírito : é o agente por meio do qual os Espíritos se comunicam indiretamente com outros Espíritos em conformidade com nossos pensamentos e vontades. Ele irradia , reflete, exterioriza nossos pensamentos e sentimentos mais íntimos.
- Ectoplasma: é fluido humano que, ao ser combinado pelos Espíritos com o fluido universal, anima os objetos com uma espécie de "vida fictícia"que permanece até que o fluído se esgote.
- aura : é tipo um alo energético que reveste os seres vivos, também conhecido por duplo etéreo ou corpo vital, que teria a função de estampar os estados d'alma
- mediunidade, genericamente falando, é a faculdade que um indivíduo tem de servir de intermediário entre as esferas dos mundos físico e espiritual. Podendo estar mais ou menos desenvolvida e atuante.

A aura, essa irradiação que provem do Espírito e se exterioriza atrvés do perispirito pelo corpo físico, que esta relacionada aos dons morais do próprio Espírito, não é suscetível dessa troca de fluidos,eu creio.Já o ectoplasma(ou fluido nervoso), tem uma destinação bem diferente da que vc citou.
Creio que a oração poderia ser usada para a sintonia, entre nós que buscamos, e aqueles que vêm em nosso auxílio.Aí estou de acordo com você.E deesa sintonia, poderíamos ser úteis, na doação do ectoplasma, para que os espíritos pudessem efetuar algum trabalho, e desse intercâmbio, através de nossa melhoria, intensificarmos nossa aura

(B) Minha compreensão se dá que , a partir do momento em que se dá um intercâmbio através da oração, ela independe de obrigação, seja "consciente", seja "inconsciente" ou independetemente de sensações subjetivas que temos.
Quando conversamos com o Plano Espiritual, essa simples conversa já é uma oração; quando pensamos algo bom sobre alguém , isso já é uma oração. Quando dizemos um obrigada, isso já é oração. Então, orar independe de se ter um objetivo determinado ou pre-determinado, consciente ou inconsciente; mas sim deve ser algo realizado para agradecer, para louvar, para emitir fluidos bons, para solicitar que seja realizado o melhor e o de merecimento.

(C) Esses nossos conceitos materiais passados há séculos , acabam ficando meio enraizados na gente né??:))
Claro que devemos respeitar a forma pela qual cada ser melhor se identifica em estar mais próximo a Deus, a Jesus, ao Plano Espiritual, mas estamos aqui em um local cuja identificação se dá pela Doutrina Espírita; Assim, mesmo estando o conteúdo correto devemos, no entanto, tomar cuidado com as terminologias que usamos. Quanto à prece , a oração, ela é feita sem necessariamente termos que nos
dirigir a algum Espírito predeterminado; lá na alínea (A) vimos que a oração é realizada através da sintonia de pensamento, sentimento e vontade e a partir disso estaremos em contato com os Espíritos (indefinido mesmo) , se bons pensamentos intercambiados com os Espíritos de Luz; se pensamentos ruins, intercambiados com Espíritos ainda na escuridão. Orar se dirigindo a um Espírito pré-determinado, porque se sente com traumas, ou algo no gênero ou parecido , creio eu que denota superstição, o que para nós Espíritas não existe, uma vez que usamos a lógica e o raciocínio para verificarmos qual, por que, como existe um fato; utilizamos
a fé raciocinada. Orar ainda compreende um campo mais abrangente do que simplesmente orar por quem conhecemos. A irradiação resultante do intercâmbio que se dá pela oração é extensa e pode envolver a todos sejam eles nossos conhecidos ou não. Tanto que temos as reuniões para irradiações , nas quais os participantes sequer tomam conehcimento para quem estão emitindo suas vibrações; o mesmo acontece nas orações, podemos emitir fluidos benéficos para quem quer que seja, independetemente do conhecimento que se tenha desse ou daquele Espírito.
Quanto a orar por e-mail, pelo mIrc, pelo ICQ, pela internet pode-se perfeitamente fazer isso , unidos em mesma sintonia vibracional se emita irradiações para todos e qualquer Espírito , conhecido ou desconhecido. Exemplificando esse não necessitar de se conhecer o Espírito a quem se ora: o próprio CVDEE tem esse serviço de prece fraterna, onde quem necessita especificamente preenche o formulário na HP e o envia ; a equipe que realiza esse trabalho se reúne todas as quartas-feiras para orar , e esse equipe sequer tem conhecimento de quem seja o Espírito para o qual está orando.

----------------------------------------------------------

07 - Socorro Espiritual

"(...) _ Há sempre quefazeres urgentes, no auxílio oportuno aos nossos irmãos da Crosta - comentou o instrutor, com afabilidade e doçura - e, na maior parte das vezes,é mais eficiente o nosso concurso à noite, quando os raios solares diretos nãp desintegram certos recursos de nossa cooperação...
(...)
_ Você foi acidentado pelos próprios pensamentos em conflito injustificável. Suas preocupações excessivas criaram-lhe elementos de desorganização cerebral. Intensifique o desejo de retomar as células físicas, enquanto nos preparamos a fim de ajudá-lo. Este momento é decisivo para as suas necessidades.
(...)
_ Francisco, precisamos aqui das emanações de algum de nossos amigos encarnados, cujo veículo material esteja agora em repouso equilibrado.
(...)
_ Temos aqui o grupo do Irmão Francisco. Trata-se de uma das inumeráveis turmas de serviço que nos prestam cooperação. Muitos companheiros consagram-se aos trabalhos dessa natureza, mormente à noite, quando as nossas atividades de auxílio podem ser mais intensas.
(...)
_ Justina, ... E não se esqueça de preveni-lo, pelos processos intuitivos ao nosso alcance, quanto ao cuidado que deverá manter consigo mesmo no terreno das preocupações excessivas...
(...)
_ São muitos os... No leito da morte, as criaturas são mais humanas e mais dóceis. Dir-se-ia que a moléstia intransigente enfraquece os instintos mais baixos, atenua as labaredas mais vivas das paixões inferiores, desanimaliza a alma, abrindo-lhje, em torno, insterstícios abençoados por onde penetra infinita luz. (...) "


Perguntas:


1- Por que o serviço de auxílio espiritual é mais eficiente à noite?
2- Por que os raios solares desintegram certos recursos da cooperação espiritual?
3- Como os pensamentos podem influir no estado do corpo físico?
4- O que significa e por que a necessidade de emanação de encarnados?
5- Qual o papel da doença física para nós encarnados?

-------------------------------------------------------

08 - No plano dos sonhos

(...)
As aulas, no teor daquela a que você assistirá nesta noite, são mensageiras de inexprimível utilidades práticas. Em despertando na Crosta, depois delas, os aprendizes experimentam alívio, repouso e esperança, a par da aquisição de novos valores educativos.É certo que não podem reviver os pormenores, mas guardarão a essência, sentindo-se revigorados, de inexplicável maneira para eles, não só a retomar a luta diária no corpo físico, mas também a beneficiar os próximo e combater, com êxito, as próprias imperfeições. Seus pensamentos tornam-se mais claros, os sentimentos mais elevados e as preces mais respeitosas e produtivas, enriquecendo-se-lhes as observações e trabalhos de cada dia.
....
- Quando encarnados, na Crosta, não temos bastante consciência dos serviços realizados durante o sono físico; contudo, esses trabalhos são inexprimíveis e imensos. Se todos os homens prezassem seriamente o valor da preparação espiritual, diante de semelhante gênero de tarefa, certo efetuariam as conquista mais brilhantes, nos domínios psíquicos, ainda mesmo quando
ligados aos envoltórios inferiores. Infelizmente, porém, a maioria se vale, inconscientemente, repouso noturno para sair à caça de emoções frívolas ou menos dignas. Relaxam-se as defesas próprias, e certos impulsos, longamente sopitados durante a vigília, extravasam em todas as direções, por falta de educação espiritual, verdadeiramente sentida e vivida.

(...)
- Faltam-nos apenas dois companheiros - elucidou o interpelado. - Até o momento, Vieira e Marcondes ainda não chegaram.
...
- Quem sabe se não foram vítimas de acidentes? Convém positivar....
...
Caso estejam os nossos irmãos sob a influência de entidades criminosas, como devo proceder?
- Deixá-los-á, então, onde estiverem.....o momento não comporta grandes conversações com os que se prendem, deliberadamente, ao plano inferior.
....observe o que se passa...
....Ao seu lado, permanecia uma entidade singular, trajando vestes absolutamente negras. Notei que o companheiro adormecido permanecia sob impressões de doloroso pavor.
...........................................
- Hoje, à noite, Vieira me chamou com sua reiteradas lembranças e acusou-me de faltas que não cometi, conversando levianamente com a família. Isso, como é natural, desgostou-me. Não bastará o que tenho sofrido, depois da morte?Ainda precisarei ouvir falsos testemunhos de amigos maledicentes? Não poderia esperar dele semelhante procedimento, em virtude das relações
afetivas que nos uniam as famílias, desde alguns anos. Vieira foi sempre pessoa de minha confiança. Em razão da surpresa, deliberei esperá-lo nos momentos de sono, a fim de prestar-lhes os necessários esclarecimentos.
...........................
Visitemos o Marcondes....
...Marcondes estava, de fato, ali mesmo, parcialmente desligado do corpo físico, que descansava com bonita aparência.......entretanto, revelava a posição de relaxamento, característica dos viciados do ópio. Ao seu lado, três entidades femininas de galhofeira expressão permaneciam em atitude menos edificante.

Perguntas:

1 - Qual a diferença entre sono e sonhos?

2 - Os sonhos estão relacionados diretamente com nossa evolução?

3 - Como devemos proceder nas nossas atividades diárias para que possamos aproveitar, para nossa evolução, o desligamento por intermédio do sono?

4 - O que chamamos de "pesadelos" quando estamos dormindo?

5 - Só existe possibilidades de nos comunicarmos com desencarnados durante o sono ou podemos nos reunirmos, também, com encarnados?

6- Existe o sono e o sonho quando estamos na espiritualidade?

Referências bibliográficas doutrinárias:
Evangelho Segundo Espiritismo - cap.XXI, 8 - cap. XXVIII, 38
Livro dos Espíritos - 2ª parte - cap. VIII
Livro dos Médiuns - Q. 53
A Gênese - cap. XIV,22 - XV,3

Referências bibliográficas complementares:
Nosso Lar - pag. 195

-----------------------------------------------------

09 - Mediunidade e fenômeno

Parte I

<>

"Era considerável o número de amigos encarnados, provisoriamente libertos do corpo físico através do sono, que se congregavam no vasto salão." (...)

(..)"Além do grupo do Irmão Francisco, que trouxera os tutelados, outras associações da mesma natureza compareciam com os seus pupilos, interessados em novas instruções."(...)

(...) "- Há muitas escolas deste gênero para os encarnados que se dispõem a aproveitar os momentos de sono físico." (...)

(...)" - E poderá informar quanto ao tema provocado pela maioria dos aprendizes, nesta noite?

-- Creio que se refere à mediunidade e ao fenômeno."(...)

<>

(...)"Comentaremos hoje vossos pedidos de orientação mediúnica, em face das dificuldades que se vos apresentam na luta de cada dia e que classificais como impedimentos de natureza psíquico-fisiológica.

Desejais realizações generosas nos domínios da revelação superior, sonhais conquistas gloriosas e realizações sublimes; entretanto, há que corrigir vossas atitudes mentais diante da vida humana"(...)

(...)"A edificação do reino interior com a luz divina reclama trabalho persistente e sereno. Não será tão-somente ao preço de palavras que erguereis os templos da fé viva."(...)

(...)"-- Reúnem-se aqui muitos irmãos que pretendem desenvolver as percepções mediúnicas; entretanto, aguardam simples expressões fenomênicas , supondo erroneamente que as forças espirituais permanecem circunscritas a puro mecanismo de forças cegas e fatais, sem qualquer ascendente de preparação, disciplina e construtividade." (...)

(...)"Urge, porém, estimar o trabalho antes do repouso, aceitar o dever sem exigências, desenvolver as tarefas aparentemente pequeninas, antes de vos inquietardes pelas grandes obras, e colocar os desígnios do Senhor acima de todas as preocupações individuais ! Urge fugir da apropriação indébita no comércio com as forças invisíveis, furtar-se ao encantamento temporário e à obsessão sutil e perversa!"(...)

(...)"Se vos dispondes ao serviço divino, não há outro caminho senão Ele, que detém a infinita luz da verdade e a fonte inesgotável da vida! Não existe outra porta para a mediunidade celeste, para o acesso ao equilíbrio divino que anelais no recôndito santuário do coração !" (...)

(...)"Sem o Cristo, a mediunidade é simples <> e nada mais, mera possibilidade de informação, como tantas outras, da qual poderão assenhorear-se também os interessados em perturbações, multiplicando presas infelizes."(...)

Parte II

<>

(...)" - Ó meus amigos, a persistência na condição de animalidade vos perturba! "(...)

(...)" o sublime vos convida ao <>, irmãos mais velhos vos convocam ao convívio do Pai; no entanto, buscais demorar voluntariamente na fauna da irracionalidade primitiva."(...)

(...)" a morte física surpreende as criaturas na atitude que cultivaram. Modificam-se os planos de vibração, mas a essência espiritual é sempre a mesma. Daí o emaranhado de manifestações inferiores nas esferas mediúnicas de vossas atividades."(...)

(...)"Sempre será possível abrir meios de comunicação entre vós outros e os planos que vos são invisíveis; mas não esqueçais de que as afinidades são leis fatais de reunião e integração nos reinos infinitos do Espírito!"(...)

(...) "Urge abandonar os setores de ruído externo para iniciardes o desenvolvimento interior das faculdades divinas ! A paixão do fenômeno pode ser tão viciosa e destruidora para a alma, como a do álcool que embriaga e aniquila os centros da vida física!"(...)

(...)"Além disso, ainda que os aprendizes se esclareçam, relativamente às lições, é forçoso observar que a informação não é tudo, porquanto o esclarecimento educativo é apenas parte do aprendizado. Que dizer dos discípulos que estudam sempre, sem jamais aprenderem no terreno das aplicações legítimas?"(...)

(...)"não será admissível a integração dos Espíritos esclarecidos e santificados com as almas rigorosamente agarradas às manifestações mais baixas e grosseiras da existência carnal."(...)

(...)"O valor mediúnico não é dom de privilegiados, é qualidade comum a todos os homens demandando a boa vontade sincera no terreno da elevação."(...)

<>

(...)"Em todos os labores terrestres, transformai-vos na Vontade de Nosso Pai ! E em vossos serviços de fé, não intenteis fazer baixar até vós os Espíritos superiores, mas aprendei a subires até eles, conscientes de que os caminhos de intercâmbio são os mesmos para todos e mais vale elevar o coração para receber o infinito bem, que exigir o sacrifício dos benfeitores!..." (...)


A) Supondo a seguinte situação fictícia: " Uma pessoa que tem uma mediunidade ostensiva e que, sendo pessoa intimamente próxima a nós, sabemos que esta pessoa tem apenas o conhecimento superficial da doutrina e o lado moral deficiente. Esta mesma pessoa recebe mensagens muito bonitas, poesias, textos bonitos de valor intelectual apreciável". Como podemos classificar os espíritos que são fontes destas mensagens levando em consideração o comportamento e a situação do médium? Pode se considerar uma manifestação anímica? Como podemos relacionar situações idênticas com os sutis processos de obsessão citados no texto?

B) Quanto a obsessões sutis: Quais exemplos podemos dar ? Que conseqüências podem levar?

C) Qual a posição moral e física do espírito após a morte ?

D) Que devemos esperar das mensagens emitidas por médiuns que comercializam suas aptidões?

