Make your own free website on Tripod.com

Projecções e Sonhos

O Cantinho do Giu

Home
Seminarios
Forum
APELOS
Espiritismo
Projecção Astral
Mediunidade
Oculto
Profecias
Wicca
Astrologia
Adivinhação
Ovniologia
Mensagens
Divindade do Homem
Um Só Deus
Sonhos
Significado dos Sonhos
Cromoterapia
Humanitarismo
Velas
Eventos e Outros
Amizade e Amigos
Espíritos Instrutores
Campanha:Homenagem aos Deficientes Físicos.
Biografias Diversas
Nomes - Sinificado e sua Origem
Livros Download
Livros Leitura
Os Cantinhos do Pessoal
Fotos - Imagens
Grupo MSN

213082495143627c929c412.jpg

Minha senda:

Cada um tem seu próprio caminho, sua própria senda, seu modo de ver, entender e aceitar as coisas do mundo. Qualquer um que pretensiosamente aponta esse ou aquele caminho como sendo o melhor, cai em erro e pode trazer mais sofrimento que beneficio. Por isso, vou apenas demonstrar qual foi a senda que para mim, exclusivamente, foi a que me deu paz, harmonia, luz do entendimento e principalmente a alegria de viver, que é nossa energia mais poderosa. Reitero que não é minha intenção mostrar um caminho, criar modelos, técnicas, didática, ordem etc, mas tão somente descrever as paisagens dos caminhos que percorri, claro que se de algum modo isso for bom para outra pessoa ficarei muito feliz.

O inicio: Mentalismo
Primeira coisa que me fez compreender que estava num caminho, que havia encontrado o fio da meada das minhas verdades particulares, foi compreender que o universo é mental, sua natureza é mental em toda suas extensão infinita. Assim tudo é criação numa mente, essa é a mente de algo, podemos chamar de Deus? Sim, podemos, mas esse ser no qual existimos não pode ser rotulado, não pode ser compreendido, não pode ser estudado, não em sua essência, mas podemos saber o que ele não é, ele não é um homem, não tem mente de um ser humano, ele não está sentado num trono com aquela barba branca etc.

Nos existimos Nele, por Ele, mas não somos parte Dele, não como se tivesse subtraído um pedaço dele, não somos um com ele no sentido de que podemos dizer "Eu sou deus", assim, somos criaturas, ou seja, coisa criadas por deus em sua mente , não somos "filhos" como o sentido da palavra, porem somos uma criação dotada da única coisa que percebemos ter herdado realmente do divino, que é a capacidade de criar com a mente. Mesmo assim, não se pode dizer que ele é a mente, pois a mente como a entendemos poderá um dia ser totalmente entendida, e como talvez você perceba, não podemos nunca compreender o que é deus, por isso, até mesmo dizer que herdamos ou fomos feitos a semelhança dele, não está totalmente em verdade, pois senão entenderíamos o que é ele, e na verdade só estamos entendendo seus frutos.

Um exemplo básico é imaginar em sua mente uma pessoa, talvez ela esteja no sofá e está assistindo tv, para essa pessoa imaginária o mundo recém criado dela não é real? Ela não está sentada ai e parece não perceber que só existe por que você assim quis? Suponhamos que você não queira que ela saiba que você existe, tem alguma chance dela saber disso? Mesmo que ela soubesse, ela poderia compreender em sua totalidade quem é você? Ela poderia modificar as regras e leis para aquele mundo que você acabou de criar? Se fosse possível para nós, dar o livre arbítrio a essa pessoa imaginária você daria? Porque? Como você se sentiria em relação a ela? Alguns podem a te pensar "agora eu sei como deus se sente", claro, se Deus fosse um homem você saberia, mas você é uma imaginação na mente dele, existe como saber o que é Deus?

Baseado nesse pensamento pode refletir alguns momentos nas coisas que consideramos boas e ruins, por pior e mais imperfeito que você seja ou se considere, você criaria um universo no qual você precisasse decidir sobre tudo a todo tempo? Se fosse possível criar um universo perfeito, onde tudo o que existisse, levasse as suas criações a se desenvolver e a trilhar um caminho único, e assim se tornarem verdadeiras e não meras cópias suas ou marionetes nas suas mãos? Como julgar a criação, como dizer isso é justo, isso não é justo? Como dizer "seria melhor se fosse assim"? Como julgar aquele tal que você nunca saberá o que é? Como julgar o caminho que outra pessoa escolheu? Você mesmo não escolheu algo que para ela pode ser que pareça estranho? Como saber o que é melhor para a vida de seu semelhante, quando muitas vezes você não sabe nem o que quer da sua? E mesmo que saiba, o que o faz pensar que todos devam trilhar o mesmo caminho? Você desejaria cópias suas por todos os lados? E se todos pensassem igualmente haveria evolução?

Transformações:
Verificando essas coisas que para mim, individualmente, fazem sentido e creio serem verdades, muitas coisas que antes eu acreditava caíram por terra. Sem querer fazer crítica, julgar ou difamar nenhum pensamento alheio, dou o meu, porem se acaso ofender de alguma forma eu já peço lhes desculpa.
- A idéia de que o mundo físico é ilusão para mim está fora de cogitação, o mundo físico, assim como todos os outros planos de existência são reais, e servem a um propósito especifico. Claro que não serei pretensioso de querer dar sentido e explicação para a função de cada um, pois seria um trabalho interminável e infinito. Mas dou alguns exemplos, o mundo dos sonhos, aconteça conde acontecer, se no cérebro ou no plano astral etc, pode nos dizer muito de nós mesmos, como vontades e medos, algumas vezes até podem nos trazer revelações, soluções de problemas etc, é real enquanto dura e útil para nós em outros planos e existências.
- A idéia de que estamos aqui para sofrer provações, e que só através do sofrimento crescemos é estranho pra mim, pois o aluno que aprende a lição antes de executar o trabalho não precisa cortar o dedo para aprender a usar a luva, quem usa o cinto de segurança não precisa bater o carro para saber que salva vidas. Não precisa perder alguém que ama para aprender a perder o medo de perder. O que quero dizer que existem outros caminhos, nem sempre é necessário bater a cabeça para aprender, se mais pessoas estivessem dispostas a ensinar a viver, menos pessoas precisariam ensinar a agüentar a dor.
- A idéia da caridade é polemica, será válido todo o beneficio que se fazem aos semelhantes? Fazer por amor é uma coisa, esperando uma recompensa é outra, o que é melhor fazer mesmo por "obrigação social" ou esperar para fazer por vontade? E a ajuda que é dada, quem disse que é uma ajuda real, como o caso de dar o peixe, quem ensinará a pescar para aquele que não tem fome? Outros se sacrificam, prejudicam sua saúde em nome da caridade, as vezes atrapalhando a vida no lar para ajudar os "mais necessitados", Jesus disse "amais COMO a ti mesmo" e não "AO INVES de ti mesmo", quem gosta de receber os frutos do sacrifício de alguém? Assim, eu concordo que a caridade é um meio de amar, mas temos que pensar no que realmente estamos fazendo, o que realmente é caridade.
- A idéia que Deus castiga, pecado, inferno, etc, para mim são artifícios humanos para tentar disciplinar as massas, ou até mesmo forçar uma espiritualização no povo, porem eu particularmente sou contra e tenho certeza que existem outro s métodos que não incluam o medo na receita.
- Dízimos, doações etc só devem ser concedidos com o pensamento de ajudar sua entidade religiosa a poder oferecer o conhecimento para mais pessoas, para mim só assim é valido. Agora se for como pagamento por bênçãos, pagamentos de promessas, obrigações, ou para não ser castigado, ou para comprar um pedaço no céu, para mim são todas superstições banais e que deveriam ser combatidas por todas as entidades.
- Restrições do pensamento como aqueles que consideram pecado duvidar da existência de deus, consideram pecado questionar qualquer coisa do plano divino, isso é limitação do desenvolvimento, é melhor a pessoa duvidar e estar livre para buscar suas verdades do que passar a vida toda "acreditando" por medo de represaria de Deus por suas "blasfêmias".