E) Como deve ser o processo de aprendizado para a pessoa que deseja educar a mediunidade?

F) Qual a conseqüência do ato de pura curiosidade em relação aos fenômenos sem o esforço moral e intelectual necessários para a educação da mediunidade?

G) A pessoa perde a mediunidade caso permaneça nas zonas inferiores da vida? Se não, o que pode ocorrer com sua faculdades ou o teor delas?

Referências:

E.S.E : Capitulo XX

L.M : Parte Segunda - Cap XVII, Cap XIX, Cap XX

----------------------------------------------------

10 - Materialização

"Em virtude do meu interesse, no estudo dos fenômenos de materialização, não hesitei em solicitar o prestimoso concurso de Alexandre, que se colocou gentilemnte ao lado de meus desejos.
(...)
_ trata-se de serviço de elevada responsabilidade, porquanto, além de exigir todas as possibilidades do aparelho mediúnico, há que movimentar todos os elementos de colaboração dos companheiros encarnados, presentes às reuniões destinadas a esses fins. Se houvesse perfeita compreensão geral. Respeito aos dons da vida, e se pudéssemos contar com valores morais espontâneos e
legitimamente consolidados no espírito coletivo, essas manifestações seriam as mais naturais possíveis, sem qualquer prejuízo para o médium e assistentes. Acontece , porém, que são muito raros os companheiros encarnados dispostos às condições espirituais que semelhantes trabalhos exigem. Por isso mesmo, na incerteza da colaboração eficiente, as sessões de materialização efetuam-se com grandes riscos para a organização mediúnica e requisitam número dilatado de cooperadores do nosso plano.
(...)
_ Certíssimo! - exclamou o meu interlocutor, benevolente - se a indagação científica estivesse acompanhada de seguros valores do sentimento, do caráter, da consciência, outras seriam as realizações em vista da luz de espiritualidade acesa para o caminho, mas quase sempre somos assediados pela exigência repleta de pretensões e daí os fracassos inevitáveis.
(...)
Na noite aprazada, Alexandre, que me proporcionava a satisfação de seguir-me de perto, conduziu-me à casa residencial, onde teria lugar uma assembléia diferente.
(...)
... A residência particular, onde se efetuariam os trabalhos, chegava a ser isolada por extenso crodão de trabalhadores de nosso plano, num círculo de vinte metros em derredor.
(...)
_ Aqui, é indispensável o máximo cuidado para que os princípios mentais de origem inferior não afetem a saúde física dos colaboradores encarnados, nem a purea do material indispensável aos processos fenomênicos. Em vista disso, torna-se imprescindível insular o núcleo de nossas atividades, defendendo-o contra o acesso de entidades menos dignas, através de fronteiras vibratórias.
(...)
_ Se é preciso tamanho zelo, no que se refere ao nosso campo de serviço, não se fará a mesma exigência aos companheiros encarnados, com a função de assistentes?
(...)
_ Todo o perigo desses trabalhos está na ausência de preparo dos nossos amigos da Crosta os quais, na maioria das vezes, alegando impositivivos científicos, se furtam a comezinhos princípios de eleveção moral. Quando não se verifica o devido cuidado por parte deles, o fracasso pode assumir características terríveis, porque os irmãos que estabelecem as fronteiras vibratórias, no exterior do recinto, não podem impedir a entrada das entidades inferiores, absolutamente integradas com as suas vítimas terrenas. Há obsidiados que se sentem tão bem na companhia dos perseguidores, que imitam as mães terrestres agarradas aos filhos pequeninos, penetrando
recintos consagrados a certos serviços, com que não se compadece ainda o espírito infantil. Quando os amigos menos avisados ingressam na tarefa em tais condições, as ameaças são verdadeiramente inquietantes.
_ Então, aqui - considerei -, não devem entrar as vítimas do vampirismo...
_ A rigor não deveriam entrar - falou o instrutor , sorrindo -, mesmo porque há outros centros onde podem ser socorridas; mas , algumas vezes , a caridade fraternal aconselha a tolerância, mesmo em ambientes como este.
(...)
_ _ Por isso mesmo, as reuniões para serviços de materialização aparecem raramente; a homogeneidade, aqui, deve ser muito mais intensa. Consagra-se a maioria de nossas atividades ao esforço da caridade cristã. Neste ambiente, proém, limita-se o trabalho a certas demonstrações da sabedoria espiritual. Os homens, contudo, em sentido geral, não sabem, por enquanto, compreender a essência divina de tais demonstrações e , quase sempre, acorrem a elas com o raciocínio acima do sentimento.Pelas inquietudes da investigação, perdem, muitas vezes, os valores da cooperação, e os resultados são negativos. No dia, porém, em que cosneguirem trazer o coração iluminado, receberão alegrias iguais àquela que desceu sobre os discípulos de Jesus, quando, de portas cerradas, em sublime comunhão de amor e fé, receberam a visita do Mestre, perfeitamente materializado, depois da ressurreição, em casa humilde
de Jerusalém, de conformidade com a narrativa dos Evangelhos.
(...)
Surpreendido, notei o esforço de vinte entidades de nobre hierarquia que movimentavam o ar ambiente. Em seus gestos ritmicos semelhavam-se a sarcedotes antigos...
(...)
_ Não se trata aqui de hierofantes em gestos convencionais. Temos esclarecidos cooperadores do serviço , que preparam o ambiente, levando a efeito a ionização da atmosfera, combinando recursos para efeitos elétricos e magnéticos. Nos trabalhos deste teor reclamam-se processos acelerados de materialização e desmaterialização da energia. As entidades manifestantes,
no campo visual de nossos amigos encarnados, quase sempre são criaturas eminentemente ligadas à Crosta e aos seus planos de sensações, mas os organizadores legítimos da tarefa em curso são verdadeiros e competentes orientadores dos planos espirituais, com grandes somas de conhecimento e responsabilidade.
Não decorreram muitos instantes e alguns trabalhadores de nossa esfera compareceram, trazendo pequenos aparelhos que me pareceram instrumentos reduzidos, de grande potencial elétrico, em virtude dos raios que movimentaram em todas as direções.
(...)
_ Estes amigos - explicou o meu generoso instrutor - estão encarregados de operar a condensação do oxigênio em toda a casa. O ambiente para a materialização de entidade do plano invisível aos olhos dos homens requer elevado teor de ozônio e, além disso é indispensável semelhante operação, a fim de que todas as larvas e expressões microscópicas de atividade inferior sejam exterminadas. A relativa ozonização da paisagem interior é encessária como trabalho bactericida.
(...)
_ O Ectoplasma, ou força nervosa, que será abundantemente extraído do médium, não pode sofrer, sem prejuízoz fatais, a intromissão de certos elementos microbianos.
(...)
_ São recursos da natureza - informou-me o instrutor solícito - que os operários de nosso plano recolhem para o serviço. Trata-se de elementos das plantas e das águas, naturalmente invisíveis aos olhos dos homens, estruturados para reduzido número de vibrações.
(...)
...Precisamos incentivar os processos digestivos para que o aparelho mediúnico funcione sem obstáculos.
(...)
Ele, Verônica e mais três...colocaram as mãos, em forma de coroa, sobre a fronte da jovem e vi que as suas energias reunidas formavam vigoroso fluxo magnético que foi projetado sobre o estômago e o fígado da médium, ...,acusaram, imediatamente, novo rtimo de vibrações.Concentraram-se as forças emitidas, gradualmente, sobre o plexo solar, espalhando-se por todo o sistema nervoso vegetativo e, com espanto, observei que se acelerava o processo químico da digestão...
(...)
Reparei na diferenciação dos fluxos magnéticos, diante da operação posta em prática... As forças projetadas sobre a organização mediúnica efetuavam limpeza eficiente e enérgica, proque via, espantado, os resíduos escuros que lhes eram arracados dos centros vitais.
(...)
_ O aparelho mediúnico foi submetido a operações magnéticas destinadas a socorrer-lhe o organismo nos processos de nutrição, circulação, metabolismo e ações protoplásmicas, a fim de que o seu equilíbrio fisiológico seja mantido acima de qualquer surpresa desagradável. (...)
_ Bebeu alcoólicos em abundância e precisamos providenciar-lhe o insulamento.
(...)
_ É muito grave! neutralizemos a sua influenciação, sem perda de tempo.
(...)
_ Sim - elucidou Alexandre benevolente - parecer não é tudo. A respiração dele, em semelhante estado, emite venenos. Noutro núcleo poderia ser tratado caridosamente, mas aqui, atendendo-se à função especializada do recinto, os princípios etílicos que exterioriza pelas narinas, boca e poros são eminentemente prejudiciais ao nosso trabalho. Como vemos, há necessidade de preparaçãp moral para qualquer trato. A viciação, em qualquer sentido, antes de tudo, deprime o viciado, mas pertuba igualmente os outros.
(...)
Entre os votos... Ninguém ponderava a expressão do fato apra a Humanidade terrena, sequiosa de reveleação celeste. Via-se que a reunião era profundamente dominada pelo ...
Diversos servidores espirituais começaram a combinar as radiações magnéticas dos companheiros terrenos, a fim de constituírem material de cooperação, enquanto Calimério, projetando seu sublime potencial de energias sobre a médium, operava-lhe o desdobramento que durou alguns minutos...
(...)
_ André - falou o meu orientador, em tom grave - improvisemos a garganta ectoplásmica. Não podemos perder tempo.
(...)
_ Não precisa inquietar-se. Bastará ajudar-me na mentalização das minúcias anatômicas do aparelho vocal.
(...)
_ A força nervosa do médium é matéria plástica e profundamente sensível às nossas criações mentais.
Logo após, Alexandre tomou pequena quantidade daqueles eflúvios leitosos, que se exteriorizavam particularmente através da boca, narinas e ouvidos do aparelho mediúnico, e cmo se guardasse nas mãos reduida quantidade de gesso fluido, começou a manipula-lo, dando-me a impressão de estar completamente alheio ao ambiente, pensando, como absoluto domínio de si mesmo, sobre a
criação do momento.
Aos poucos vi formar-se, sob meus olhos atônitos, um delicado aparelho de fonação. No íntimo do esqueleto cartilaginoso, esculturado com perfeição na matéria ectoplásmica, organizavam-se os fios tenuíssimos das cordas vocais, elásticas e completas na fenda glótica e, em seguida, Alexandre experimentava emitir alguns sons, movimentando as cartilagens aritenóides.
Formara-se , ao influxo mental e sob a ação técnica de meu orientador, uma garganta irrepreensível. Com assombro, verifiquei que através do pequeno aparelho improvisado e com a cooperação dos sons de vozes humanas, guardados na sala, nossa voz era
integralmente percebida por todos os encarnados presentes. Parecendo-me satisfeito com o êxito de seu trabalho, Alexandre falou pela garganta artificial, como quem utilizava um instrumento vocal humano:
_ meus amigos, a paz de Jesus seja convosco! Ajudem-nos cantando! Façam música e evitem a concentração!...
(...)
Aos poucos, valendo-se da força nervosa exteriorizada e de vários materiais fluídicos, extraídos no interior da casa, aliados a recursos da Natureza, Alencar surgiu aos olhos dos encarnados perfeitamente materializado. Surpreendido, reconheci que a médium era o centro de todos os trabalhos.Cordões tenuíssimos ligavam-na à forma do controlador e, quando tocávamos levemente na organização mediúnica, o amigo corporificado demonstrava evidentes sinais de preocupação, o mesmo acontecendo à jovem médium em relação a Alencar...
(...)
_ Repare na grandeza do acontecimento. O médium desempenha o papel de entidade maternal, enquanto Alencar, sob a influência positiva de Calimério, permanece em temporária filiaçãpo ao organismo mediúnico. Todas as formas que se materializarem serao < filhas provisórias> da força plástica da intermediária. O amigo que conversa com os encarnados é Alencar, mas os seus envoltórios do momento são nascidos das energias passivas da médium e das energias ativas de Calimério...Se forçarmos o médium em nosso plano,
feriremos Alencar em processo de materialização; se o companheiros terrenos violentarem o mensageiro, repentinamente corporificado, esfacelarão a médium, acarretando consequências funestas e imprevisíveis.
Perplexo ante o fenômeno, indaguei:
_ Mas esta força nervosa é apenas propriedade de alguns privilegiados na Terra?
_ Não - replicou Alexandre - todos os homens a possuem com maior ou menor intensidade; entretanto é preciso compreender que não nos encontramos ainda no tempo de generalizar as realizações....
(...)

Aqui segue nossas colocações para estudo e conversa sobre o tema: materialização

Materialização: materialização ou formação de objetos e de Espíritos, utilizando-se uma energia esbranquiçada que o médium emite através dos orifícios de seu corpo, chamada ectoplasma. Esta denominação foi dada por Charles Richet, quando estudava este fenômeno.

Enquanto lia e estudava o tema, várias indagações foram me passando pela mente, optei, então, por partilhar com vcs os questionamentos todos, para podermos conversar e estudar o tema:)

1) O que é Ectoplasma? Qual sua importância diante da materialização?
2) Como se utilizam os fluídos ? quais suas combinações?
3) Como é feita a integração entre os fluidos com os elementos das plantas e das águas?
4) Qual a necessidade do ozonização do ambiente para uma materialização?
5) Por que há um preparo diferenciado na materialização para com o de outras reuniões mediúnicas?
6) De que forma se verifica a materializaçao? Qual o papel do médium? qual a função dos demais componentes?
7) O que é guardar sons? Para quê?
8) Qual a preparaçao que é feita junto ao médium? Por que?
9) Qual a finalidade da materialização? Não poderíamos obter as informações que os Espíritos nos trazem, sem necessitar ter um trabalho delicado como nos mostrou André de preparaçao de uma reunião específica? Ainda mais sabendo-se da delicadeza da uniao Espírito-médium, onde qualquer ato falho pode originar consequencias imprevisíveis?
10) Se as materializações são produzidas pelos espíritos, que tanto podem materializar uma figura humana, como um par de sapatos ou uma figura animal; qual e por que o processo de interligaçao, utilizando o capítulo, de Alencar com a médium que lhe servia os propósitos? Que , segundo ele nos narra, tem uma potencialidade grande de consequencias funestas ao mínimo erro? Que
consequências poderiam ser essas?
11) O que significa exatamente ser a força nervosa matéria plástica?
12) Todos os nossos aparelhos físicos teriam uma formaçao de matéria plástica?
13) Como se dá essa moldura plástica através da criação mental ?
14) E os casos em que se vê materializações animalescas? Seria o mesmo processo? Isso englobaria a existência do corpo bioplásmatico existente não só no homem como também em animais e plantas?
15) Qual a necessidade de se verificar uma limpeza enérgica nos centros vitais da médium?
16) Como integrar cada parte que foi exposta num todo?