Comportamento humano
Considerando os diferentes planos vibracionais na mente existencial, considero o corpo humano uma máquina, e assim como aprendemos a dirigir um carro, devemos aprender a controlar nosso corpo. Assim, não somos nosso corpo, somos alma e é a alma que anima o corpo, o controla e dirige, usando para isso o cérebro.

Arte mística
Ser místico é uma coisa meio mal vista por certas partes da sociedade, porem isso ocorre pelo mau uso da palavra, o místico não é um mágico ou ilusionista, a palavra "místico" serve apenas para designar as pessoa que estudam as leis da vida, só isso.

O sentimento místico, ou seja, o de aprender os encantos da vida é o que nos impulsiona por um caminho, existem pessoas que naturalmente têm um senso místico muito bom, porem sempre é bom estimular. Para tanto faça o seguinte:

· Arrume um lugar na casa que seja só seu.
· Arrume um pequeno altar, com objetos que te lembrem sentimentos e ideais nobres.
· Se possível queime incenso no local.
· Sempre que for estudar sobre o assunto místico, orar, meditar etc use o local.
· Pegue um caderno para anotar todas suas experiências, sonhos e sentimentos.

Isso para que sua mente subconsciente saiba o que busca ali, quando for nesse local, não quer se preocupar, não quer estudar matemática, nem jogar videogame, quando está ali, quer entrar em contato com as mais elevadas consciências do universo e aprender com elas as mais sublimes leis.

Vibrações
O universo é mental e que tudo que existe é de natureza mental, e que tudo que existe está em movimento, está vibrando.

Assim como dependendo da freqüência da luz, ela nos parece de uma cor ou de outra, assim é tudo no universo, pense assim a luz verde é luz, a luz azul também é luz não é?
Um tronco de madeira é energia vibratória na freqüência de madeira, um pedaço de ferro é energia vibratória da freqüência de ferro. Se aquecermos muito um pedaço de madeira ou ferro ele passa a ficar incandescente e emitir luz, mas o que é o calor?

O calor não é o aumento da vibração das moléculas do objeto?
Pois se aumentando essa vibração de qualquer objeto ele emite luz se desfaz em subprodutos, não é bem parecido com aumentar a freqüência da luz mudando sua cor?

Pensando nisso poderá chegar na conclusão que tudo vibra, e que tudo é vibração, pode até chegar a certa conclusão que até os pensamentos e emoções são vibração e como tal podem ser transformadas, transmutadas, alquimizadas e ainda podemos fazer mais, podemos experimentar essas vibrações:

Experimento:

1 - No seu lugar místico prepare alguns objetos diversos, como por exemplo, um litro de leite, uma lata de óleo, uma garrafa de desinfetante, um alimento qualquer etc
2 - Relaxe. Faça algumas respirações profundas.
3 - Tome os objetos em sua mão, tente sentir que vibração eles tem, compare, por exemplo, o litro do leite e a garrafa de desinfetante, procure sentir qual faria bem a você e qual é perigoso.
4- Se puder, pratique com objetos antigos, tente sentir as vibrações impregnadas nele, tente sentir seu dono se houver, por exemplo, num anel.

Pratique esses exercícios para desenvolver sua capacidade vibraturgica, poderá também fazê-lo ao apertar a mão de pessoas, entrar nas casas das pessoas etc. O que poderá ser útil em sua vida, desenvolvendo sua sensibilidade.

Anote todas as suas considerações e resultados em seu caderno ("jornal").


Correspondência
"O que está em cima é como o que está embaixo, e o que está embaixo é como o que está em cima." - O CAIBALION -
Este Princípio contém a verdade que existe uma correspondência entre as leis e os fenômenos dos diversos planos da Existência e da Vida.

Para se manifestar na matéria, uma energia primordial primeiro precisa ser gerada no plano Espiritual, ser forjada no plano Mental e se materializar no plano Físico. Quando falamos de "plano" também devemos compreender que não é uma dimensão ordinária de espaço, mas sim uma mudança de densidade no princípio de "Vibração" (Terceiro Princípio Hermético). Desde as manifestações mais elevadas até as mais baixas, todas as coisas vibram em diferentes coeficientes de movimento em diferentes direções e de diferentes maneiras.

Assim, para entendermos o que é o mundo espiritual, não precisamos ver com nossos olhos, basta usar o principio da correspondência, exemplo, o sol irradia a luz que dá vida ao planeta, o coração circula o sangue que mantém a vida, de Deus emana toda a vida. Veja que não importa o plano que estamos falando existem coisas correspondentes, assim como a lua exerce uma força na terra que cria o fenômeno das mares, assim também todas as pessoas que nos cercam influenciam em nós, assim como se uma pessoa te maltratar vai fazer você ficar triste, assim também pode acontecer com um espírito, assim como levantar pesos vai te deixar mais forte, os desafios da vida deixam sua personalidade mais forte e suas meditações melhoram seu corpo astral.

Reserve um tempo para pensar, nas mais variadas possibilidades de comparação entre o plano físico, astral e mental, assim como também dentro do próprio plano físico,
Imagine até que ponto a astrologia pode nos dizer algo? Será que entender a lua, pode te dizer se vai encontrar uma paquera? Ou será que pode no máximo nos dizer que na vida existem ciclos altos e baixos?


A energia que move o ser humano
Existe uma energia que move o ser humano, nós já demos muitos nomes a essa energia, alguns chamam de chi, outros de ki, ou energia vital, entusiasmo, vontade de viver, força magnética, energia divina, kundalini etc.

Porem, existe uma palavra que poucos, muitos poucos usam para descrever essa energia, essa palavra é ALEGRIA, a alegria, muitas vezes foi mal compreendida, julgada como coisa de criança ou de tolos, pelo modo espontâneo e feliz que uma pessoa age quando está feliz. Porem, acreditem ou não, é essa energia chamada alegria que nos faz ter saúde, que nos faz vencer na vida, que nos faz conseguir as coisas que queremos, que nos projeta a planos superiores, que nos faz ter uma vida afinal.

Não se pode confundir com felicidade, embora seja fácil, pois muitas vezes que estamos felizes estamos também alegres, ninguém é feliz o tempo todo, só existem momentos felizes, a alegria já é um pouco diferente, podemos estar alegres no trabalho quando estamos enfrentando um problema com energia, podemos estar cheios de alegria quando ouvimos uma pessoa contar seus problemas com alegria de talvez ajudar, quando ouvimos alguma tragédia com alegria, pois sabemos que ninguém morre, quando perdemos o que quer que seja, pois aprendemos alegremente, quando alguém nos deixa, pois alegremente sabemos que ninguém é de ninguém, quando não conseguimos o que queremos, pois cheios de energia tentaremos novamente, quando estamos sensibilizados por algo triste, pois temos essa habilidade, enfim sempre podemos ter alegria.

Mas é certo também que existe uma coisa que nos tira essa energia, drena, esvazia, essa coisa somos nós mesmos.

Medo de Perder

O medo de perder é um dos sentimentos mais presentes nas pessoas, ele pode se esconder de várias formas, ele aparece no medo de perder um amor, medo que alguém querido morra, medo de perder o emprego, medo de ser contrariado, medo de ser rejeitado, medo do que as pessoas vão pensar, medo que deixem de nos amar, medo de não conseguir o que deseja.