sugestao de leitura: LM - capítulo VIII

------------------------------------------------------

11 - Intercessão

"Certa noite, finda a dissertação que Alexandre consagrava aos companheiros terrenos, meu orientador foi procurado por duas senhoras, que foram conduzidas em condições especialíssimas, àqueles curso adiantado de esclareceimentos, porquanto eram criaturas que ainda se encontravam presas aos veículos da carne e que procuravam o instrutor, temporariamente
desligadas do corpo, por influência do sono.
(...)
E, no fim da longa e sentida exposição, rematava, lacrimosa, dirigindo-se ao meu orientador:
_ Por piedade, generoso amigo! nada me podeis dizer? que terá sido feito de Raul? quem o teria assassinado? e porquê?
(...)
_ Tenha calma e coragem, minha amiga! neste momento não é fácil esclarecê-la. É imperioso sindicar, com cuidado, a fim de solucionar o problema com o critério devido...
(...)
_ Nossos amigos encarnados muitas vezes acreditam que somos meros adivinhos e , pleo simples fato de nos conservarmos fora da carne, admitem que já somos senhores de sublimes dons divinatórios, esquecidos de que o esforço próprio, com o trabalho legítimo, é uma lei para todos os planos evolutivos.
(...)
...Tomaria o lar da interessada como ponto de partida para as averiguações que desejava levar a efeito.
_ COmo? - ponderei - não seria mais prático invocar diretamente o esposo desencarnado, através de nossos poderes mentais? Raul poderia desse modo, ser ouvido sem dificuldade, observando-se posteriormente o que se poderia fazer em favor da viúva.
(...)
_ Sem dúvida, esse é o método mais fácil e, em muitos caos, devemos mobilizar semelhantes recursos; entretanto, André, o serviço intercessório, para ser completo, exige alguma coisa de nós mesmos. Concedendo à nossa irmã Ester algo de nosso tempo e de nossas possibilidades, seremos credores de mais justos conehcimentos, respeito à situação geral, enriquecendo silmultâneamente, os nossos valores de cooperação. Quem dá o bem é o primeiro beneficiado, quem acende uma luz é o que se ilumina em primeiro
lugar.
(...)
...Entretanto, um fato, até então inédito para mim, feriu-me a observação: seis entidades envolvidas em círculos escuros acompanhavam-nos ao repasto, como se estivessem tomando alimentos por absorção.
_ Ó meu Deus! - exclamei, aturdido, dirigindo-me ao instrutor - será crível? Desencarnados à mesa?
(...)
_ Meu amigo, os quadros da viciação mental, ignorância e sofrimento nos lares sem equilíbrio religioso, são muito grandes. Onde não existe orgnização espiritual, não há defesas da paz de espírito. Ísto é intuitivo para todos os que estimem o reto pensamento.
(...)
_ Os que desencarnam em condições de excessivo apego aos que deixaram na Crosta, neles encontrando as mesmas algemas , quase sempre se mantêm ligados à casa, às situações domésticas e aos fluidos vitais da família. Alimetam-se com a parentela e dormem nos mesmos aposentos onde se desligaram do corpo'físico.
_ Mas chegam a se alimentar, de fato, utilizando os mesmos acepipes de outro tempo? - indaguei , espantado, ao ver a satisfação das entidades congregadas ali, absorvendo gostosamente as emanações dos pratos fumegantes.
(...)
_ Tanta admiração , somente por vê-los tomando alimentos pelas narinas? E nós outros? desconhece você , porventura, que o próprio homem encarnado recebe mais de setenta por cento da alimentação comum através dos princípios atmosféricos, captados pelos condutos respiratórios? Você não ignora també que as substâncias cozidas ao fogo sofrem profunda desintegração. Ora, os nossos irmãos, viciados nas sensações fisiológicas, encontram nos elementos desintegrados o mesmo sabor que experimentavam quando em uso do envoltório carnal.
(...)
_ Admitamos, contudo, a sua hipótese. Ainda que a mesa doméstica estivesse rodeada de entidades indignas, estranhas aos laços consanguíneos, resta a certeza de que as almas se reúnem obedecendo às tendências que lhes são características e à cricunstância de que cada Espírito tem as companhias que prefere.
(...)
_ A mesa familiar é sempre um receptáculo de influenciações de natureza invisível. Valendo-se dela, medite o homem no bem, e os trabalhadores espirituais, nas vizinhanças do pensador, virãop partilhar-lhe o serviço no campo abençoado dos bons pensamentos; conserve-se a família em plano superior, redendo culto às experiências elevadas da vida, e os orientadores da iluminação espiritual aproximar-se-ão, lançando no terreno da palestra construtiva as sementes das idéias novas, que então se movimentam com ableza
sublime da espontaneidade. Entretanto, pelos mesmos dispositivos da lei de afinidade, a maledicência atrairá os caluniadores invisíveis, e a ironia buscará., sem dúvida, as entidades galhofeiras e sarcásticas, que inspirarão o anedotário menos digno, deixando amrgem vastíssima à leviandade e à pertubação.
(...)
Desejei fazer-me visível aos companheiros desencarnados, sem luz, que se movimentavam no recinto, de maneira a palestrar com eles, sondando-lhes as experiências, mas Alexandre dissuadiu-me:
_ seria perder tempo - disse - e se você deseja beneficiá-los, venha téa qui noutra oportunidade, proque as cristalizações mentais de muitos anos são se desfazem com esclarecimentos vverbais dum dia. No momento, nosso objetivo é diverso. Precisamos obter informações sobre Raul...
(...)

(...)
Depois de rápidos minutos fomos defrontados por uma entidade de aspecto humilde, mas muito digno, a quem Alexandre, se dirigiu, afavelmente:
_ Meu amigo é visitador em função ativa?
_ Sim, para servi-lo - respondeu, atencioso, o interpelado.
(...)
_ Sim - esclareceu o interlocutor -, alguns amigos e eu tentamos socorrê-lo, mas em vista das condições da morte voluntária, friamente
deliberada...Permanecíamos em serviço com o fim de ampará-lo, quando se aproximou um< bando> e deslocou-o, facilmente, em virtude da harmonia de forças perversas.
(...)
_ Um < bando>? Mas o que significa? - interroguei.
(...)
_ O < bando> a que se refere o informante é a multidão de entidades deliquentes, dedicadas a prática do mal. Embora tenham influenciação limitada, em virtude das defesas numerosas que rodeiam os núcleos de nossos irmãos encarnados e as nossas próprias esferas de ação, levam a efeito muitas perturbações concentrando os impulsos de suas forças coletivas. (...)
_ Não se surpreenda, meu amigo. A morte física não é banho milagroso, que converta maus em bons e ignorantes em sábios, dum instante para outro. Há desencarnados que se apegam aos ambientes domésticos, à maneira da hera às paredes. Outros, contudo, e em vultoso número, revoltam-se nos círculos da ignorância que lhes é própria e constituem as chamadas legiões das trevas,
que afrontaram o próprio Jesus, por intermédio de obsidiados diversos. Organizam-se diabolicamente, formam cooperativas criminosas e ai daqueles que se transformam em seus companheiros! Os que caem na senda evolutiva, pelo descaso das oportunidades divinas, são escravos sofredores desses transitórios, mas terríveis poderes das sombras, em cativeiro que pode caracterizar-se por longa duração.
_ Mas o visitador regional, como guarda destes sítios - inquiri espantado - não poderia defender o suicida infeliz?
_ Se ele fosse vítima de assassínio, sim - respondeu o instrutor - porque, na condição real de vítima, o homem segrega determinadas correntes de força magnética suscetíveis de pô-lo em contacto com os missionários do auxílio; mas no suicídio previamente deliberado, sem a intromissão de inimigos ocultos, como este sob nossa observação, o desequilíbrio da alma é inexprimível e acarreta absoluta incapacidade de sintonia mental com os elementos superiores.
_ Mas, indaguei assombrado - , as sentinelas espirituais não poderiam socorrer independentemente?
(...)
_ Sendo a liberdade interior apanágio de todos os filhos da Criação, não seria possível organizar precipitados serviços dos sofrimentos, por ação propositada, com plena consciência de suas atitudes. Em tais casos, a dor funciona como medida de auxílio nas corrigendas indispensáveis...
(...)
_ André, mantenha-se em oração, ajudando-me por alguns momentos. Agora, que tenho informações positivas do visitador, preciso mobilizar minhas possibilidades de visão, sindicando quanto ao paradeiro do irmão infeliz. (...)
_ Podemos seguir adiante. O pobre irmão, semi-inconsciente, permanece imantado a um grupo perigoso de vampiros, em lugarejo próximo.
(...)
Em pouco tempo, distanciando-nos dos núcleos suburbanos, encontramo-nos nas vizinhanças de um grande matadouro.
Minha surpresa não tinha limites, porque observei a atitude de vigilância assumida pelo meu orientador, que penetrou firmemente a larga porta de entrada. Pelas vibrações ambientes, reconheci que o lugar era dos mais desagradáveis que conhecera, até então, em minha nova fase de esforço espiritual. Seguindo Alexandre de muito perto, via numerosos grupos de entidades francamente inferiores que se alojavam aqui e ali. Diante do local em que se processava a matança dos bovinos, percebi certo quadro
estarrecedor. Grande número de desencarnados em lastimáveis condições, atiravam-se aos borbotões de sangue vivo, como se procurassem beber o líquido em sede devoradora...
(...)
_ Está observando , André? Estes infelizes irmãos que nos não podem ver, pela deplorável situação de embrutecimento e inferioridade, estão sugando as forças do plasma sanguíneo dos animais. São famintos que causam piedade.
(...)
_ Por que tamanha sensação de pavor, meu amigo? Saia de si mesmo, quebre a concha da interpretação pessoal e venha para o campo largo da justificação. Não visitamos nós ambos, na esfera da crosta, os açougues mais diversos? Lembro-me de que em meu antigo lar terrestre havia sempre grande contentamento familiar oela matança dos porcos. A carcaça de carne e gordura significava abundância da cozinha e conforto do estômago. Com o mesmo direito, acercam-se os desencarnados, tão inferiores quanto já o fomos, dos animais mortos, cujo sangue fumegante lhes oferece vigorosos elementos vitais...
(...)
_ É o suicida que procuramos - exclamou o instrutor, claramente.
_ Quê? - perguntei, espantado - porque precisariam dele os vampiros?
_ Semelhantes infelizes - elucidou Alexandre - abusam de recém-desencarnados sem qualquer defesa, como este pobre Raul, nos primeiros dias que se sucedem a morte física, subtraindo-lhes as forças vitais, depois de lhes explorarem o corpo grosseiro...
(...)
_ O pobrezinho permanece temporariamente desmemoriado. O estado dele, depois de tão prolongada sucção de energias vitais, é de lamentável inconsciência.
(...)
_ Que deseja você? Esperaria por aqui o processo de menor esforço? O magnetismo do mal está igualmente cheio de poder, mormente para aqueles que caem voluntariamente sob os seus tentáculos.
(...)
_ Não podemos acordá-lo por nós mesmos? - interroguei admirado.
(...)
... Esquece-se de que vamos despertá-lo não só para a consciência própria, senão também para a dor? Romperemos a crosta de magnetismo inferior que o envolve e Raul regressará ao conhecimento da situação que lhe é própria; entretanto , sentirá o martírio do peito varado pelo projetil, rugirá de angústia ao contacto da sobrevivência dolorosa, criada, aliás, por ele mesmo. Ora, em tais casos, as primeiras impressões são francamente terríveis e escoam-se algumas horas antes de seguro alívio. E como outras obrigações
esperam por nós, será conveniente entregá-lo aos cuidados de outros amigos. (...)
_ Vamos, André! Nosso novo amigo está em crise cuja culminância não cederá antes de setenta horas, aproximadamente. Voltaremos mais tarde a vê-lo. ... Impressionava-me a complexidade do serviço "intercessório". As simples orações de uma esposa saudosa e dedicada haviam provocado atividades numerosas para o meu orientador e valiosos esclarecimentos para mim.
(...)
_ Tranquilize-se - disse-lhe o meu orientador, com inexprimível bondade - , sua situação é difícil, mas poderia ser muito pior. Há suicidas que permanecem agarrados aos despojos cadavéricos por tempo indeterminado, assistindo a decomposição orgânica e sentindo o ataque dos vermes vorazes.
(...)
_ No pequeno drama em observação, meu amigo, você pode calcular a extensão e complexidade de nossas tarefas no serviços "intercessórios". Os nossos companheiros encarnados pedem-nos, por vezes, determinados trabalhos, muito distantes do conhecimento das verdadeiras situações...
(...)"

Para conversarmos e estudarmos:
1) Qual a diferença entre Espíritos Protetores e Espíritos Visitadores? Qual a função daquele ? Qual a atividade deste?
2) Qual a diferença entre o suicídio e a morte premeditada? Há diferença?
3) Há amparo também ao suicída? De que forma?
4) O que significa < bando> ? Há diferenças entre < bandos> ? Quais?
5) Alexandre informa que os < bandos> têm influenciação limitada, a que se refere?
6) A que possibilidades de ampliação de visão se refere Alexandre?
7) Como especificara ou explicar o plasma sanguíneo encontrado nos animais?
8) Que elementos vitais se encontra no sangue dos animais? O que quer dizer Alexandre com : "..., subtraindo-lhes as forças vitais,
depois de lhes explorarem o corpo grosseiro..."?
9) O que quer dizer Alexandre quando afirma: "...O magnetismo do mal está igualmente cheio de poder..."?
10) Pode aquele que cometeu atentado contra a própria vida Ter uma assistência mais direta em menor tempo do que há conhecimento de longo estágio em vales de sombra? Como? Por que?
11) Qual a motivação para as determinações de horas expostas por Alexandre?
12) Afinal, o que é intercessão? Como ela se dá? Basta um simples pedido feito? Qual é o trabalho feito pelo serviço de intercessão?

--------------------------------------------------------

12 - Preparação de Experiências

Síntese: O capítulo trata da visita de André Luiz, juntamente com Alexandre, a uma instituição no plano espiritual onde são planejadas as reencarnações. A visita é feita após uma solicitação para que Alexandre auxiliasse no processo reencarnatório de Segismundo. Durante a visita, André Luiz toma contato com alguns aspectos relativos a reencarnação (e suas implicações) e toma contato com a situação de 4 espíritos, com experiências diferentes, que devem reencarnar em breve.

O caso Segismundo
- Segismundo deve reencarnar, num processo de resgate de faltas passadas, mas está encontrando a resistência do futuro pai, Adelino. O caso será analisado com detalhes no Cap. 13.

Comentários de Alexandre
- Grande percentagem de reencarnações se processa em moldes padronizados, no campo das manifestações puramente evolutivas. Outra percentagem obedece a programação mais complexa, num processo mais individual.
- No segundo caso, se enquadram os trabalhadores e missionários. Trabalhadores são aqueles que apresentam maior soma de qualidades superiores, embora ainda possuam débitos a ressarcir. Estes podem influenciar de alguma forma o processo reencarnatório, embora tais alterações nem sempre sejam agradáveis.
- A reencarnação é o meio, a educação divina é o fim. Temos necessidade da luta que corrige, renova, restaura e aperfeiçoa.
- O serviços de planejamento reencarnatório, na colônia espiritual, têm, portanto esta finalidade regulamentadora.

O Instituto de planejamento das reencarnações
- Grande movimentação de espíritos, tanto os que vão reencarnar, quanto os que estão intercedendo por outros.
- Planos adequados são estabelecidos de acordo com o serviço a ser desempenhado e o grau de adiantamento do reencarnante.
- A hereditariedade fisiológica funciona em todos os seres, mas sofre a influência dos que alcançam qualidades superiores ao ambiente geral. Forças mais elevadas podem imprimir modificações ao material genético.
- Todas as colônias de expressão elevadas mantém serviços semelhantes.
- O auxílio aos espíritos reencarnantes se traduz de duas formas: através de intercessão superior - se o reencarnante possui a razão esclarecida - ou através dos espíritos encarregados do trabalho reencarnacionista na Crosta - no caso do reencarnante em esforço puramente evolutivo.
- Dois modelos, a semelhança de estátuas, um masculino e outro feminino, revelavam detalhes da fisiologia do corpo físico e são observados com admiração, por André Luiz.

Os reencarnantes
a) Espírito iria reencarnar, após 15 anos de atividades de auxílio no plano espiritual, com objetivos de reparar erros passados. Estava um tanto hesitante, com receio de contrair novos débitos, devido ao esquecimento do passado. Acatou a sugestão de trazer um defeito físico na perna, a fim de se defender das tentações de natureza inferior, como antídoto à vaidade. Tem possibilidade de viver até 70 anos, pelo menos.
b) Anacleta vai reencarnar após 40 anos de trabalho em favor de espíritos familiares que estão em desequilíbrio. Pretende recebe-los como filhos, dois na condição de paralisia, outro com debilidade mental, e uma filha, também com problemas, mas que deverá auxilia-la na velhice do corpo. Repara o erro de outra encarnação, quando permitiu, como mãe, através da falta de disciplina e do excesso de mimo, que seus filhos não conseguissem enfrentar as lutas da vida.
c) Outra entidade que deve reencarnar, pede que haja interferência na formação das glândulas endócrinas, a fim de que o corpo não se apresente harmônico fisicamente, uma vez a beleza física poderia dificultar as tarefas que ela devia desempenhar.
d) André Luiz ainda analisa a situação de um espírito que deve reencarnar com a possibilidade de surgimento de uma úlcera logo que chegue a maioridade. Através deste processo, poderá resgatar um crime cometido há mais de cem anos antes, quando assassinou um homem a facadas. A vítima tornou-se seu obsessor e provocou gradativamente sua desencarnação. Após sofrer no plano espiritual, reergueu-se moralmente e obteve várias intercessões. No entanto, pela lei de ação e reação, o crime ainda permanece em aberto, e a reencarnação dolorosa servirá de pena e reparação.

Os completistas
O termo é usado no capítulo como título para aqueles espíritos que conseguem aproveitar integralmente todas as oportunidades oferecidas pela reencarnação. A situação é rara, uma vez que a grande maioria perde inúmeras possibilidades e desgasta sobremaneira o corpo físico. O completista tem a possibilidade de escolhar livremente o corpo da futura reencarnação, optando quase sempre por medidas que diminuam seu magnetismo pessoal, embora se preocupem com a saúde do corpo físico.

Referências sobre o tema:
O Livro dos Espíritos - qts 132, 166 a 171, 334 a 342
O Evangelho sgdo o Espitisimo - cap. IV - it 25 e 36
O Céu e o Inferno - Cap. V
A Gênese - cap. XI - it 33 e 34

1) De forma geral, conseguimos atender às finalidades de nossa encarnação atual? Por que?

2) O que Alexandre quer dizer, ao afirmar que grande parte das reencarnações se dão em moldes padronizados, atendendo puramente a manifestações evolutivas?

3) Quais os principais objetivos da reencarnação?

4) Por que nem todos os espíritos tem liberdade de influenciar no próprio processo reencarnatório?

5) Apresentado em sua primeira versão nos ultimos dias, o mapa genético conseguirá explicar todas as ocorrências com o ser humano? Qual a influência da hereditariedade no processo reencarnatório?

6) Em que consiste a chamada "intercessão espiritual"?

7) Por que a condição de completista é tão rara?

8) Por que a maioria dos espiritos que tem liberdade de influencia no processo reencarnatorio, opta por dificuldades na encarnação?

9) De que forma o esquecimento do passado nos beneficia durante a vida física?

--------------------------------------------------------

13 - Reencarnação

Continuando nosso estudo do livro "Missionários da Luz", vamos ao capítulo 13 - Reencarnação -, pedindo aos benfeitores espirituais que nos iluminem, para que possamos tirar o melhor proveito. O capítulo é extenso e rico em ensinamentos, pois, pela primeira vez, o plano espiritual nos faz revelações sobre como se dá, na prática, o processo reencarnatório.

Texto para estudo:

Após o trabalho de preparação estudado no capítulo anterior, Alexandre iniciou os procedimentos visando concretizar o processo reencarnatório de Segismundo. Para tanto, juntamente com André Luiz, compareceu à residência do casal Adelino e Raquel, protagonistas dos episódios pretéritos e com os quais o reencarnante deveria se harmonizar. Relata André Luiz:

" ... Depois de confortadora e instrutiva conversação, alcançamos o lar de Adelino.
Eram dezoito horas, aproximadamente.
Com surpresa, verifiquei que Herculano nos esperava no limiar. O instrutor, porém, informou-me que havia notificado o amigo sobre a nossa visita, recomendando-lhe trouxesse Segismundo para o trabalho de aproximação.
- Segismundo veio em minha companhia e espera-nos lá dentro. ..."

" ... Notei que o desencarnado abraçara-se com Alexandre, chorando convulsivamente.
O instrutor acolhia-o como pai, e, após ouvi-lo durante alguns minutos, falou-lhe compassivamente:
- Acalme-se, meu amigo! quem não terá suas lutas, seus problemas, suas dores?
E se todos somos devedores uns dos outros não será motivo de júbilo e glorificação receber as sublimes possibilidades de resgate e pagamento? Não chore! Tenha coragem. O ensejo próximo é divino para o seu futuro espiritual. Organizaremos as coisas, não tenha receio.
- Entretanto, meu amigo - falou o interlocutor, em lágrimas -, experimento grandes obstáculos.
E acentuava em tom humilde:
- Reconheço que fui um grande criminoso, mas pretendo redimir as velhas culpas.
Adelino, porém, apesar das promessas na esfera espiritual, esqueceu, na recapitulação presente, o perdão aos meus antigos erros...".

Sobre Adelino, que se encontrava à mesa de jantar com Raquel e o filho, o instrutor relata:
" - Em verdade, a condição espiritual de Adelino é das piores, porque o sublime amor do altar doméstico anda muito longe, quando os cônjuges perdem o gosto de conversar entre si. Em semelhante estado psíquico, não poderá ser útil, de modo algum, aos nossos propósitos
Assim dizendo, o devotado orientador aproximou-se da criança ... e colocou-lhe a destra sobre o coração. Vi que o pequeno sorriu, mostrando novo brilho nos olhos azuis ...
O chefe da pequena família, tocado nas fibras recônditas da alma pela ternura do filhinho e pela humildade sincera da companheira, sentiu que a nuvem de sombra dos seus próprios pensamentos dava lugar a repousantes sensações de alívio confortador...".
E falando sobre os sonhos que vinha tendo, relatou Adelino à esposa:
" - Sempre vejo que um homem se aproxima de mim, estendendo as mãos, à maneira
dum mendigo vulgar a implorar socorro, mas, ao lhe fixar a fisionomia, inexplicável terror invade-me o espírito... Tenho a impressão de que ele deseja assassinar-me pelas costas...".

" ... O quadro interior era dos mais comoventes. O pequenino pusera-se de joelhos e fazia a oração dominical, com infantil emotividade. Adelino e a companheira seguiam-lhe a prece com grande atenção. ... Muito sensibilizado, Adelino deixou escapar uma lágrima furtiva, quando o filho, terminando as preces, curtas em palavras e grandiosas em espiritualidade, lhe beijou carinhosamente as mãos..
Mais alguns minutos e todos se recolhiam sob os cobertores, felizes e tranqüilos.
Nesse instante, Alexandre falou:
- Agora, meus amigos, façamos o nosso serviço de oração cooperadora. Precisamos conversar seriamente com Adelino, relativamente à situação. ..."

" ... Nesse momento, o esposo de Raquel afastava-se do corpo físico. .
O bondoso instrutor dirigiu-se para ele ...:
- Que temes, meu irmão?
- Esse fantasma enlouquece-me! Sinto-me doente, desventurado!...
- É assim que recebes os irmãos mais infelizes? Recebe com caridade o mendigo que te bate à porta. ..."

" ... Amparando a ex-vítima, Alexandre indicou-lhe a figura do ex-assassino e apresentou:
- Este é o nosso amigo Segismundo que necessita de tua cooperação no serviço redentor. Estende-lhe as mãos fraternas e atende em nome de Jesus!
- Perdoe-me, irmão! - murmurou Segismundo, com infinita humildade. - O Senhor recompensá-lo-á pelo bem que me faz! ...
- Disponha de mim...serei seu amigo!..."

" Ao se retirar, Alexandre, satisfeito, comentou paternalmente:
- Com o auxílio de Jesus, a tarefa foi executada com êxito.
E, fixando Segismundo, acrescentou:
- Creio que na próxima semana poderá iniciar o seu serviço definitivo de reencarnação. Acompanhá-lo-emos com carinho. Não receie coisa alguma."

Indagado por André Luiz sobre por que não seria lícito providenciar a reencarnação do necessitado, sem quaisquer delongas, Alexandre explicou:
" - ... O pensamento envenenado de Adelino destruía a substância da hereditariedade.... Ora, no caso de Segismundo, unido a ele em processo ativo de redenção, não podemos dispensar-lhe o concurso amoroso e fraterno. Daí a necessidade desse trabalho intenso para despertar-lhe os valores afetivos. Somente o amor proporciona vida, alegria e equilíbrio. Adelino emitirá doravante forças magnéticas protetoras dos elementos destinados ao serviço elevado da procriação."

Em seguida, o instrutor fez uma explanação a André Luiz expondo o papel do sexo no ato reencarnatório:
" ... - O sexo tem sido tão aviltado pela maioria dos homens reencarnados na Crosta que é muito difícil para nós outros, por enquanto, elucidar o raciocínio humano, com referência ao assunto. Basta dizer que a união sexual entre a maioria dos homens e mulheres terrestres se aproxima dessa natureza entre os irracionais....
"... - É lamentável que a maioria dos nossos irmãos encarnados na Crosta tenha menosprezado as faculdades criativas do sexo, desviando-as para o vórtice de prazeres inferiores. Todos pagarão, porém, ceitil por ceitil, o que devem ao altar santificado ...
"... - Ninguém contesta esse caráter das manifestações sexuais nos círculos da carne, mas todas as leis naturais na experiência humana devem ser exercidas sobre as bases da lei universal do bem e da ordem.... As uniões sexuais, portanto, que se efetuem a
distância desses sublimes imperativos, transformam-se em causas geradoras de sofrimento e perturbação. ..."

Mais tarde, Alexandre e André Luiz retornaram à casa de Adelino e Raquel, encontrando o auxiliar Herculano e Segismundo em companhia de outros espíritos, espíritos construtores, que iam cooperar na formação fetal do reencarnante. Enquanto Alexandre examinava os mapas cromossômicos que ensejariam o novo corpo, Segismundo conversava com André Luiz:
" - Já estive mais animado, entretanto, agora, falece-me a energia... Sinto-me fraco, incapacitado... agora que consegui a dádiva do retorno à luta, tenho receio de novos fracassos... Ai de mim, se cair outra vez!..."

Findo o exame da documentação, Alexandre aproximou-se e disse:
" - Segismundo, é incrível que desfaleça no momento culminante de suas atuais realizações. Restaure a sua fé, regenere a esperança, porque você não pode entrar na corrente material, à maneira dos nossos irmãos ignorantes e infelizes, que reclamam quase absoluto estado de inconsciência para penetrarem, de novo, o santuário maternal..."

Explicou, então, Alexandre que existem espíritos que reencarnam inconscientes do ato que realizam, assim como os que desencarnam sem a menor noção do ato que experimentam. " ... A maioria dos que retornam à existência corporal na esfera do Globo é magnetizada pelos benfeitores espirituais, que lhe organizam novas tarefas redentoras, e quantos recebem semelhante auxílio são conduzidos ao templo maternal de carne como crianças adormecidas. O trabalho inicial, que a rigor lhes compete na organização do feto, passa a ser executado pela mente materna e pelos amigos que os ajudam de nosso plano...", explanou o instrutor. E concluiu:
" - Voltaremos na noite de amanhã, para a ligação inicial, fazendo a entrega de nosso irmão reencarnante aos nossos amigos."

André Luiz aguardava ansioso o momento de retornar ao lar do casal para a conclusão do trabalho. "Em que momento aconteceria?"..., pensava. Alexandre, então, esclareceu:
" - Não é necessária a nossa presença ao ato de união celular. Semelhantes momentos do tálamo conjugal são sublimes e invioláveis nos lares em bases retas. Você sabe que a fecundação do óvulo materno somente se verifica algumas horas depois da união genésica. O elemento masculino deve fazer extensa viagem antes de atingir o objetivo."

" ... Eram aproximadamente vinte e duas horas, quando nos pusemos a caminho da residência de Raquel.
Passamos, em seguida, à pequena câmara, onde Segismundo repousava. Permanecia ele aflito, de olhar triste e vagueante.
" - Por que motivo Segismundo sofre tanto? - indaguei de Alexandre, em tom discreto.
- Desde muito, particularmente, desde a semana passada, está em processo de ligação fluídica direta com os futuros pais. Herculano está encarregado de ajudá-lo nesse trabalho.
À medida que se intensifica semelhante aproximação, ele vai perdendo os pontos de contato com os veículo que consolidou em nossa esfera.... Semelhante operação é necessária para que o organismo perispiritual possa retomar a plasticidade que lhe é característica e, no estágio em que ele se encontra, o serviço impõe-lhe sofrimentos...."

" Os Espíritos Construtores começaram o trabalho de magnetização do corpo perispirítico, no que eram amplamente secundados pelo esforço do abnegado orientador....
... Sem que me possa fazer compreendido de pronto pelo leitor comum, devo dizer que "alguma coisa da forma de Segismundo estava sendo eliminada". Quase que imperceptivelmente, à medida que se intensificavam as operações magnéticas, tornava-se mais pálido. Seu olhar parecia penetrar outros domínios. Tornava-se vago, menos lúcido....
" - Agora - continuou o instrutor - sintonize conosco relativamente à forma pré-infantil.
Mentalize sua volta ao refúgio maternal da carne terrestre! Lembre-se da organização fetal, faça-se pequenino! Imagine sua necessidade de tornar a ser criança para aprender a ser homem!"

" Surpreendido, reconheci que, ao influxo magnético de Alexandre e dos Construtores Espirituais, a forma perispiritual de Segismundo tornava-se reduzida. ...
Segismundo parecia cada vez menos consciente. Não nos fixava com a mesma lucidez e suas repostas às nossas perguntas afetuosas não se revelavam completas.
Por fim, com grande assombro meu, verifiquei que a forma de nosso amigo assemelhava-se à de uma criança."

O fenômeno observado espantou André Luiz, que indagou do instrutor se o procedimento adotado para a reencarnação de Segismundo era regra geral.
" - De modo algum - respondeu o instrutor - os processos de reencarnação, tanto quanto os da morte física, diferem ao infinito, não existindo, segundo cremos, dois absolutamente iguais. As facilidades e obstáculos estão subordinados a fatores numerosos, muitas vezes relativos ao estado consciencial dos próprios interessados no regresso à Crosta ou na libertação dos veículos carnais. Há companheiros de grande elevação que, ao voltarem à esfera mais densa em apostolado de serviço e iluminação, quase dispensam o nosso concurso. Outros irmãos nossos, contudo, procedentes de zonas inferiores, necessitam de cooperação muito mais complexa que a exercida no caso de Segismundo.... '
" ... - Não podemos esquecer, no entanto, que a reencarnação é o curso repetido de lições necessárias. A esfera da Crosta é uma escola divina. E o amor, por intermédio das atividades "intercessórias", reconduz diariamente ao banco escolar da carne milhões de aprendizes....
" ... - A reencarnação de Segismundo obedece às diretrizes mais comuns... porquanto o nosso irmão pertence à enorme classe média dos Espíritos que habitam a Crosta, nem altamente bons, nem conscientemente maus...."

Quis, ainda, André Luiz saber do instrutor " ... e se nos achássemos numa casa típica de deboche carnal? E se fôssemos aqui defrontados por paixões criminosas e desvarios desequilibrantes?" Explicou-lhe, então, Alexandre:
" - As vibrações contraditórias e subversivas das paixões desvairadas da alma em desequilíbrio, comprometem os nossos melhores esforços, e, muitas vezes, nessas paisagens de irresponsabilidade e viciação, para ajudar, em obediência ao nosso ministério, devemos, antes de tudo, lutar contra entidades monstruosas, dominadoras dos círculos de vida dos homens e das mulheres que, imprevidentemente, escolhem o perigoso caminho da perturbação emocional, onde tais entidades ignorantes e desequilibradas transitam.... Certas almas heróicas escolhem semelhante entrada na existência carnal, a fim de se fortalecerem nas resistências supremas contra o mal, desde os primeiros dias de serviço uterino. ... Muitos fracassam; todavia, há sempre grande quantidade que retiram os melhores lucros espirituais...".