Todos esses e muitos outros são "medo de perder", mas há uma palavra que poucos usam, mas que engloba todas essas coisas, essa palavra é o ciúme.

É difícil separar em nós os sentimentos, por isso raramente descobrimos o que gera o que, assim não conseguimos eliminar as fontes do problema.

O medo de morrer é o ciúme da vida, o medo de perder alguém é o ciúme que sentimos por essa pessoa, o medo de ser rejeitado é o ciúme de nós mesmos etc.

Na pessoa ciumenta as relações com as pessoas e coisas é objetal, ou seja, ela trata tudo como um objeto que pode ser possuído. Mas como esse objeto não se comporta como "deveria" a pessoa acaba assumindo uma postura auto-destrutiva, para que o outro não o destrua, ela se destrói, para que o outro não a anule, ela se anula, para que o outra não deixe de gostar, ela se sacrifica, para que o outro não diga não, ela sempre diz sim, etc

E isso se baseia na falsa sensação de que deveríamos sentir segurança em tudo, que adquirimos um emprego então não podemos perdê-lo, que se achamos alguém para amar deve ser para sempre, que tudo o que ganhamos não deveríamos perder jamais.

Mas a segurança não existe, a única coisa que é fixa é que sempre haverá mudanças, e nas mudanças as coisas nem sempre acontecem como gostaríamos, e pelo ciúme que temos de tudo acabamos sofrendo, podemos até nos limitar e evitar novas conquistas quando perdemos nossa energia, nossa alegria chorando as coisas passadas e perdidas.

Enquanto não aceitarmos que ninguém é de ninguém, que tudo é instável (por mais que pareça ao contrario), nunca estaremos prontos para as mudanças e ensinamentos da vida, pois muitas vezes perdemos algo para ganhar outra melhor.

Muitas pessoas inteligentes já definiram que o ser humano precisa da segurança, ou seja, é fundamental ter segurança, mas para quem entende que a segurança é ilusão, somos movidos por outras forças, somos movidos pela esperança, pela vontade de melhorar sempre, não importa o que já conseguimos sempre podemos mais, mas fazemos isso não para buscar segurança, estabilidade, mas sim porque é natural do ser humano estar sempre em movimento, pois como diz a lei da correspondência que já falamos.
"O que está em cima é como o que está embaixo, e o que está embaixo é como o que está em cima".- O CAIBALION -
Vejam os astros que giram no espaço, as moléculas vibrando em tudo, a energia vibrando nas moléculas etc.
Nota: Agora veja que não falamos do egoísmo e orgulho propositalmente, pois eles são ilusão sobre ilusão, são emoções secundárias, ou misturas, por exemplo: o egoísmo é o medo de perder misturado com o orgulho (que é gerado pela comparação que falaremos mais para frente).
Assim não falaremos do egoísmo nem do orgulho, pois estão fadadas ao desaparecimento depois que suas fontes se acabarem.
Sentimento de Herói
Um sentimento que não tem nome em nosso vocabulário é o sentimento de herói. Essa pessoa sente como se tivesse uma missão a cumprir na terra, geralmente não sabe o que é, mas sente que é algo grande!

Muitas vezes se culpa por não estar se esforçando o suficiente, por não conseguir ajudar a todos, por não ser o melhor da classe, por não orgulhar os pais como deveria, por não deixar sua marca no mundo, por não achar uma solução para o problema da fome etc.

O herói acha que o que pensa como verdade é verdade absoluta e que se as pessoas soubessem o que ele sabe todos seriam felizes como ele é, seriam boas como ele é etc. Não raro, essas pessoas sentem que sentem dificuldade em receber idéias diferentes da sua.

O herói é sempre alguém que leva o mundo ou parte dele nas costas, leva a família nas costas, a empresa, os amigos, tudo de certa forma depende dele, é indispensável, insubstituível.

Porem, isso gera frustrações após frustrações, decepções após decepções, isso cansa, gasta nossa maior energia, a alegria, acabamos por nos sacrificar em nome de nossos ideais, em nome das pessoas que dizemos amar, em nome da pátria, em nome da honra etc.

É difícil para um herói, ler estas palavras, logo pensará: "eu não sou assim", ou "Estas palavras estão erradas", ou "eu tenho que ser assim, pois muitas pessoas dependem de mim".

Mas é exatamente esse comportamento que o limita, que o impede de ser mais, de ser livre, de crescer por si mesmo, e de ajudar mais ainda sendo você mesmo. Pois sempre está responsável por tudo que acontece em nossa volta, e quando colocamos nossa alegria, dependente de fatores externos, vendemos nossa alma ao "diabo", colocamos nosso tesouro na mão no ladrão, entregamos nossa vida ao bandido, baseamos nosso alicerce na areia.

As pessoas querem aprender por si, querem se sentir únicas e só gostam de aprender com alguém quando querem e solicitam tal coisa. Querem conseguir por si mesmas, não gostam dos frutos do sacrifício dos outros.

Todos nós temos sim uma missão maior, mas essa é em conjunto, é grupal, é a construção de um mundo melhor, a grande obra projetada por Deus. Mas isso é feito por nossas ações que são de forma natural, sem sacrifício, sem desgaste, sem levar ninguém nas costas, sem impor nossas filosofias a ninguém.

Sabemos que é difícil lidar com esse sentimento, que por muitas vezes é visto como algo bom, mas esperamos que essa semente de reflexão possa ajudar a racionalizar melhor nossas ações e despertar o senso de respeito ao livre arbítrio e ao caminho de cada pessoa.

Assim como ajudar a formar a chave da libertação pessoal, pois nós não temos a verdade que te libertará, cada um tem a sua, mas sabemos o que nos ajudou e temos fé que possa te ajudar de alguma forma.

A Vítima.

Muitas pessoas se encontram numa situação anti-humana, digo isso, pois se a natureza do ser humano é ser feliz, quem está triste é anti-humano. Isso acontece com as pessoas que reclama de tudo, nada está bom, nada está perfeito, sempre falta algo, as pessoas a sua volta sempre a querem derrubar, as pessoas a sua volta sempre são cheias de defeitos, traçam pra si modelos ideais, e como se não bastasse comparar a si mesmo com outros, compara os outros com seus próprios modelos perfeitos inatingíveis. Criam pra si um circulo vicioso indestrutível de prejuízos e lamentações, construindo uma história de dor e sofrimento que só aumentam ainda mais o problema.

Essa pessoa é a vítima. A vitima quer comprar o sentimento dos próximos, vendendo a lamentável história de suas vidas, como perderam grandes oportunidades ou como nunca teve nenhuma, como tinham muito e perderam tudo, como os outros têm muito e ela não tem nada, como é sofrida, como é difícil sua vida, como não é compreendida pelos pais, pelo chefe, pelo marido, pela mulher, pelos filhos, pelos amigos, pela sociedade etc, nunca se cansam de contar as mesmas histórias.

Além disso, jogam a responsabilidade se suas vidas nas mãos de outros ou de alguma coisa, como os que culpam o governo por sua miséria, que culpam seus pais por tudo, que culpam o gasto com os filhos causando sua miséria etc.

A vítima espera por dó, piedade, compaixão, doação, às vezes mente para garantir que todos compreendam que ela é realmente desafortunada. As vezes escondem sua preguiça pedindo para alguém fazer por ela, pois é uma coitada, ou não sabe fazer etc.

Ah! Como é possível reverter tal estado lamentável? Essa pessoa está morta, não busca mais a evolução, não busca mais nada de novo, só espera pelas migalhas e esmolas que suas lamentações trarão.