" Em seguida Alexandre convidou os Construtores a examinarem os mapas cromossômicos, em companhia dele, junto de Herculano. ...
" - Com exceção do tubo arterial, na parte a dilatar-se para o mecanismo do coração, tudo irá muito bem. Todos os genes poderão ser localizados com normalidade absoluta.... Os membros e os órgãos serão excelentes. E se o nosso amigo souber valorizar as oportunidades do futuro, possivelmente conquistará o equilíbrio circulatório.... Depende dele o êxito preciso.
Voltando-se para os Construtores, falou-lhes, afável:
- Meus amigos, o nosso Herculano permanecerá em definitivo junto de Segismundo, na nova experiência, até que ele atinja os sete anos, após o renascimento, ocasião em que o processo reencarnacionista estará consolidado. Depois desse período, a sua tarefa de amigo e orientador será amenizada, visto que seguirá o nosso irmão em sentido mais distante...".

" Enquanto se estendia, sob meus olhos, aqueles microscópicos sinais, facultando amplo exame da célula-ovo,... perguntei:
- Temos, nestes mapas, a geografia dos genes da hereditariedade distribuídos nos cromossomos. A lei da herança, porém, será ilimitada? A criatura receberá, ao renascer, a total imposição dos característicos dos pais? As enfermidades ou as disposições criminosas serão transmissíveis de maneira integral?
- Não, André - ... O organismo dos nascituros, em sua expressão mais densa, provém do corpo dos pais, que lhes entretêm a vida e lhes criam os caracteres com o próprio sangue; todavia ... não devemos ver a subversão dos princípios de liberdade espiritual, imanente na ordem da Criação Infinita. Por isso mesmo, a criatura herda tendências e não qualidades. ... Se o Espírito reencarnado estima tendências inferiores, desenvolvê-las-á, ao reencontrá-las. ... se a alma que regressa ao mundo permanece disposta ao serviço de auto elevação, sobrepairará a quaisquer exigências menos nobres do corpo ou do ambiente, triunfando sobre as condições adversas e obtendo títulos de vitória da mais alta significação para a vida eterna. ...".

" Congregando todos os companheiros em torno de si, como figura máxima daquela reunião, Alexandre falou, gravemente:
- Agora, meus irmãos, penetremos a câmara de nossos dedicados colaboradores para que se efetue o júbilo da união espiritual.
E depositando Segismundo nos braços da entidade que fora na Crosta Terrestre a carinhosa mãe de Raquel, acentuou:
- Seja você, minha irmã, a portadora do sagrado depósito. ... Faremos agora o ato de ligação inicial, em sentido direto, de Segismundo com a matéria orgânica. Espero, porém, a visita reiterada de todos vocês ao nosso irmão reencarnante, principalmente no período de gestação do seu corpo futuro. ...".

" Mais de cem amigos se reuniam ali, prestando-lhe afetuosa homenagem. Alexandre caminhou à nossa frente, cumprim

--------------------------------------------------------

14 - Proteção

....Observei, interessado, a extraordinária movimentação celular, no desenvolvimento da estrutura do novo corpo em formação e anotei o cuidado empregado pelos Espíritos presentes para que o disco embrionário fôsse esculturado com a exatidão devida.

- A engenharia orgânica - exclamou o chefe do trabalho, bem humorado - reclama bases perfeitas. O corpo canal é um edifício delicado e complexo. Urge cuidar dos alicerces com serenidade e conhecimento.

....Temos grande responsabilidade na missão construtiva do mecanismo fetal. Há que remover empecilhos e auxiliar os organismos unicelulares do embrião, na intimidade do útero materno, para que a reencarnação, por vezes tão dificilmente projetada e elaborada, não venha a falhar, de início, por falta de colaboração do nosso plano, onde são tomados os compromissos.

.... Em razão disso - prosseguiu ele -, o aborto muito raramente se verifica obedecendo a causas de nossa esfera de ação.

...Nesse momento, porém, nossa conversação foi interrompida. Pequeno grupo de entidades amigas pedia a presença de Apuleio, fora da câmara de serviço. Muito gentil, o chefe de trabalho convidou-me a acompanhá-lo.

Apresentou-se o grupo com desembaraço.Constituía-se de duas senhoras desencarnadas, amigas de Raquel, e de um amigo de Segismundo, desejosos de testemunhar-lhes afeto e dedicação, na experiência em curso. Vinham de nossa colônia espiritual, em serviço de assistência a familiares detidos na Crosta, e pretendiam aproveitar a oportunidade para a visita carinhosa.

O Diretor ouviu-os, atencioso, bem humorado, mas, com imensa surpresa para mim, observou:
- Como responsáveis pela organização primordial do novo corpo de carne do nosso irmão Segismundo, agradecemos a atenção de todos, porém não podemos autorizar a visita a esta hora. Estamos aproveitando o escasso tempo de harmonia relativa que a mente maternal nos oferece para delicados serviços de magnetização celular mais urgente.
E sorrindo, afável, acrescentou:
- Depois do vigésimo primeiro dia, porém, quando o embrião atingir a configuração básica, nossos amigos podem ser visitados a qualquer hora, salientando-se que a esse tempo, ambos, mãe e filho, conseguirão ausentar-se do corpo com facilidade. Por enquanto, nosso amigo Segismundo não pode afastar-se e a nossa irmã Raquel, ainda mesmo em estado de sono físico, é obrigada a permanecer junto de nós, a pequena distância.
Não há dúvida! - replicou o cavaleiro de nossa esfera - não desejamos perturbar o desenvolvimento do trabalho.
- Sabemos que Raquel ficaria muitíssimo comovida com o nosso abraço pessoal - comentou uma das senhoras. - A alegria inesperada de qualquer modo, é também um choque.
- É o que precisamos evitar - replicou Apuleio, satisfeito -; desejo, todavia, fazer-lhes sentir que Segismundo necessita de amparo espiritual de todos nós. Temos recomendação de notificar a todos os seus amigos, quanto à presente reencarnação dele, a fim de que venham até aqui, quando lhes seja possível, não somente para beneficiá-lo como os valos do estímulo espiritual, senão também para colaborarem com as suas vibrações de simpatia na organização harmoniosa do feto.

... A sós, de novo, Apuleio esclareceu-me, bondoso:

_ O momento que atravessamos é delicado e não podemos distrair a atenção.
.................................
No vigésimo dia de serviço, Apuleio mostrava-se muito satisfeito. Informou-me de que o trabalho básico estava pronto. Alguns cooperadores poderiam mesmo afastar-se. Para a continuidade da tarefa, bastariam dois deles, associados ao esforço contínuo de Herculano.
--------------------------------------------------------------------------------
BIBLIOGRAFIA

LIVRO DOS ESPÍRITOS: questões 339 a 345, 350 a 354

TÓPICOS PARA DEBATES

1 - Diante da recusa de certos casais em receber um ser, que está sendo gerado, na presente reencarnação ou em passadas, quais as possíveis consequências derivado dessa atitude? E qual a atitude dos espíritos ?

2 - Porque motivo o grupo de amigos não poderia entrar na câmara de Raquel?

3 - Qual seria o motivo da tristeza de Segismundo durante o processo reencarnatório?

4 - De que maneira nossos afetos, no plano espiritual podem nos auxiliar nesse processo de reencarnação?

5 - Estaria totalmente encerrado o processo de reencarnação com renascimento?

-------------------------------------------------------

15 - Fracasso

"(...)
_ ... Entretanto, seria justo observasse algum processo diferente, dos que existem por aí às centenas, em que somos defrontados por obstáculos de toda espécie...
(...)
_ Quer dizer, então - redarguiu o meu instrutor com sabedoria -, que a futura mãe não correspondeu à expectativa do nosso plano de ação...

_ Isto mesmo - prosseguiu o interlocutor - Enquanto desequlíbrios se localizam na esfera paternal ou procedem da influência de entidades malignas, simplesmente, há recursos a interpor; no entanto, se a desarmonia parte do campo materno, é muito difícil estabelecer proteção eficiente. A pobre criatura, por duas vezes sucessivas, provocou o aborto inconsciente pelo excesso de leviandade e, atualmente, será vítima das próprias irreflexões pela terceira vez, segundo parece. Debalde temos oferecido o socorro de que podemos dispor. A infeliz deixou-se empolgar pela idéia de gozar a vida e irmanou-se a entidades desencarnadas da pior espécie, que, para acentuar os seus planos sombrios, separaram-na do próprio companheiro, ansiosas por lhe precipitarem o coração na esfera das emoções baixas.
(...)
_ Volpini atingiu agora o sétimo mês de gestação da nova forma física, mas a noite próxima será decisiva para ele. Já recebi um apelo dos colaboradores que ficaram nas imediações do caso, em serviço ativo, no sentido de evitar certas extravagâncias da futura mãe, projetadas para hoje; entretanto, não creio sejamos por ela obedecidos. A organização fetal não se encontra em condições de suportar novos desequilíbrios, e, se a pobrezinha não despertar para o dever, abrirá, ainda hoje, uma terceira falência...
(...)
Seguindo o diretor, penetramos um aposento bem mobiliado, onde se encontravam três entidades desencarnadas, de horrenda figura, que, em virtude do baixo padrão vibratório, não perceberam a nossa presença. Conversavam entre si, combinando medidas detestáveis que não cabe aqui relacionar. A certa altura da palestra, porém, referiam-se ao caso da reencarnação, de maneira franca:
_ Não sei - comentou um daqueles perversos inimigos do bem - por que arte infernal vem resistindo o intruso. Despeja-lo-emos na primeira oportunidade.
_ Quando isso ocorre - disse outro - é que há "mãos de anjos" trabalhando por trás.
_ Pois que vão para o inferno! - exclamou o que parecia mais cruel - Veremos quem pode mais. Cesarina já nos pertence noventa por cento. Atende perfeitamente aos nossos propósitos. Porque um filho intrujão em nossos planos? É preciso combater até ao fim.
_ No entanto - considerou o terceiro, que até então, se mantinha em silêncio -, há mais de seis meses estamos trabalhando em vão por alijá-lo!
_ Mas temos conseguido muito - tornou o mais revoltado -; não creio que ele se possa aguentar por muito tempo. Talvez hoje façamos o resto. Um filho viria roubar-nos, talvez a companheira com que contamosa gora. Todas as atenções dela convergiriam para ele e o nosso prejuízo seria enorme. Mas, se existem "mãos de anjos" trabalhando, temos "mãos de demônios"para agir também. Já vencemos duas vezes; porque não vencer igualmente agora?
_ E se o filho vier - considerou um dos interlocutores - certamente virá o esposo de regresso. Não poderemos conservá-lo a distância, por amis tempo, caso isso se verifique.
_ Isto, nunca! - respondeu o adversário mais feroz, com inflexão sinistra.
(...)
Enquanto a senhora se sentava à frente de grande espelho, dando início a complicados arranjos de apresentação festiva, os cooperadores de Apuleio se aproximaram, saudando-nos , atenciosos.
_ Infelizmente - disse um deles ao chefe - a situação é muito grave. É impossível prosseguir em nosso esforço de assistência, com o êxito desejável. Nossa irmã afunda-se, cada vez mais, nos desequilíbrios destruídores. Unindo-se voluntariamente - e indicou as entidades viciosas que a cercavam - a estes adversários infelizes, entrega-se, agora, a prazeres e abusos de toda sorte. Seus desvios sexuais, nos últimos dias, têm sido lastimáveis, e enorme é a quantidade de alcoólicos , aparentemente inofensivos, de que tem feito consumo sistemático. Aliados semelhantes distúrbios às vibrações desordenadas do plano mental, vemos que a posição de Volpini é insustentável, não obstante nossos melhores esforços de socorro.
(...)
_ Já sei o que se projeta para esta noite.
_ Sim - considerou o interlocutor -, apelamos para a sua autoridade, porque a organização fetal não poderá resistir a uma nova investida.
(...)
... A forma física embrionária demosntrava manchas violáceas, revelando dilacerações. Pequeninos monstros, somente perceptíveis ao nosso olhar, nadavam no líquido amniótico, invadindo o cordão umbilical e apropriando-se da maior parte do delicado alimento reservado ao corpo em formação. Toda a placenta era assediada por eles, provocando-me terrível impressão. Percebi, pela intensa anormalidade dos órgãos geradores, que o aborto não poderia demorar-se.
(...)
_ Esta - disse-me ele, indicando-a - é a dona da casa e velha amiga de Cesarina, sucetível de receber-nos a influenciação. Aproveitar-lhe-ei o concurso para que a nossa desventurada irmão, de futuro, não possa dizer que lhe faltou assist6encia e cosnelho adequado.
(...)
E a respeitável amiga continuou advertindo com severidade maternal, enquanto a futura mãe de Volpini se mantinha em franca posição de negativa e impermeabilidade.
(...)
_ Podem regressar à nossa colonia, em descanso. Nada mais têm que fazer, por agora. O dever de todos foi bem cumprido.
(...)
_ irei, eu mesmo, em companhia de André, buscar Volpini para recolhê-lo em lugar conveniente.
O ambiente era de consternação, porque, se os Espíritos Superiores são equilibrados, não são insensíveis.
(...)
Apuleio aproximou-se e retirou Volpini, que a ela se abraçava como criança semiconsciente. Em seguida, vi-o aplicar passer magnéticos em toda a região uterinam empregando infinito cuidado. Retomando Volpini, que confiara às minhas mãos, para poder operar com eficiência, falou-me calmo:
_ Desliguei o reencarnante do santuário maternal; entretanto não deveriamos esquecer de ministrar o devido socorro à mãe invigilante. Ela precisa continuar a luta terrestre, quanto possível, para aproveitar alguma coisa da oportunidade...
(...)
Fortemente impressionado, vim a saber que Cesarina, em gravíssimas condições, acabava de da à luz uma criança morta."

-------------------------
Tópicos para conversarmos em estudo:

1) Somente o ato violento de retirada do embrião/feto é considerado aborto?
2) Qual a influência do comportamento materno para que a gestação transcorra bem? Por que?
3) O aborto inconsciente(conforme nos informa André Luiz) tem alguma atenuante? Qual e por que?
4) Em termos terrenos, somente o aborto praticado visivelmente é considerado crime. Em termos espirituais, há diferença entre o aborto praticado e o aborto inconsciente?
5) Há diferenças no desligamento do reencarnante conforme o tipo de aborto praticado ou inconsciente? Qual?
6) Como encarar a obsessão na gestante?
7) De que forma podemos entender o ataque à forma física embrionária descrita por André Luiz? Quais as consequências dela? Estaria o Espírito sendo atingido tb?