Todos temos um pouco de sentimento de Herói, todo temos um pouco de vítima, mas quem é o honesto que diz a sua própria consciência, "Sim eu sei que tenho mesmo, tento melhorar sempre?". O herói dirá "Não tenho isso não, inclusive vivo dizendo isso para tal e tal pessoa..." e a vítima dirá "Não, não é isso, é tudo verdade mesmo, Deus se esqueceu de mim..."

Podemos dizer a mais pura verdade para a vítima, "Você é a única responsável por sua vida!", mas ela vai achar milhões de desculpas, é por motivo de saúde, falta de estudo, o governo é ruim, os Estados Unidos mandam no planeta, alienígenas a abduziram quando era pequena, fizeram macumba pra mim, jogaram olho gordo, etc, assim, a vítima, nunca se cansará de colocar obstáculos a grande verdade inaceitável! "Você é a única pessoa responsável por sua vida!".

Tanto o Herói, quanto a vítima sofrem do mesmo mau, o herói pensa "Eu sou responsável por todos" e a vítima "todos são responsáveis por mim".

O caminho do meio é simples e fácil: "Eu sou o único responsável por minha vida, e só por minha vida".

Agora, talvez você reflita "Mas e meus filhos, não devo me preocupar com eles?" A resposta é uma pergunta: "Até quando e o que faz parte de sua vida, a vida dos seus filhos?", ou seja, por exemplo: é sua responsabilidade alimentá-los e educá-los enquanto são pequenos, e até às vezes quando adultos precisam de ajuda, por que isso faz parte de sua vida e para que você seja feliz precisa ver seus filhos felizes. Mas reflita até que ponto você está cuidando de sua vida, manipulando a vida dos outros ou entregando sua vida para ser manipulada por outros.

Esse tipo de reflexão serve para todo o resto, até onde vai o domínio de sua vida, onde começa e onde termina os limites de sua responsabilidade, e cada um chegará a conclusões diferentes. E assim, se alguém fizesse um livro dizendo o que você pode fazer ou não, quais os limites que cada pessoa pode assumir, esse alguém não estaria tentando ser um herói, pretendendo dizer o que é certo e errado conforme o que pensa? Assim, assuma o Domínio de sua vida você mesmo, assuma o volante desse carro que corre a cada dia mais rápido.

Vamos dar uma pausa no estudo das emoções humanas para tentar tirar algumas "dúvidas sobre Deus":

Tentativa em vão: quem é Deus! Outra tentativa em vão, "Não se pode saber quem é Deus".

No ponto de vista proposto aqui, Deus é inatingível, incognoscível, incompreensível, inimaginável etc. Mas muitas são as dúvidas que surgem ao tentar entender esse conceito "não-conceito".

Nós fomos ensinados a aceitar muitos conceitos sobre Deus, por milênios os sacerdotes sabendo da limitação intelectual do povo comum daquela época, criaram muitas formas de explicar Deus de forma compreensível, o que foi um erro, pois eles mesmos não sabiam, pois não há como saber.

Assim ensinando, o verdadeiro mistério divino se perdeu entre as mentes confusas e orgulhosas que diziam: "Eu O conheço". E assim como se fosse matéria de escola aprendem sobre Deus em livros e apostilas, como se o "Todo e Além" coubessem num livro que fosse menor do que o próprio infinito e além.

Não é minha intenção ir contra qualquer crença que você acredite, mas para que os textos sejam mais bem compreendidos é necessário que possa entender com quais crenças eles foram baseados.

Para demonstrar a ilusão de se crer num conceito, recorri a Mirdad um grande e misterioso sábio dos primeiros séculos depois do dilúvio.

Numa das conversas entre Mirdad e Micayon ocorreu o seguinte diálogo:
Micayon: Vínhamos para saber quem sois.
Mirdad: Entre os homens sou um deus. Quando estou em Deus, sou um homem. Compreendeste, Micayon?
Micayon: Dizeis uma blasfêmia.
Mirdad: Contra o Deus de Micayon - talvez. Contra o Deus de Mirdad - jamais.
Micayon: Haverá tantos deuses como há homens, para que faleis de um para Micayon e outro para Mirdad?
Mirdad: Deus não é "muitos", Deus é único. São, porém, muitas e diversas as sombras dos homens. Enquanto os homens projetarem sombra na terra, o deus de cada homem não será maior do que sua sombra. Só o que não tem sombra está na luz. Só o que não tem sombra conhece o Deus único, porque Deus é luz, e só a luz pode conhecer a luz.
Micayon: Não nos faleis em enigmas. Ainda é mui fraca nossa compreensão.
Mirdad: Tudo é enigma para o homem que segue uma sombra, pois esse homem caminha em luz emprestada e tropeça na própria sombra. Quando vos tornardes flamejantes de Compreensão, já não projetareis sombra.

Somos sombras de nós mesmos, sombras não conhecem a luz, só através de nós (os verdadeiros) que somos luz, conheceremos a luz. O que ele quis dizer foi que os véus (ilusões, crenças errôneas e tudo que nos cerca) que encobrem a compreensão do homem o impedem de emanar luz, como se colocassem uma vela debaixo do candeeiro. Somente projeta sombra aquele que não emana luz, e a luz é a compreensão, quem não tem luz, ou seja, não tem compreensão, só pode dar como frutos, sombras, e estas nunca são exatamente como a luz e nunca poderão ser.

Assim, até essas mesmas palavras são sombras, são selos com os quais encerramos, enfaixamos Deus, e nós mesmos somos exatamente isso, Deus enfaixado.

Como "estando" humanos devemos nos colocar em nosso lugar e assumir que enquanto formos guiados pelos nossos sentidos objetivos (véus), enquanto tentamos compreender tudo com nossa razão e inteligência humanas (selos), vamos continuar a seguir sombras, continuar a projetar sombras, que por mais parecidas possam ser do original, nunca serão a luz.

1) O que fazer então com Deus?
2) Se Ele não interfere no universo, pois este é perfeito em seu sistema, porque oraríamos para Ele?

R1: Suspendamos nossa crença e descrença Nele, ou seja, você não tem que crer ou descrer, em troca você vai sentir que ele é real, é o que basta, qual a pretensão de saber mais que isso? Antes disso, "SEJA".

R2: Deus é a fonte criadora, mas tem sua consciência e seu corpo, podemos pedir a Ele tudo o que nosso coração assim desejar, nos submetendo a sua vontade, ou seja, às suas Leis, e assim o universo, o Cósmico, se encarregará de fazer com que lhe "assim seja", desde que o que pediu estiver em harmonia com o universo. Lembra-se que Deus disse "EU" e tudo o que foi, é, e será, existiu.

Conclusão:
Podemos compreender todas as Leis que regem nossa existência, porem, não tomemos essas Leis como Deus;
Podemos conhecer todo o infinito material, mas não o tomemos como Deus;
Podemos entrar em contato com a consciência cósmica, mas não a tomemos como Deus;
Somente viva a realidade de sua existência UNA;
Pelo menos até que os olhos se desvelem e teus lábios quebrem os selos e possa compreender sua natureza divina e una;
Até lá, não se perca no labirinto da loucura procurando explicações sobre o inexplicável;
Não siga uma sombra, pois a hora que você emanar luz ela desaparecerá.