Bibliografia
Livro dos Espíritos: Introdução , item VI,
Parte segunda
Capítulo IV - Da pluralidade das existências
Capítulo VII - Da volta do Espírito à vida corporal
Parte terceira
- Capítulo IV - Da Lei de Reprodução
- Capítulo VII - Da lei de Sociedade
- Capítulo X - Da lei de liberdade
- Capítulo XI - Da lei de justiça, de amor e de caridade
Parte quarta
- Capítulo I e II

O Evangelho segundo o Espiritismo
Capítulos II - III - IV - VIII - XI - XIV - XVI - XVII - XXIII -

A Gênese
Capítulo XI, item 18

O Céu e o Inferno
p. 93/95

Apenas algumas leituras suplementares:

01) Vida e Sexo - Francisco Cândido Xavier por Emmanuel
02) Evolução em Dois Mundos - capítulo XIII - segunda aprte - Francisco
Cândido Xavier e Waldo Vieira por André Luiz
03) Código Penal Brasileiro e Estatuto da Criança e do Adolescente
04) Facure, Nubor Orlando. in: O Aborto e a psicologia fetal. Artigo
publicado na Folha espírita, edição de julho de 1994
05) Calligaris, Rodolfo. in: A Vida em Família
06) Entre a Terra e o Céu, Francisco Cândido Xavier por André Luiz
07) Nossos Filhos são Espíritos. Hermínio C. Miranda
08) Adolescência e Vida. Divaldo P. Franco por Joanna de Ângelis
09) O Sexo & o Amor em nossas vidas. Celso Martins
10) Atualidade do Pensamento Espírita. Divaldo P. Franco por Vianna de Carvalho
11) Entrevista de Hermínio C. Miranda em nossa HP www.cvdee.org.br . tema:
Processo Reencarnatório

--------------------------------------------------------

16 - Incorporação

(...)
_ Não tenho qualquer objeção pessoal, em face da provid6encia que você sugere, meu caro Euclides; entretanto, embora se constitua o nosso grupo de cooperadores encarnados de excelentes amigos, não os vejo convenientemente preparados para o integral aproveitamento da experiência. Sobra em quase todos eles, na investigação e no raciocínio, o que lhes falta em sentimento
e compreensão. Colocam a pesquisa muito acima do entendimento e, como você sabe, as organizações mediúnicas não são filtros mecânicos...
(...)
_ Mediunicamente falando, as medidas são as mesmas adotadas nos caos de psicografia comum, acrescentando-se, porém, que necessitaremos proteger, com especial carinho, o centro da linguagem na zona motora, fazendo refletir nosso auxílio magnético sobre todos os músculos da fala, localizados ao longo da boca, da garganta, laringe, tórax e abdômen.
(....)
_ Nossos amigos do círculo pedem a sua presença pelo menos por alguns minutos - prosseguiu o mentor , gentil e, deliberei conduzi-lo até lá, para que você fale, não somente a eles, mas também aos familiares...
(...)
_ Ouça, porem, meu amigo! - tornou Alexandre sereno e enérgico - é indispensável que você medite sobre o acontecimento. Lembre-se de que você vai utilizar um aparelho neuro-muscular que lhe não pertence. Nossa amiga Otávia servirá de intermediária. No entanto, você não deve desconhecer as dificuldades de um médium para satisfazer a particularidades técnicas de identificação dos comunicantes, diante das exigências de nossos irmãos encarnados. ..
(...)
_ Sim, replicou Dionísio, algo desapontado, ... Recordo-me de que muitas vezes recebi as comunicações do plano invisível., através de Otávia, com muitas prevenções, e , não raro, vacilei, acreditando-a vítima de inúmeras mistificações.
(...)
_ Pois bem, agora chegou sua vez de experimentar. E se, antigamente, era tão fácil para você duvidar dos outros, desculpe a fraqueza dos nossos irmãos encarnados, caso agora duvidem de seu esforço...
(...)
_ ... Conduzi-lo-ei em nossa companhia, deixando-o, na residência da médium, com alguma horas de antecedência para que encontre facilidades no serviço de harmonização.
(...)
_ Nesta parte da casa - explicou-nos o guia acolhedor - a nossa irmã Otávia costuma fazer meditações e preces. A atmosfera reinante, aqui, é , por isso confortadora, leve e balsâmica. Estejam à vontade.Em vista de ser hoje um dos dias consagrados ao serviço mediúnico, terminará ela os trabalhos de refeição da tarde, mais cedo, a fim de orar e preparar-se.
(...)
_ Otávia é uma excelente colaboradora de nossos serviços espirituais, mas, pela força das provas necessárias à redenção, permanece unida a um homem ignorante e quase cruel...
(...)
_ Tão logo prometi, ontem, alegremente, a vinda de Dionísio, desejoso de incentivar o bom ânimo dos amigos encarnados, contando com o concurso mediúnico de nossa irmã, piorou a situação psíquica do esposo imprevidente. Leonardo, amanheceu hoje mais nervoso que de costume, embebedou-se pouco antes do almoço, insultou a companheira humilde e chegou mesmo a infligir-lhe tormentos físicos. Assustada, a bondosa Senhora sofreu tremendo choque nervoso que lhe atingiu o fígado, encontrando-se, no momento, sob forte perturbação gastrointestinal. Por isso, a alimentação dela foi muito deficiente durante o dia e não tem podido manter a harmonia precisa da mente para atender, com exatidão, aos nossos propósitos....
(...)
_ Como sabe a harmonia não e realização que se improvise, e , se nós, os desencarnados devotados ao bem, estamos em luta frequente pela nossa iluminação íntima, os médiuns são criaturas humanas, suscetíveis às vicissitudes e aos desequilíbrios da esfera carnal...
_ .... não teremos alguém que a substitua? Ela está quase cambaleante...
_ Todos os serviços exigem preparo, treinamento... não poderemos trazer alguém que faça as vezes de Otávia, dum instante para outro.
(...)
Euclides acomodou Dionísio ao lado dela, e, enquanto a médium se concentrava em oração, o dedicado amigo aplicava-lhe passes magnéticos, fortalecendo os nervos das vísceras e ministrando, ao que percebi, vigorosas cotas de força, não somente às fibras nervosas, mas também às células gliais.
(...)
Dionísio começou a falar-lhe de suas necessidades espirituais, comentando a esperança de fazer-se sentir, junto da família terrena e dos antigos colegas de aprendizados espiritualista, notando eu que a médium lhe registrava a presença e a linguagem em forma e figuração e lembrança aparentemente imaginárias, na esfera do pensamento...
(...)
Tudo ia bem e não me cansava de admirar aquele inesperado serviço de preparação mediúnica, quando aconteceu alguma coisa muito grave. O dono da casa chegava, quebrando, de modo violento, a tranquilidade das vibrações em que nos mergulhávamos...
(...)
Reconheci que o instrutor, de relance, notou o estado de abatimento da médium, percebendo as dificuldades que se opunham à prometida comunicação de Dionísio, mas , longe de se referir às advertências da véspera, ele próprio, agora, era quem se mostrava mais otimista...
(...)
Mais uma vez, contemplava, admirado, o fenômeno luminoso da epífise e acompanhava o valioso trabalho de Alexandre na técnica de preparação mediúnica...
Terminada a oração e levado a efeito o equilíbrio vibratório do ambiente, com a cooperação de numerosos servidores de nosso plano, Otávia foi cuidadosamente afastada do veículo físico, em sentido parcial, aproximando-se Dionísio, que também parcialmente começou a utilizar-se das possibilidades dela. Otávia mantinha-se a reduzida distância, mas com poderes para retomar o corpo a qualquer momento num impulso próprio, guardando relativa consciência do que estava ocorrendo, enquanto que Dionísio conseguia falar, de si mesmo, mobilizando, no entanto, potências que lhe não pertenciam e que deveria usar, cuidadosamente, sob o controle
direto da proprietária legítima e com a vigilância afetuosa de amigos benfeitores, que lhe fiscalizavam a expressão com o olhar, de modo a mantê-lo em boa posição de equilíbrio emotivo.Reconheci que o processo de incorporação comum era mais ou menos idêntico ao da enxertia da arvore frutífera. A planta estranha revela suas características e oferece seus frutos particulares, mas a árvore enxertada não perde sua personalidade. Ali também, Dionísio era elemento que aderia às faculdades de Otávia, utilizando-as na produção de valores espirituais que lhe eram característicos, mas naturalmente subordinado à médium, sem cujo crescimento
mental, fortaleza e receptividade, não poderia o comunicante revelar os caracteres de si mesmo, perante os assistentes.Por isso mesmo, logicamente, não era possível isolar, por completo, a influenciaçao de Otávia vigilante.
A casa física era seu templo, que urgia defender contra qualquer expressão desequilibrante, e nenhum de nós, os desencarnados presentes, tinha o direito de exigir-lhe maior afastamento , porquanto lhe competia guardar as suas potências fisiológicas e preservá-las contra o mal, perto de nós outros, ou a distância de nossa assistência afetiva.
A nossa atmosfera de harmonia, porém, não conseguia, sossegar a perturbadora expectativa dos companheiros encarnados.
Entre nós, prevaleciam o controle, a disciplina, o autodomínio; entre eles, sopravam o desequilíbrio e a inquietação. Exigiam um Dionísio-homem pela boca de Otávia, mas nosso plano lhes impunha um Dionísio-Espírito, pelas expressões da médium. A família humana aguardava o pai emocionado e ainda submetido a paixões menos construtivas, mas auxiliávamos o irmão para que sua alma se mantivesse calma e enobrecida, em benefício dos próprios familiares terrestres.
(...)
_ Impossível. Não pode ser meu pai...
_ Não acredito em semelhante manifestação...
(...)
_ não podemos aceitar a pretensa incorporação de Dionísio...
(...)
_ O problema da mediunidade é questão muito grave na Doutrina; o animismo é uma erva daninha em toda parte. Nosso intercâmbio com o plano invisível está repleto de lamentáveis enganos.
(...)
_ Considera, porém, o senhor que Dona Otávia seria capaz de enganar-nos?
_ Não,m conscientemente - tornou o cientificista, com um sorriso superior -, entretanto, inconscientemente , sim. A maioria dos médiuns é vítima dos próprios desvairamentos emotivos. As personalidades comunicantes, em sentido comum, representam criações mentais dos sensitivos. Tenho estudado pacientemente o assunto para não cair, como acontece a muita gente, em conclusões fantásticas. Há que fugir do ridículo, meus amigos.
(...)
Ninguém ali ponderava as dificuldades com que Euclides, o bom cooperador espiritual, fora defrontado, para trazer à casa o conforto daquela noite.
Ninguém ponderava sobre a luta que o acontecimento representava para a própria médium, interessada sem servir com amor na causa do bem. Os companheiros encarnados sentiam-se absolutamente credores de tudo. OS benfeitores espirituais, na apreciação dos presentes, não passariam de meros servidores de seus caprichos, a voltarem do Além- Túmulo tao-somente para atender-les ao gosto das novidades. Com raríssima exceções, ninguém pensou em consolo, em edificação, em aproveitamento da experiência obtida. Ao invés do agradecimento, da observação edificante, cultivava-se a desconfiança e a maledicência.
(...)
_ Não se admire André. Nossos irmãos encarnados padecem de complicadas limitações.
(...) "

Tópicos para conversamos em estudo :

1) O que se pode entender pela colocação: "... as organizações mediúnicas não são filtros mecânicos..."?

2) Como se dá a utilização do aparelho neuro-muscular não pertencente ao Espírito comunicante?

3) O intercâmbio espiritual se dá tão somente na hora designada para que haja a reunião entre encarnados e desencarnados? Como? Por que?

4) Qual a preparação o médium deve ter? Como adequá-la aos tempos atuais, onde o ritmo de vida é mais agitado, onde geralmente, muitos, saem diretamente de seus empregos para o local da reunião?

5) Como se dá, pelo plano Espiritual, o ultrapassar dos obstáculos presentes na vida material, para que possa o intercâmbio de planos ocorrer?

6) Os médiuns que irão propocionar comunicação encontram-se cientes de quem e de que forma ocorrarão as comunicações?

7) O que são células gliais? por que fortalece-las? qual seu papel?

8) Qual o papel da epífise na comunicação mediúnica?

9) Como ocorre o processo chamado de incorporação? Qual a forma que deve o médium se conduzir?

10) Como deve ser a avaliação das comunicações realizadas?

Obras da codificação:
- Livro dos Espíritos
- Livro dos Médiuns
- Evangelho Segundo Espiritismo

Alguma bibliografia de apoio:
- Médiuns e Mediunidades - Divaldo P. Franco por Vianna de Carvalho
- Atualidade do Pensamento Espírita - Divaldo P. Franco por Vianna de Carvalho
- Estudos Espíritas - Divaldo P. Franco por Joanna de Ângelis
- Mediunidade - J. Herculano Pires
- Diálogo com as Sombras - Hermínio C. Miranda
- Estudando a mediunidade - Martins Peralva
- Nos domínios da Mediunidade - Francisco C. Xavier por André Luiz
- Seara dos Médiuns - Francisco C. Xavier por Emmanuel

------------------------------------------------------

17 - Doutrinação

(...)
Entretanto, esperançada, venho pedir-lhe a cooperaçao no
serviço de auxilio a sua alma infeliz.
__Uma nova doutrinaçao ?
__Sim (...)
__Nota em Marinho sinais evidentes de transformaçao interior
?
(...)
Agora porem, observo-lhe as disposiçoes algo modificadas.
Nao sente o mesmo entusiasmo ao receber as sugestoes
malignas dos infelizes companheiros de revolta e
desesperaçao (...)
Quem sabe nao tera chegado para ele o divino instante da luz
intima ?
(...)
__Porque a doutrinaçao em ambiente dos encarnados
? -Indaguei. -Semelhante medida é uma imposiçao no trabalho
deste teor ?
__Não, explicou o instrutor. nao é um recurso
imprescindivel. Temos varios agrupamentos de servidores do
nosso plano, dedicado exclusivamente a esse genero de
auxilio.
(...)
Em determinados casos, porem, a cooperaçao do magnetismo
humano pode influir mais intensamente, em beneficio dos
necessitados que se encontrem cativos das zonas de sensaçao,
na crosta do mundo.
(...)
__Ajudando as entidades em desequilibrio, ajudarao a si
mesmos, doutrinando, acabarao igualmente doutrinados.
(...)
Na noite previamente marcada, acompanhei o pequino grupo que
procurou Marinho para o auxilio espiritual.
'(...)
O companheiro localizara Marinho e chamava-nos ao trabalho.
(..)
Logo apos receber-lhe afetuosa saudaçao, perguntou Marinho
surpreso:
__Foi tambem padre ?
__Sim, respondeu Necésio com simpatia.
(...)
__Desejarao, acaso modificar o meu rumo, como ja tentaram ?
__perguntou Marinho curioso.
__Naturalmente foram avisados de seu nvo estado íntimo,
aduziu Necesio decido__ e talves pretendam oferecer-lhe
vantagens novas. Quem sabe ?
(...)
Via-se que Marinho penetrava o terreno obscuro da indecisao
(...)
Em breves instantes penetravamos o conhecido recinto de
oraçoes e trabalhos espirituais.
Observei que muitos trabalhadores de nossa esfera
mantinham-se de maos dadas, formando extensa corrente
protetora da mesa consagrada aos servicos da noite. (...)
Alexandre explicou-me:
Trata-se da cadeia magnetica necessaria a eficiencia de
nossa tarefa de doutrinaçao. Sem esta rede de forças
positivas, que opera vigilancia indispensavel, nao teriamos
elementos para conter as entidades perversas e
recalcitrantes.
(...)
Sentindo agora o ambiente em que estava, Marinho quiz
recuar, mas nao pode, a fronteira vibratoria impedia-lhe a
fuga.
(...)
Dai a minutos, providenciava-se a incorporaçao de Marinho,
que tomou a intermediaria sob forte excitaçao.
(...)
Um instrutor de elevada condiçao Hierarquica substituiu
Alexandre junto a medum, passando meu orientador a inspirar
diretamente o colaborador encarnado, que dirigia a reuniao.
(...)
Admirando a excelencia e a amplitude das atividades dos
nossos orientadores, fixei minha atençao na palestra que se
estabeleceu entre marinho, incorporado em Otavia, e o
doutrinador humano, orientado intuitivamente por Alexandre.
(...)
A certa altura da doutrinacao, percebi que Alexandre chamavi
a si um dos diversos cooperadores, que manipulavam fluidos e
energias(...) recomendou-lhe que ajudasse a genitora de
Marinho a ficar visivel para ele.
(...)
__Observe em volta de si meu irmao! Exclamava o doutrinador,
comoventemente__reconhece que esta a seu lado ?
__Minha mae...
(...)
Outros grupos , procedentes de outras regioes, traziam seus
tutelados para doutrinaçao, de acordo com o programa de
serviço estabelecido previamente.
(...)

Perguntas para estudo e debate.

1 - E' imprescindivel a colaboraçao dos encarnados para o
trabalho de doutrinaçao ?

2 - Como sao determinados os trabalhos que serão realizados
?

3 - E' feito um trabalho previo com os desencarnados que
irao se manifestar em reunioes de doutrinaçao ?

4 - Existe alguma vantagem em se usar encarnados para o
trabalho de doutrinaçao ?

5 - Como é feita a proteçao dos componentes encarnados da
reuniao mediunica ?

----------------------------------------------------------

18 - Obsessão

Síntese: O capítulo trata de uma reunião de desobssão, assistida por Alexandre e por André Luiz, com a presença de 5 enfermos em tratamento. Alexandre tece diversos comentários sobre o processo obsessivo e é apresentado um caso de possessão (subjugação).

Trechos do capítulo:
(...)
ALuiz: Todo obsidiado é médium, na acepção legitima do termo?
Alexandre: Médiuns, inclusive nós outros, desencarnados, todos os somos. (...) O obsidiado, porém, acima de médium de energias perturbadas, é quase sempre um enfermo.
(...) "...é muito difiícil identificar a verdadeira vítima, com a visão circunscrita ao corpo terrestre."
(...) "dos cinco apenas uma jovem revela possibilidades de melhores mais ou menos rápidas (...) - Gozará a jovem de alguma proteção diferente? - Não se trata de proteção, mas esforço próprio. (...) Ao obsidiado se lhe falta vontade firme para a auto-educação, para a disciplina de si mesmo, é quase certo prolongará sua condição além da morte.(...) A jovem está procurando a restauração de forças psíquicas por si mesma.
(...) Em derredor da mesa se reuniam-se dois médiuns, seis irmãos experimentados no conhecimento e prática de problemas espirituais e os obsidiados em tratamento. (...) Os enfermos apresentavam características especiais. Dois deles, uma senhora relativamente jovem e um cavalheiro maduro demonstravam enorme agitação; dois outros, ambos moços e irmãos pelo sangue, pareciam completamente imbecilizados, e por ultimo, observamos a jovem a que Alexandre se referira. (...) As entidades inferiores compareciam em grande número.
(...)fui surpreendido com a chegada de dois amigos de nosso plano. - São nossos interpretes junto às entidades perseguidoras - exclamou Alexandre.

Diálogo de um dos amigos espirituais com uma das entidades obsessoras:
(...) "A vingança agrava os crimes cometidos. Para restabelecer a felicidade perdida é necessário esquecer todo o mal"
"É quase impossível...Não apregoam que o Pai é justo? Eu não vejo porém o Pai e preciso fazer justiça, usando minhas próprias forças."
"Suas considerações são aparentemente respeitáveis (...) Todavia devemos examinar serenamente a percentagem de nossa co-participação. Apenas em situações raríssimas podemos exibir o título de vítimas"

Alexandre: "O trabalho de esclarecimento espiritual depois da morte exige de nós outros muita atenção e carinho"

Em outra situação, André observa a jovem senhora que se mostrava sob irritação forte. Diversos perseguidores mantinham-se ao seu lado, mas de todos eles sobressaía um obsessor infeliz, de maneiras cruéis. Colara-se-lhe ao corpo, em toda a sua extensão, dominando-lhe os centros de vida ôrgânica.
"Representa um caso de possessão completa" - disse Alexandre, seguindo-se o diálogo entre um amigo espiritual e a entidade infeliz. Questionado sobre a conveniência de aplicação de recursos para que o obsessor pudesse recordar o passado, Alexandre diz: "Não conseguiria compreender. Antes de maior auxílio ao seu entendimento, é necessário que sofra."

Observando a reunião, André se surpreende com as emissões magnéticas dos que estavam reunidos em tarefa de socorro. Os técnicos espirituais valiam-se do abundante fluxo de forças benéficas, improvisando recursos de assistência aos obsidiados e aos perseguidores.
A jovem referida por Alexandre emitia fluxo de energias mentais, expelindo as idéias malsãs depositadas em sua mente pelos obsessores, e absorvia os pensamentos regeneradores e construtivos oriundos dos amigos espirituais. Alexandre: "Apenas o doente convertido em médico de si mesmo atinge a cura positiva. No quadro das obsessões, o princípio é análogo."

Durante o diálogo do companheiro encarnado com um espírito, através do médium, André observa que seu tórax se convertera em um foco irradiante, e que cada palavra proferida lhe saía dos lábios como um jato de luz alcançando diretamente o alvo, fosse o ouvido dos enfermos ou o coração dos perseguidores. Alexandre: "Para ensinar com êxito, não basta conhecer as matérias do aprendizado e ministrá-las. Antes de tudo é preciso senti-las e viver-lhes a substancialidade no coração. O homem que apregoa o bem deve praticá-lo."

Os obsidiados ficaram livres, naqueles momentos, da influência direta dos perseguidores, excetuando-se a que estava em processo de possessão. No entanto se mostravam agitados e inquietos, ansiosos de se reunirem de novo ao campo de atração dos algozes. Alexandre comenta que 90% dos casos de obsessão constituem problemas dolorosos e intricados, pois o obsidiado padece de lastimável cegueira em relação à própria enfermidade, estabelecendo ligações vigorosas com os obsessores.
No entanto, embora as dificuldades, Alexandre alerta que "não podemos mobilizar qualquer argumento intelectual para fugir ao nosso dever de assitência fraterna ao ignorante e sofredor".
André questiona se, verificado os distúrbios fisiológicos nos enfermos psíquicos, eles devem ser considerados também como doentes do corpo. "O desequilíbrio da mente pode determinar a perturbação geral das células orgânicas", afirma Alexandre.
Logo que a cadeia magnética defensiva foi quebrada, ao fim da reunião, os três enfermos voltaram a atrair os obsessores, demonstrado que haviam aproveitado muito pouco da reunião. Alexandre explica que o problema da responsabilidade não está circunscrito a palavras, sendo uma questão vital.
Observando os desequilíbrios fisiológicos, em vários órgãos, André questiona se, no caso dos perseguidores serem afastados, a normalidade orgância retornaria. Alexandre volta a explicar que a condição mental, e os esforços que faça o obsidiado pela própria melhoria, são fundamentais, facilitando o processo de cura. Caso contrário, os problemas de saúde podem permanecer até o processo desencarnatório, mesmo que os verdugos se transformem em amigos.

Algumas questões para conversarmos:

1) Se todo obsidiado é médium, ele deverá desenvolver esta mediunidade após o tratamento desobsessivo?

2) Embora a reunião narrada por André Luiz tivesse a presença dos obsidiados, esta postura praticamente não é mais adotada ultimamente. Qual a sua opinião?

3) Quais as causas motivadoras de um processo obsessivo?

4) Como podemos entender o conceito de "justiça" à luz da Doutrina Espírita?

5) Quais os elementos básicos de um tratamento para os casos de possessão (subjugação)?

6) Por que os processo obsessivos são tão "intricados", como diz Alexandre?

7) Qual a relação entre o desequilíbrio físico e o processo obsessivo? Os obsidiados precisam também de tratamento médico?

Referências sobre o tema:
O Livro dos Espíritos - qts de 459 a 480
O Livro dos Médiuns - 2a. parte cap.23
O Evangelho sgdo o Espitisimo - cap. X, it 6 - cap XXVIII, it 81
O Céu e o Inferno - 1a. parte, cap. 7
A Gênese - cap. 14, it 45 a 49

---------------------------------------------------------

19 - Passe

Trechos do texto:
"Em todas as reuniões do grupo, junto ao qual funciona Alexandre, com atribuições de orientador, vários são os serviços que se desdobram sob a responsabilidade dos companheiros desencarnados.(...) Um desses serviços era o de passes magnéticos, ministrados aos frequentadores da casa.
O trabalho era atendido por seis entidades envoltas em túnicas muito alvas, como enfermeiros vigilantes. Falavam raramente e operavam com intensidade....
(...)
_ Aqueles nossos amigos são técnicos em auxílio magnético que comparecem aqui para a dispensação de passes de socorro. Trata-se dum departamento delicado de nossas tarefas, que exige muito critério e responsabilidade.
_ Esses trabalhadores - interroguei - apresentam requisitos especiais?
_ Sim - explicou o mentor amigo -, na execução da tarefa que lhes está subordinada, não basta a boa vontade, como acontece em outros setores de nossa atuação. Precisam revelar determinadas qualidades de ordem superior e certos conhecimentos especializados. O servidor do bem, mesmo desencarnado, não pode satisfazer em semelhante serviço, se ainda não conseguiu manter um padrão superior de elevação mental contínua, condição indispensável à exteriorização das faculdades radiantes. O missionário do auxílio magnético, na Crosta ou aqui em nossa esfera, necessita ter grande domínio sobre si mesmo, espontâneo equilíbrio de sentimentos, acendrado amor aos semelhantes, alta compreensão da vida, fé vigorosa e profunda confiança no Poder Divino.
Cumpre-me acentuar, todavia, que semelhantes requisitos, em nosso plano, constituem exigências a que não se pode fugir, quando, na esfera carnal, a boa vontade sincera, em muitos casos, pode suprir essa ou aquela deficiência, o que se justifica, em virtude da assistência prestada pelos benfeitores de nossos círculos de ação ao servidor humano, ainda incompleto no terreno das qualidades desejáveis.
(...)
_ Os amigos encarnados - perguntei -, de modo geral, poderiam colaborar em semelhantes atividades de auxílio magnético?
_ Todos, com maior ou menor intensidade, poderão prestar concurso fraterno nesse sentido - respondeu o orientador -, porquanto revelada a disposição fiel de cooperar a serviço do próximo, por esse ou aquele trabalhador, as autoridades de nosso meio designam entidades sábias e benevolentes que orientam, indiretamente, o neófito, utilizando-lhe a boa vontade e enriquecendo-lhe o próprio valor. São muito raros, porém, os que demonstram a vocação de servir espontaneamente. Muitos, não obstante bondosos e sinceros nas suas convicções, aguardam a mediunidade curadora, como se ela fosse um acontecimento miraculoso em suas vidas e não um serviço do bem, que pede do candidato o esforço laborioso do começo. Claro que, referindo-nos aos irmãos encarnados, não podemos exigir a cooperação de ninguém, no setor de nossos trabalhos normais; entretanto, se algum deles vem ao nosso encontro, solicitando admissão às tarefas de auxílio, logicamente receberá nossa melhor orientação, no campo da espiritualidade.
_ Ainda mesmo que o operário humano revele valores muito reduzidos , pode ser mobilizado? _ interroguei curioso.
_ perfeitamente - aduziu Alexandre, atencioso. _ Desde que o interesse dele nas aquisições sagradas do bem seja mantido acima de qualquer preocupação transitória, deve esperar incessante progresso das faculdades radiantes, não só pelo próprio esforço, senão também pelo concurso de Mais Alto, de que se faz merecedor.
(...)
_ Quando na crista envolvidos pelos fluidos mais densos, como poderemos desenvolver a capacidade radiante, depois da edificação de nossa boa vontade real, a serviço do próximo?
(...)
_ conseguida a qualidade básica, o candidato ao serviço precisa considerar a necessidade de sua elevação urgente, para que as suas obras se elevem no mesmo ritmo. Falaremos tão -só das conquistas mais simples e imediatas que deve fazer, dentro de si mesmo. Antes de tudo, é necessário equilibrar o campo das emoções. Não é possível fornecer forças construtivas a alguém, ainda mesmo na condição de instrumento útil, se fazemos sistemático desperdício das irradiações vitais. Um sistema nervoso esgotado, oprimido, é um canal que não responde pelas interrupções havidas. A mágoa excessiva, a paixão desvairada, a inquietude obsidente, constituem barreiras que impedem a passagem das energias auxiliadoras. Por outro lado, é preciso examinar também as necessidades fisiológicas, a par dos requisitos de ordem pesiquíca. A fiscalização dos elementos destinados aos armazéns celulares é indispensável, por parte do próprio interessado em atender as tarefas do bem. O excesso de alimentação produz odores fétidos, através dos proos, bem como das saída dos pulmões e do estômago, prejudicando as faculdades radiantes, porquanto provoca dejeções anormais e desarmonais de vulto no aparelho gastrintestinal, interessando a intimidade das células. O álcool e outras substâncias tóxicas operam distúrbios nos centros nervosos, modificando certas funções psíquicas e anulando os melhores esforços na transmissão de elemento regeneradores e salutares.
(...)
_ Levada a efeito a construção da boa vontade sincera, o trabalhador leal compreende a necessidade do desenvolvimento das qualidades a que nos referimos, porquanto, em contacto incessante com os benfeitores desencarnados, que se valem dele na missão de amparo aos semelhantes, recebe indiretas sugestões de aperfeiçoamento que o erguem a posições mais elevadas.
(...)
_ Consideremos, todavia, que surja a necessidade imediata de socorrer alguém, no círculo dos encarnados, e examinemos a hipótese da imprescindíbilidade dum instrumento humano. Imaginemos que não exista, de pronto, em derredor de nossa tarefa, o órgão completo e adequado à influenciação das potências superiores. Existirá, certamente, porém, ao nosso lado, um companheiro em condições comuns que, mergulhado na ignorância, ainda não percebe os perigos a que espõe o próprio corpo, mas que se deixará aproveitar pelo nosso esforço espiritual em benefício de outrem. Será crível que não possa ser aproveitado?
(...)
_ Seria demasiado rigor. Em todo lugar onde haja merecimento nos que sofrem e boa vontade nos que auxiliam, podemos ministrar o benefício espiritual com relativa eficiência. Todos os enfermos podem procurar saúde; todos os desviados, quando desejam, retornam ao equilíbrio. Se a prática do bem estivesse circusncrita aos Espíritos completamente bons, seria impossível a redenção humana. Qualquer cota de boa vontade e espírito de serviço recebe de nossa parte a melhor atenção.
(...)
_ Quando nos referimos às qualidade necessárias aos servidores desse campo de auxílio, a ninguém desejamos desencorajar, mas orientar as aspirações do trabalhador para que a sua tarefa cresça em valores positivos e eternos.
(...)
_ Vejamos esta irmã... observe-lhe o coração e, principalemnte, a válvula mitral. Detive-me... descobri a exist6encia de tenuíssima nuvem negra, que cobria grande extensão da zona indicada, interessando ainda a válvula aórtica e lançando filamentos quase imperceptíveis sobre o nódulo sino-auricular....
_ Assim como o corpo físico pode ingerir alimentos venenosos que lhe intoxicam os tecidos, também o organismo perispiritual pode absorver elementos de degradação que lhe correm os centros de força, com reflexos sobre as células materiais. Se a mente da criatura encarnada ainda não atingiu a disciplina das emoções, se alimenta paixões que a desarmonizam com a realidade, pode, a qualquer momento, intoxicar-se com as emissões mentais daqueles com quem convive e que se encontrem no memso estado de desequilibrio...
(...)
Sempre sob minha observação, Anacleto assumiu nova atitude, dando-me a entender que ia favorecer suas expansões irradiantes e, em seguida, começou a atuar por imposição. Colocou a mão direita sobre o epigastro da paciente, na zona inferior do eterno e, com surpresa, notei que a destra, assim disposta, emitia sublimes jatos de luz que se dirigiam ao coração da senhora enferma, observando-se nitidamente que os raios de luminosa vitalidade eram impulsionados pela força inteligente e consciente do emissor. Assediada
pelos princípio magnéticos, postos em ação, a reduzida porção de matéria negra, que envolvia a válvula mitral, deslocou-se vagarosamente e, como se fora atraída pela vigorosa vontade de Anacleto, veio aos tecidos da superfícies, espraiando-se sob a mão irradiante , ao longo da epiderme. Foi entao que o magnetizador espiritual iniciou o servico mais ativo do passe, alijando a maligna influência. Fez o contacto duplo sobre o epigastro, erguendo ambas as mãos e descendo-as , logo após, morosamente, através dos
quadris até aos joelhos, repetindo o contacto na região mencionada e prosseguindo nas mesmas operações por diversas vezes. Em poucos instantes, o organismo da enferma voltou à normalidade.
(...)
O novo companheiro dirigiu-se a diferente setor.
(...)
_ Este irmão, portador dum temperamento muito vivo, está cheio dos valores positivos da personalidade humana. tem atravessado inúmeras experiências em lutas passadas e aprendeu a dominar as coisas e as situações com invejável energi.a Agora, porém, está aprendendo a dominar a si mesmo, a conquistar-se para a iluminação interior. Em semelhante tarefa contudo, experimenta choques de vulto, porquanto, dentro de sua individualidade dominadora, ';e compelido a destruir várias concepções que se lhe figuravam preciosas e sagradas. Nesse emprenho, os próprios ensinamentos do Cristo, que lhe serve de modelo à renovação, doem-lhe no 'ntimo como marteladas, em certas circunstâncias. Este homem, no entanto, é sincero e deseja, de fato reformar-se. mas sofre intensamente, porque é obrigado a ausentar-se de seu campo exclusivo, a caminho do vasto território da compreensão geral.(...) A permanência de matéria tóxica, indefinidamente, na intimidade deste órgão de importância vital, determinaria movimentos destruidores para os glóbulos
vermelhos do sangue, complicaria as ações combinadas da digestão e pertubaria , de modo fatal, o metabolismo das proteínas.
(...)
Anacleto continuou de pé e aplicou-lhe um passe longitudinal sobre a cabeça, partindo do contacto simples e descendo a mão, vagarosamente, até à região do fígado, que o auxiliador tocava com a extremidade dos dedos irradiantes, repetindo-se a operação por alguns minutos. Surpreendido, observei que anuvem , de escura, se fizera opaca, desfazendo-se, pouco a pouco, sob o influxo vigoroso do magnetizador em missão de auxílio.
O fígado voltou à normalidade. Mais alguns minutos e nos encontramos diante de uma senhora grávida, em sérias condições de enfraquecimento.
_ (...) profunda anemia invade-lhe o organismo.(...)
_ observe as manchas escuras que cercam a organização fetal.
(...)
_ Se as manchas atravessarem o líquido, provocarão dolorosos processos patológicos em toda a zona do epiblastro. E o fim da luta será o aborto inevitável.
(...)
Logo após, muito cuidadosamente, atuou por imposição das mãos sobre a cabeça da enferma, como se quisesse aliviar-lhe a mente, Em seguida, aplicou passes rotatórios na região uterina, Vi que as manchas microscópicas se reuniam, congregando-se numa só, formando pequeno corpo escuro. Sob o influxo magnético do auxiliador, a reduzida bola fluídico-pardacenta transferiu-se para o interior da bexiga urinária.
(...)
_ Não convém dilatar a colaboração magnética para retirar a matéria tóxica de uma vez. Lançada no excretor de urina, será alijada facilmente, dispensando a carga de outras operações.
(...)
_ Agora, é preciso socorrer a organização fetal. A alimentação da genitora, por força de circunstâncias que independe de sua vontade, tem sido insuficiente. Anacleto retirou do vaso certa porção de substância luminosa projetando-a nas vilosidades uterinas, enriquecendo o sangue materno destinado a fornecer oxigênio ao embrião.
(...)
_ Não podemos abandonar nossos irmãos na carne, ao sabor das circunstâncias mormente quando procuram a cooperação precisa através da prece. A oração, elevando o nível mental da criatura confiante e crente no Divino Poder, favorece o intercâmbio entre as duas esferas e facilita nossa tarefa de auxílio fraternal(...)
(...)
_ Um dia, com preenderá o homem comum a importância do pensamento. Por agora, é muito difícil reverlhar-lhe o sublime poder da mente.
(...)
_ Estimaria receber sua orientação num caso de "décima vez". Trata-se do nosso conhecido, que apresenta graves pertubações no baço.
(...)
_ Lastimável! - exclamou o chefe do auxílio, depois de longa perquirição -
Entretanto, apenas podemos aliviá-lo. Agora, após dez vezes de socorro completo, é preciso deixálo entregue a si mesmo, até que adote nova resolução.
(...)
_ Poderá ofercer-lhe melhoras, mas não deve alijar a carga de forças destruidoras que o nosso rebelde amigo acumulou para si mesmo. Nossa missão é a de amparar os que erraram, e não de fortalecer os erros.
(...)
_ Nosso esforço é também educativo e não podemos desconsiderar a dor que instrui e ajuda a transformar o homem para o bem. (...) Há pessoas que procuram o sofrimento, a perturbação, o desequilíbrio, e é razoável qiue sejam punidas pelas consequências de seus próprios atos. Quando encontramos enfermos dessa condição, salvamo-los dos fluídos deletérios em que se envolvem por deliberação própria, por dez vezes consecutivas, a título de benemerência espiritual. Todavia se as dez oportunidades voam sem proveito para os interessados, temos instruções superiores para entregá-los à sua própria obra, a fim de que aprendam consigo mesmos. Poderemos aliviá-los, mas nunca libertá-los.
(...)
_ ... A sós com a sua experiência forte, aprenderá lições novas e ganhará muitos valores. Mais tarde, receberá, de novo, o socorro completo.
(...)
_ Qual a medida de tempo estipulada para os casos dessa natureza?
(...)
_ Varia de acordo com os motivos. O efeito obedece à causa.
(...)"