A INVEJA

Um sentimento que causa repulsa somente de ser pronunciado seu nome é a inveja, geralmente ligado a pessoas horríveis, de quem queremos nos afastar, repudiamos e discutimos os malefícios dela, mas na verdade, o mundo todo e todas as pessoas têm inveja, mas ela é tão sutil que raramente percebemos que sentimos. Veja:

O que é a inveja? É admiração! Sim, um sentimento muito bom, e que pode nos trazer outros sentimentos sublimes como respeito, compaixão, amizade, alegria etc. Mas assim você me pergunta, quer dizer que a inveja é bom? Eu direi não! Não é bom e, aliás, é péssima, pois a inveja é sim admiração, mas a admiração com comparação!

Entenda que nossa sociedade é baseada na comparação, na escola somos medidos em provas, comparando nossas respostas com as já obtidas por alguém e depois ainda compráramos entre nós, os alunos.

Quando se trata de algo como matemática tudo bem, pois as respostas são exatas (embora existam mais de uma forma para chegar a um resultado), mas quando se julga a compreensão de um texto, ou quando se falam paralelos entre socialismo e comunismo, podemos discordar e entender de outra forma, mas nos obrigamos a pensar como nossos professores, pois eles nos compararão com eles mesmos para aprovar ou não nossa passagem.

E fica pior a cada dia de nossa vida, uma mãe comprara um filho com outro, compara o filho com o filho da vizinha, nos comparamos com os personagens da tv, comparamos nosso carro com o do artista rico, comparamos nossa vida com a dos profetas. Estamos sempre comparando e é quase impossível não fazer comparações hoje em dia, pois se tornou uma forma pela qual o mundo gira.

Reflita agora por uns instantes o quanto somos obrigados a comparar, e o quanto nos comparam a nós nossos amigos, parentes e colegas de trabalho.
Funcionário do mês, estrelinhas no caderno, notas de provas, medalhas, troféus...
Seleção de empregados, escolha de uma escola, escolha de uma profissão etc...

Saiba que sempre que há comparação há inveja, ela pode ser sutil e não ser sentida como a conhecemos, mas mina nossas forças e sabe como?

Pois fazemos para nós mesmos modelos perfeitos, tomamos como meta algo que alguém alcançou, se alcançamos ficamos felizes por alguns momentos e procuramos outras metas, podemos nos desenvolver muito dessa forma, mas será que seremos realmente Alegres? Somente você pode responder e escolher que caminho tomar.

Agora e quando não conseguimos alcançar a meta que traçamos? E se a meta for realmente inatingível? Assim, nos frustramos, sentimos culpa por não ter conseguido, nos minimizamos, nos inferiorizamos, sofremos ou até mesmo fazemos sacrifícios enormes para conseguir o que almejamos, mesmo que tenhamos que sacrificar nossa alegria.

Uma solução, já que não é possível acabar com a comparação, é usá-la a nosso favor: usando a autocomparação, nos conduzimos por nossas conquistas e não a dos outros, ficamos felizes por estar melhor que ontem e saber que amanha estaremos melhor que hoje, não importa se estaremos mais do que o vizinho ou menos que o primo, estaremos comemorando cada mínimo passo em nossa evolução, e fazendo isso estaremos incentivando incessantemente a fazermos cada vez melhor, melhor do que já fizemos e não melhor do que ninguém.

Posse ser trabalhoso, passar da visão externa do "eles", para o "eu", mas será uma vitória recompensadora para sua alma, e poderá desfrutar do sentimento de admiração, e escolherá mais livremente o que seguir, as metas a serem traçados, os empregos a procurar etc.

Reflita sobre você mesmo, sobre as escolhas que fez, não esconda nada de você mesmo, e principalmente não se engane. Compreenda o que é hoje e o que foi ontem, veja onde pode melhorar e onde pode ser incentivado ainda mais, pratique a autocomparação, faça isso por você e só por você.

Encerrando: um conto muito antigo:
Um mestre muito sábio e prodigioso estava nos momentos finais de sua vida terrena, porem demonstrava medo da morte, e seus discípulos o interrogaram sobre o motivo do temor:

- Mestre! O que temes tu, que já fez grandes obras como Moisés e que foi tão sábio como Salomão!
O sábio respondeu então:
- Não me preocupo se fui mais ou menos que esse ou aquele. Temo que Deus me pergunte: Tu foste tu mesmo?

A Culpa.

Vimos até agora uma série de sentimentos humanos que gastam nossa energia, porem existe um sentimento secundário, como uma conseqüência, que embora seja secundário nos é tão ruim quanto os primários. É o sentimento de culpa.

Esse sentimento nasce de várias formas, é como o dejeto de nossos erros, tanto a autoculpa quanto se alguém nos culpa ou culpamos alguém. Muitas vezes a sentir culpa acabamos por cometer mais atos pelos quais nos culpamos, nesse estado estamos prostrados diante do erro cometido, como se não houvesse solução ou retorno, como se o presente fosse ancorado pela falha do passado.

O herói sente culpa por não ser o melhor, por não salvar o mundo, por não convencer as pessoas ao seu redor de que está certo etc. A vítima sente culpa por não a amarem, por ter perdido as oportunidades, pelo seu sofrimento, pelas mazelas de sua vida etc. O invejoso sente culpa por não ter o que o vizinho tem, por não ganhar mais que o irmão, por não ter o carro igual ao do chefe, a ser tão inteligente quanto o colega de classe etc. O medroso se culpa antes de acontecer qualquer coisa, só pelo medo de que aconteça.

Além disso, podemos ainda culpar nossos semelhantes por qualquer acontecimento que não nos satisfaça, culpamos os outros, mas nós também nos sentimos assim, pois no fundo sabemos que nós somos responsáveis por nossa vida. E mesmo que não tenhamos culpa, se alguém culpa a nós, sentimos tristes e pesados pelo dedo pesado do acusador.

Como fazer para deter esse ciclo? Será possível jamais errar? Será possível jamais ofender? Sendo que o erro faz parte de nosso aprendizado e a ofensa é filha da mente do próximo?

Sim é possível, e o remédio perfeito para isso já é a muito ensinado na humanidade, esse remédio é o perdão.

Perdoando nossas falhas nos livramos delas e a tornamos experiência em nossa vida. Perdoando as ofensas alheias, estamos aceitando a opinião alheia, pois a ofensa não é nada a mais do que isso, opinião de outra consciência. Perdoando a tudo o que nos prende, nos libertamos.

Há coisas que os humanos dizem imperdoáveis, mas quem é o juiz? Seremos nós superiores a qualquer um para julgá-los? Em verdade vos digo, aquele que julga e dá a sentença irá compartilhar da mesma com o réu.

Quem será o ofendido? Sua alma tem real defeito para que te ofendas? Ou será teu orgulho, que é mistura de comparação e ciúme, que se ofendeu pela própria comparação e ciúme? Vê quão absurdo é se encolerizar contra o céu e a terra, pois somos um e sendo um se encoleriza contra ti mesmo.

Quando tiver com dificuldade de perdoar a ti ou a teu irmão, lembre-se que quem atira o carvão para assim sujar o alvo também é vítima da sujeira, e o mesmo trabalho que o alvo terá para se limpar é o mesmo que terá o atirador.

O sofrimento que tiver sentindo culpa, será sua própria culpa, que alimentará seu sofrimento e só acabará com quando chegar o perdão, que é o alivio imediato e eterno para esse sofrimento.

E não pensem que será difícil praticar o perdão, pois a luz da santa Compreensão tudo se torna natural, pois o perdão é mais natural que a cólera, só não Compreendemos isso ainda.

Crenças Errôneas

O que podemos dizer que é errado crer? Será que alguém debaixo desse sol é suficientemente grande para conter toda a Verdade? Como julgaremos as consciências alheias, julgando com nossa mente limitada, suas crenças.

Porem podemos apontar algumas ferramentas que indicam que existe um engano ou ilusão, que no mínimo fará com que a pessoa possa por si mesma testar as verdades com sua própria existência, pois todo mundo é dono de sua vida, e as verdades virão tão somente de dentro dele. "Buscai o reino do céu e o resto lhe será acrescentado" e "O reino do céu está dentro de você".

O que você crê te liberta ou te aprisiona? Como saber? Vamos citar um exemplo que se encaixa a maioria das pessoas, o inferno existe? Qual é o beneficio de crer no inferno? Isso te fará uma pessoa mais feliz? Será que isso o impediria de cometer um crime ou será sua consciência a mão que segura a ira? Não é por falta de provas ou por sua existência que irá deixar de crer ou crer, pois até as provas podem mentir em seu testemunho, pois são interpretadas pela mente humana limitada e confusa.

Crer no pecado te ajuda em qualquer coisa? Essa crença te faz pensar em coisas sublimes ou te coloca medo e estabelece padrões inatingíveis, gerando culpa e frustração?

Crer que objetos sagrados são realmente sagrados te despertam a busca interior ou te faz buscar fora o que está dentro? Uma imagem te eleva ou te prende a ela?

Crer cruzar com um gato preto na sexta-feira te traz azar te fará amar ou odiar aquele inocente animal?

Qual a razão para levar consigo um pé morto de coelho, o que isso mudaria na vibração do universo para te ajudar, sendo um cadáver, o que um pedaço de cadáver aliviaria seus dias na terra?

O que é sorte e azar? Não são todas as coisas colheitas das vossas sementes, os semelhantes se atraem ou será que existe no universo alguma folha que caia sem que isso não seja conseqüência de uma lei natural?

Veja então o que quer escolher para crer, mas leve em consideração:

Verifique se consegue dizer não as perguntas:
- Sua felicidade depende disso?
- Sua liberdade depende disso?
- Seu apego às coisas materiais aumenta?
- Seu fanatismo religioso aumenta?
- Está tentando imitar o caminho de um outro?
- Isso te limita de alguma forma?
- Estabelece padrões de personalidade ou de qualquer espécie?
- Incentiva o medo, comparação e ódio?

Consegue dizer sim a estas:
- Está seguindo seu caminho?
- Tem a responsabilidade sobre sua vida e não está jogando para outros?
- Assume os erros como seus e encara como aprendizado?
- Passa pelo crivo de tua razão?
- Te liberta?
- Te faz feliz?
- Te ensina a pescar e não só dá o peixe?
- Incentiva o amor, compreensão e harmonia?

Veja que até esse teste pode ser vítima do próprio teste, se ele passar por sua consciência com louvor, ótimo tens uma ferramenta para ajudar a escolher o que crer ou não, mas se não passar por sua razão, é ótimo, pois tem seu próprio mecanismo de seleção.

Exercício: Passe a frase abaixo pelo teste acima ou pelo seu próprio, depois creia em sua verdade ou descarte de sua consciência.
Construam seus caminhos, deixe-os iluminados para que os homens da terra o vejam e possam aprender se quiser, mas não obrigue ninguém a percorrê-lo, nem se obrigue ou deixem que te obriguem a percorrer o de ninguém.

Aqui se encerra a série falando sobre o comportamento humano. Nos próximos capítulos começaremos a falar da projeção astral. Se alguém desejar se aprofundar nos princípios herméticos pode solicitar receber o E-livro Caibalion que discorre com maestria sobre o tema, cujo qual é por demais abrangente para ser totalmente explanado por esse meio.

Primeiros passos rumo à projeção astral.

Peço aos que já possuem um conhecimento do assunto que tenham paciência, pois passaremos por todos os pontos, desde o inicio.

Estar presente.

Você está lendo estas palavras agora, mas será que está só fazendo isso? Será que não esta aí escutando a tv, ouvindo música, escrevendo um e-mail, trabalhando, escrevendo no MSN e ainda pode estar comendo um delicioso sanduíche.

Pois bem, o ser humano é muti-tarefa, mas saiba que está na realidade fazendo um de cada vez, nossa consciência só trata de um fato por vez, um conceito, um detalhe de uma imagem, um som etc. Mas fazemos isso com tal velocidade que podemos imediatamente após focar nossa atenção a outras coisas e depois voltar a focar o que estávamos fazendo antes, e nessa rapidez toda nos parece estarmos fazendo várias coisas ao mesmo tempo.

Pense enquanto dirige, você está prestando atenção no som do motor ou na velocidade, decidindo a toda a hora se freia, se muda de marcha, focando numa pessoa atravessando a rua e "ao mesmo tempo" vendo o carro querendo te ultrapassar, mas o telefone celular toca, você é claro atende e assim acaba batendo no carro e atropelando a pessoa.

Mas isso porque relativamente à velocidade do carro, sua alternância de um fato a outro é "reduzido" pois cada segundo dentro de um carro em velocidade se descola no espaço muitos metros, e um segundo em que sua atenção se voltou ao celular foi o suficiente para que tirasse seu tempo necessário para reagir a situação.

Como poderá compreender assim que refletir sobre esse assunto, o mundo nos faz praticar essa alternância de uma forma muito massiva, isso cansa qualquer cérebro, é um dos fatores do estresse mental, e já sabemos o que isso faz com nossas energias psíquicas.

É necessário nos dias atuais, não só pelo fator saúde, mas também para quem deseja ser místico ("místico" significa quem estuda as leis do Cósmico), treinar estar presente, ou seja, manter-se focado numa única coisa.

Como se manter presente? Primeiro é necessário desenvolver a concentração, é ela a força de vontade para manter a mente estável, para tanto existem várias técnicas, vou passar uma que é das mais comuns porem muito eficiente, além disso, você desenvolverá sua paciência como bônus:

1) Vela:
a. Coloque uma vela acessa a sua frente, há uma distância de uns 3 metros;
b. Sente-se confortavelmente e respire profundamente durante um minuto;
c. Relaxe o corpo pensando durante alguns segundos sobre cada parte do mesmo.
d. Depois focalize a chama da vela, se pensamentos vierem a mente tudo bem, diga a eles "Eu tratarei disso depois, agora estou me concentrando" ensine seus pensamentos que aquela hora é para descanso eles entenderão e não mais te perturbarão durante os exercícios;
e. Continue focando a vela, pisque o menos possível, pode deixar o olho um pouco mais fechado que o normal para ajudar;
f. Procure se sentir um com a vela, esqueça o ambiente, seu corpo, só existe você-chama;
g. Fique o tempo que quiser, aquiete a mente e aproveite o beneficio que isso te trará;
h. Se qualquer coisa te distrair e fizer sua mente se alternar, não tem problema volte a se focar na chama.

Nos dias após, pode repetir o exercício o quanto quiser, procure porem se sentir presente durante todo o dia, faça armadilhas, como por exemplo: se costuma pega na maçaneta da porta com a mão direita, tente começar abrir com a esquerda.

Tome alguns hábitos que você faz quase automaticamente e mude algo neles, force a manter sua mente objetiva ativa o tempo todo, em tudo o que faz, se pensamentos do passado ou preocupações do futuro lhe vierem a mente, responda a eles "Isso eu já resolvi", " Pensarei nisso amanha, pois agora estou fazendo tal coisa" etc. Coloque seus pensamentos para te ajudar e não deixem que te atrapalhem.

Nota Um: No plano astral, tudo o que você pensa pode se tornar visível. Imagine como é para uma mente instável estar no astral? É sempre muito confuso e nunca fazem sentidos, são muito parecidos com aqueles sonhos sem sentido que temos de vez em quando. Não é o tipo de projeção que alguém desejaria. Então desenvolva sua concentração.