Questões para estudo:

1) Basta a boa vontade para executar o trabalho de passe? Por que?
2) Quais os requisitos elencados no capítulo para o trabalhador de auxílio magnético?
3) Esses requisitos são necessários para o obreiro encarnado? Por que?
4) Quais as influências de alimentos, tóxicos, emissões mentais para o trabalhador? E para o paciente?
5) Qual a utilidade do passe?
6) No capítulo André Luiz nos relata alguns tipos de passes diferenciados. Jesus apenas o praticava através de imposição de mãos.São essas diferenças realmente necessárias?
7) André Luiz relata o caso das "dez vezes". O que podemos entender do tempo estipulado para o socorro espirtual magnetizador?
8) André Luiz fala em magnetização realizada por Anacleto. Como podemos entender a utilização do magnetismo no passe?
9) Como entendermos a reforma íntima como peça integrante para o resultado do passe aplicado?

Alguma bibliografia:
ESE - O Evangelho Segundo o Espiritismo ( pe: cap. 26 , item 10)
LM - Livro dos Médiuns (pe: Cap. 14 - item 175/176 ; cap 16 item 189)
LE - Livro dos Espíritos (pe: Introdução , item 08 ; cap 9, item 459)
A Gênese
O Céu e o Inferno
Revista Espírita - set 1865 - Da Mediunidade Curadora
- Jul 1867 - A Lei e os Médiuns

--------------------------------------------------------

20 - Adeus

"Esperava a continuidade de meus novos estudos em companhia de Alexandre; todavia, com surpresa, o meu amigo Lísias foi portador de um convite que me destinara o caritativo instrutor. Tratava-se de uma reunião de despedidas.
(...)
_ Despedidas? - perguntei
(...)
_ Sim. Alexandre, como acontece a outros orientadores da mesma posição hierárquica, de quando em quando se dirige a planos mais altos, desempenhando tarefas de sublime expressão que ainda não podemos compreender. Crei deva partir amanhã, em companhia de alguns mentores que lhe são afins, e deseja apresentar despedidas aos colaboradores e aprendizes, na próxima noite.
_ E os trabalhos da Crosta? - indaguei - não é Alexandre um dos instrutores diretos de um dos grandes grupamentos espiritistas que conhecemos?
(...)
_ Naturalmente, já foi providenciada a substituição devida, de acordo com o mérito e aproveitamento da instituição a que você se refere.
(...)
_ O que lhe posso assegurar é que o venerável orientador não nos esquecerá. Dirigindo-se a esferas mais altas, a única preocupação dele será o serviço de Jesus, com o enriquecimento de si mesmo para ser-nos mais útil.
_ Entretanto- objetei - far-nos-á muita falta...Sinto que nos deixará em meio da tarefa, quando tanto necessitamos de seu concurso valioso para o aprendizado...
(...)
_ Nada de egoísmo André! Sabemos que Alexandre se ausentará em serviço,, mas ainda mesmo que a sua excursão fosse muito longa e plenamente consagrada ao repouso recreativo, cabe a nós outros, seus devedores, a participação da alegria de seus elevados merecimentos. É necessário examinar o bem que ainda se pode fazer, vibrando de júbilo e esperança com as realizações
porvindouras, para não sermos indolentes e improdutivos; não devemos, porém, esquecer o bem que se fez ou que recebemos, a fim de não sermos ingratos. Aquela observação teve a virtude de acordar-me a consciência. Coloquei-me no equilíbrio emocional indispensável. Modifiquei a atitude íntima, reagindo contra as primeiras impressões que a notícia me causara
(...)
_ Ao demais, não podemos esquecer as obrigações que nos são próprias. O aprendizado, nos cursos diversos em que se apresenta, chega sempre a um fim, embora a sabedoria seja infinita. Precisamos demonstrar aproveitamento prático das lições recebidas. Que melhor testemunho de assimilação poderemos dar ao instrutor amigo que o de receber-lhe o campo de serviço em que a sua bondade nos iniciou , até que ele volte da provisória excursão?
(...)
Concordava, com esforço, lembrando-me das sublimes lições recebidas. Alexandre sabia fazer-se amar. Superior sem afetação, humilde sem servilismo, orientados sempre disposto, não somente a ensinar, mas também a aprender, atendia aos elevados encargos que lhe eram atribuídos, sem qualquer desvario do "eu", profundamente interessado em cumprir os desígnios do Pai e em aceitar nossa cooperação singela, aproveitando-a ...
(...)
_ Alguns colaboradores, a quem muito devo, endereçam-me apelos para que permaneça em nossa colônia de trabalho, gentileza que agradeço, comovido. Não vibra em minhas palavras qualquer prurido de personalidade, mas a estima recíproca e fiel a que nos devotamos. Urge considerar , porém, meus amigos, que este servo humilde não deve absorver o lugar que Jesus deve ocupar em
suas vidas. É muito difícil descobrir o amor sem jaça e a ele nos entregarmos sem reservas. E porque essa dificuldade é flagrante em todos os caminhos de nossa evolução. Quase sempre incidimos no velho erro da idolatria. (...) Mas não posso ver fugir a oportunidade de sérias reflexões em torno do problema dos laços sagrados que nos unem, sem algemar-nos uns aos outros. Nossa estrada de aperfeiçoamento, bem como a senda de progresso da Humanidade terrestre, em geral, têm sido tortuoso caminho no qual pisamos
sobre os ídolos quebrados. Sucedem-se nossas reencarnações e as civilizações repetem o curso de longas espirais de recapitulação, porque temos sido invigilantes quanto aos caminhos retos.
(...)
_ Temos criado muitos deuses à parte - continuou o instrutor, comovido -, para destruí-los, muita vez, em profundo desespero do coração, quando a realidade nos dilata a visão, ante o horizonte infinito da vida. Na procura do conforto individual, em face de problemas graves de nossa vida, raramente encontramos com todas as forças de que somos capazes, para adiar indefinidamente a açãoimprescindível da corrigenda ou do resgate. Virá, porém, o dia da restauração da verdade, o momento de nosso testemunho
pessoal.
(...)
_ É por isso.... Fujamos ao condenável sistema de adoração recíproca, em que a falsa ternura opera a cegueira do sentimento. Respeitemo-nos mutuamente, na qualidade de irmãos congregados para a mesma obra do bem e da verdade, mas combatamos a idolatria; bem - queiramos-nos uns aos outros, como Jesus nos amou; todavia, cooperemos contra a insuflação do exclusivismo
destruidor. Somos depositários de grandes lições da vida superior. Pô-las em prática, estendendo mãos amigas aos nossos semelhantes, é o nosso objetivo fundamental. Cada um de vocês tem obrigações em separado, nos setores diferentes da atividade espiritual. ... O campo de trabalho é vastíssimo.
Experimentem nele o que aprenderam, despertando as consciências que dormem ao longo do caminho. O aprendizado fornece-nos conhecimento. A vida oferece-nos a prática. Unamos a sabedoria com o amor, na atividade de cada dia, e descobriremos a divindade que aplpita dentro de nós, glorificando a Terra que aguarda nosso concurso eficiente, pelo equilíbrio e compreensão. ... Só as vítimas voluntárias da idolatria convertem a ausência num vácuo. Não, meus amigos, não alimentemos qualquer processo doloroso de saudade sem otimismo e sem esperança. Imenso futuro de realizações sublimes com o Pai espera cada um de nós. Edifiquemo-nos, aceitando as experiências construtivas que nos convocam o esforço à possibilidade maior. Estimo profundamente a consolação individual, mas, acima de nosso conforto, devemos procurar a libertação com o Cristo.
(...)
_ Devemos ao Cristo-Jesus todas as graças! Ele é o Divino Intermediário entre o Pai e nós outros. Saibamos agradecer ao Mestre as bênçãos, as lições, as tarefas. O espírito de gratidão ao Senhor alegra a vida e valoriza o trabalho dos servos fiéis! ...

Questões para estudo:

1) A todo trabalho, cujo instrutor necessita se desligar , há a providencia de um substituto?

2) Já aprendemos a, conforme diz :Lísias "cabe a nós outros, seus devedores, a participação da alegria de seus elevados merecimentos." ?

3) Como entendemos e como devemos aproveitar esse ensinamento dado por André Luiz: "Alexandre sabia fazer-se amar. Superior sem afetação, humilde sem servilismo, orientados sempre disposto, não somente a ensinar, mas também a aprender, atendia aos elevados encargos que lhe eram atribuídos, sem qualquer desvario do "eu", profundamente interessado em cumprir os desígnios do Pai e em aceitar nossa cooperação singela, aproveitando-a ..."?

4) Como entendermos e aproveitarmos esse ensinamento de Alexandre: "Urge considerar , porém, meus amigos, que este servo humilde não deve absorver o lugar que Jesus deve ocupar em suas vidas. É muito difícil descobrir o amor sem jaça e a ele nos entregarmos sem reservas. E porque essa dificuldade é flagrante em todos os caminhos de nossa evolução. Quase sempre incidimos no velho erro da idolatria. "?

5) O que podemos compreender e aprender do ensinamento de Alexandre: "O aprendizado fornece-nos conhecimento. A vida oferece-nos a prática. Unamos a sabedoria com o amor, na atividade de cada dia, e descobriremos a divindade que palpita dentro de nós,"" ?

Sugestão bibliográfica:

ESE - caps. I - II - III (P.e.)
LE - caps I - IV (parte segunda) ; caps I - II - VIII - XII (parte terceira)
Livro da Esperança - Francisco Cândido Xavier por Emmanuel
Estudos Espíritas - Divaldo P. Franco por Joanna de Ângelis

----------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------