Nota Dois: Concentração, apesar de ser necessária, não é meditação, teremos um texto especial sobre meditação mais adiante.

Nota Três: A vela é só uma sugestão, pode ser um ponto na parede, uma tampinha na garrafa, um ponto dentro do ônibus, uma letra num livro etc.

O sentido das coisas
Agora chegamos numa parte na qual só fará sentido para aqueles que entenderam os princípios até agora.

Qual o sentido da vida, qual nosso objetivo, porque deus criou o homem etc?

Todas essas perguntas que aparentemente sem resposta, se perdem na filosofia, muitas vezes com teorias complicadas e difíceis de entender, porem as respostas são mais simples que se possa imaginar, talvez por isso quase ninguém compreende, como aceitar algo tão simples quando o infinito parece tão complexo? Vamos deixar as explicações do "como" aos cientistas, e vamos aos "os quês" e "porque".

Porque deus criou o homem?
Deus criou o homem por sua natureza criadora, Ele é uma fonte de água, como uma fonte não iria jorrar (criar)? E o que essa fonte iria jorrar senão água? Por isso somos semelhantes a ele. Porém não pense que Deus teve vontade de criar, pois então a vontade de deus seria maior que o próprio Deus, para que Deus seja o ser supremo ele poderia estar subjugado a uma vontade? Também não foi por estar só, isso seria um sentimento, e o sentimento seria algo acima do ser supremo? Seria o rio, maior que a fonte, se este não existe sem a mesma?

Porque seria difícil aceitar que Deus é uma fonte eterna de onde emana o infinito, essa é a natureza dele, porque precisaríamos tentar lhe impor características humanas, ou então tentar entender o que não compreendemos, o que não abrangemos?

Qual o destino do homem?
Muitas são as respostas, e muitas são as escolhas que fazemos, como é em cima é embaixo, nós somos o micro-cosmo, nós criamos assim como deus faz, porem numa escala infinitamente menor. Assim nosso destino é criar, compreender o macro-cosmo é criar o seu micro-cosmo, é abranger uma parte maior de existência.

Pense em você como um ovo, quando está no ventre de sua mãe, seu ovo é o útero, quando nasce seu ovo se expande e abrange quem sabe alguns metros em sua volta, e conforme cresce, seu universo se expande com cada conhecimento, com cada imaginação, com cada compreensão, e veja que em nossa língua a palavra compreender pode ser usada como a palavra abranger, e esse é um significado mais completo.

Com cada vida, você adiciona mais infinitos aumentos em seu ovo, tornando seu universo cada vez maior e mais complexo. É fácil se perder dentro de nossos ovos. O conceito do tempo e do espaço é criado por nossa mente dentro desse ovo.

Quando dizemos que compreendemos alguma pessoa, mas ela não nos compreende, é a mesma coisa dizer que o ovo daquela pessoa se acha dentro do nosso, e assim é claro é impossível para a tal pessoa compreender, abranger, entender nosso ovo.

Nós não somos Deus, e nunca seremos, não voltaremos à fonte, mas nos assemelharemos a Ele assim que rompermos a casca do ovo, romper a casca do ovo é como receber o Espírito Santo, receber o Espírito Santo é ter a Santa Compreensão! É assim que os santos falavam com tanta autoridade e firmeza, convictos de cada palavras que proferiam.

Assim, embora ainda sob as regras e leis universais, poderemos aplicá-las com nossa consciência, os milagres não são desvios ou suspensões das leis, elas são imutáveis, e inevitáveis, porem podemos aplicar leis superiores às inferiores para produzir resultado que muitas vezes espaça as nossas capacidades de compreensão, e então chamamos de incrível milagre.

Mas podemos questionar então, como quebrar a casca? Como sair de algo que sempre que chegamos perto de seus limites ele se expande mais? Tão simples a resposta que quando dada pode trazer arrepios de tal simplicidade.

Se deus é uma fonte que emana em todas as "direções", então onde ele estaria senão no centro? Se nosso corpo é nosso primeiro ovo, onde nos assemelharíamos mais a Deus senão dentro de nós mesmos?

É simplesmente isso, romper a casca é retornar ao centro, do centro poderá ver toda a criação, ver toda a vida, ver a face de Deus. Quando chegar a esse ponto também saberá que pode ser co-produtor dessa magnífica obra, assim será chamado a si mesmo de filho de Deus e contribuirá para a Glória da coisa mais maravilhosa que você poderá encontrar.

Mas não se iluda ou tema que ao retornar ao centro é fusão com Deus e você sumirá como uma gota no mar, isso é como dizer que se tornará o próprio, para entender, imagine uma pessoa em sua mente, faça com que ela assuma com sua personalidade todas as funções de seu corpo, de sua mente etc. assim, mesmo que essa recente criação "sendo" você (imagine ser outra pessoa), pergunto, você realmente deixou de ser você? Não pode se quiser simplesmente acabar com a brincadeira? Para criar essa pessoa imaginária, você deu a ela algum pedaço de si? Ou você simplesmente foi à fonte da existência dela, ela poderá compreender realmente completamente o que é você? Lembre-se que a palavra compreender é usada como abranger.

Qual o segredo da vida e do universo?

Deus tem o poder para despertar a todos nós instantaneamente, mas deus criaria algo que fosse igual num universo infinito? Nem os clones são completamente iguais, assim é necessário que façamos isso sozinhos, caminhando por nossa senda, nosso próprio caminho, para que cada um de nós seja em si, um micro-universo completo e exclusivo.

Deus é a fonte da luz, e nós somos as pontas dessa luz. Somos os emissários de deus, para ajudar e cooperar com a grande obra. Mas para nos darmos conta disso, Ele criou um sistema perfeito para despertar em nós a consciência, para que possamos experimentar a separação, a dualidade de tudo, a polaridade, a escala etc. Para que possamos gradativamente despertar nossa consciência, aumentando nosso ovo até que possamos através das experiências que passamos no mesmo, compreender o "Centro", e assim nos tornarmos abeis a sermos únicos, diferentes todos um do outro, mas unos como um só corpo e passar de universo em universo eternamente... É assim que a água do rio segue seu leito...

Princípio da Dualidade

Como já vimos tudo no universo é mental, e tudo está vibrando, e tudo mantêm uma correspondência do grande para o menor do menor para o maior.

Vamos notar agora que tudo no universo é também dual, ou seja, tem dois pólos, também chamado de princípio da polaridade e gênero, diz que existem sempre dois pólos em tudo, positivo e negativo, feminino e masculino, mente e natureza.

Se Deus é a mente, e ele é também a natureza cósmica, é o encontro dos dois que gera a manifestação física que experimentamos. Explicando melhor citaremos um exemplo, a natureza criadora de Deus cria em sua mente a forma de um planeta, essa imaginação é positiva masculina, assim atraindo as forças negativas femininas da natureza cósmica para a materialização de sua criação.

Como diz o princípio da correspondência, o que é em cima é embaixo (embora em escalas diferentes que veremos no próximo texto), então temos o porque da natureza em quase a totalidade das espécies serem exatamente duais, ou seja, terem sexos distintos.

Mas para criar, o ser humano junta um macho e uma fêmea e assim produzem uma criança através do sexo, mas Deus embora aja da mesma forma, juntando positivo e negativo, não usa do sexo para criar, antes usa a "palavra" ou vibração.

Veja o humano: a garganta está no lado oposto do corpo em relação aos órgãos genitais! Sim, existe um significado simbólico nisso. Nós evoluímos do sexo orgástico como forma de criação até a criação pela palavra. Assim sendo, contrario algumas filosofias que pregam o sexo como algo divino, como algo especial com que o humano possa evoluir, construir corpos astrais e mentais etc. Ao controlar seus impulsos sexuais, e colocá-los sobre seu domínio você deixa de gastar energia em vão, e é isso que faz com que algumas pessoas dessas filosofias consigam algum adiantamento espiritual mais rapidamente, porem muitos correm o risco de contraírem doenças físicas e psicológicas por não dar vazão aos seus instintos. Lembre-se controlar, não é reprimir!!! Poderemos entrar em mais detalhe sobre isso se desejarem, mas para nosso conceito não é preciso saber mais do que isso: Fazer ou não fazer sexo orgástico não impede a evolução espiritual nem é condição obrigatória.

Em nossa sociedade, conceitos como alma gêmea, cara metade etc são muito comuns e bem aceitos, e é fácil se apressar a pensar que se Deus é tanto o positivo e o negativo, se Ele é tanto o Pai como a Mãe, então nós também para sermos completos temos que ter nossa alma gêmea, encontrar nossa cara metade, nosso pólo contrário.

Porem não é bem assim, cada ser é um micro-cósmo completo, não precisando de complemento algum, só está experimentando a sensação de separação, de individualidade, assim como está experimentando a sensação da dualidade.

Em culturas alienígenas espiritualmente evoluídas, onde a criação já se dá pela palavra e não mais pelo sexo, não existem mais sexos, são todos o mesmo tipo de corpo, já não experimentam a sensação da dualidade e não sentem a necessidade de ter uma companhia qualquer, pois são uma grande fraternidade onde todos se amam mutuamente.

Assim, almas gêmeas só existem no âmbito humano, e assim mesmo até que entenda e compreenda o porque da dualidade, o que é claro eu também ainda não escapei, pois ainda sinto necessidade de ter minha companheira e assim serei por muitas vidas ainda.

Ou seja, embora em nosso futuro como raça, seremos todos como aquela raça alienígena que citei, isso não significa que devemos pregar a castidade ou largar nossas companhias, isso será um processo natural e muito longo, mas sim que devemos nos conscientizar que ninguém é parte de nós, ninguém pertence a nós, ninguém tem que estar para sempre conosco e que podemos em definitivo, estando ou não com alguém, podemos ser felizes e ter plenitude na vida, em nosso desenvolvimento tanto físico, emocional, comportamental, social e espiritual.

Assim, se puderem, reflitam sobre isso e desatem os nós que vos prendes uns aos outros para que nós todos possamos seguir com mais harmonia. Porem se não conseguirem se desvincular do sentimento inerente ao dualismo, não force nada até que tenha compreendido, pois controle não é repressão, siga seu coração.

Princípio da escala.

Esse princípio está contido dentro do princípio de polaridade ou dualidade ou gênero, porem resolvi falar de forma separada para mostrar sua importância.

Imagine a temperatura de um corpo, o que é a temperatura? É a quantidade de movimento ou vibração das moléculas de uma substância, então o frio é pouca vibração e o calor é uma maior vibração. Temos então que o calor e o frio são as mesmas coisas!

O amor é uma escala, e o ódio, tido como contrário é apenas pouco amor, assim como covardia é pouca coragem, maldade é pouca bondade, e tudo evolui em escalas, por exemplo: o meio da escala do amor, é a indiferença.

Com pouca reflexão é possível chegar a conclusão que é possível transmutar esses sentimentos mais baixos na escala para sentimentos mais altos na escala, e é verdade, porem então seria fácil uma pessoa ser corajosa, feliz, amorosa, forte, generosa, caridosa, altruísta sempre? Não, todos sabemos que não é pois em tudo também existe o ritmo.

Princípio do Ritmo
"Tudo tem fluxo e refluxo; tudo ,em suas marés; tudo sobe e desce; tudo se manifesta por oscilações compensadas; a medida do movimento à direita é a medida do movimento à esquerda; o ritmo é a compensação." - O CAIBALION -
Este Princípio contém a verdade que em tudo se manifesta um movimento para diante e para trás, um fluxo e refluxo, um movimento de atração e repulsão, um movimento semelhante ao do pêndulo, uma maré enchente e uma maré vazante, uma maré -alta e uma maré baixa, entre os dois pólos, que existem, conforme o Princípio de Polaridade de que tratamos há pouco. Existe sempre uma ação e uma reação, uma marcha e uma retirada, uma subida e uma descida. Isto acontece nas coisas do Universo, nos sóis, nos mundos, nos homens, nos animais, na mente, na energia e na matéria.
Assim, existem métodos para trabalhar com esse princípio, pois sabemos que logo que temos uma grande felicidade o momento seguinte vem numa escala menor, e as vezes até de tristeza, como poderíamos então ficar no topo, sem ter que sofrer a eminente descida?

Embora eu não possa responder, qualquer um pode buscar esse conhecimento nas escolas herméticas ou dentro de si mesmo. Mas para o proposto aqui basta afirmar que não é possível escapar a aplicação do efeito do Ritmo, mas há como neutralizar seus efeitos.

Todos os indivíduos que atingiram qualquer grau de Domínio próprio executam isto até um certo grau, mais ou menos inconscientemente, mas o Mestre o faz conscientemente e com o uso da sua Vontade, atingindo um grau de Equilíbrio e Firmeza mental quase impossível de ser acreditado pelas massas populares que vão para diante e para trás como um pêndulo.

Essa é a técnica muito antiga conhecida por alquimia, que é conhecida erroneamente como um processo de elevar metais inferiores ao ouro puro, porem em essência é isso mesmo, elevar nossa alma a algo mais perfeito e puro dito simbologicamente.

Obs: Explicações do áudio texto "aos pés do mestre".

Ensinamentos do Mestre

Estas palavras não são minhas, mas do mestre que me guia. Que elas vos auxiliem, como a mim auxiliaram.

"Olhar para um alimento e dizer que é bom não satisfaz um faminto"

Não basta escutar a palavra, achar lindas e iluminadas, é necessário também viver a palavra, integrá-las, vivenciá-las. Se quiseres seguir a senda do conheciemento, trabalhe hoje e até o final de sua vida em conhecer a ti mesmo, se não é teu caminho procure a senda da crença ou senda da fé. Senão, agora que conheceis a existência dos caminhos, se não seguir algum seus pés tropeçarão por sua indecisão. Até ficar parado é uma decisão, se não sabe para onde vai ficar parado é melhor do que se perder no abismo do conhecimento humano.

Apartai-vos de confiar ao vosso cérebro a sua vida, não creia que buscar somente o que o primata intelectual pode conhecer resultará na sua libertação. Antes saiba que é acessível a todas as almas a consciência universal que permeia a tudo e a todos. Nem faça pior achando que a mente com qual raciocina é a sua mente, o seu Eu, se assim fizer, na morte encontrará a morte.

Quatro coisas são necessárias ao caminho.
- Discernimento
- Ausência de desejos
- Desapego
- Amor

Discernimento:
É uma faculdade muito mal desenvolvida, muitas vezes, é tomada como saber o que é certo ou errado, o que é bom ou ruim. É isso também, mas o principal dela é saber o que é digno de ser adquirido e o que não é, é saber que conhecimento é verdade e o que é futilidade, é assim que poderemos percorrer a senda, colhendo seus frutos e retirando as pedras. É assim que nos afastamos da loucura e da soberba, é assim que nos mantemos humildes mesmo tendo uma sabedoria que é considerada superior.

Muitos usam suas faculdades para adquirir riqueza e poder mais do que precisam, para terem por um breve período coisas que consideram essenciais. Essas coisas servirão apenas para esta vida, e não devem consumir todo o vosso tempo.

Os primatas intelectuais se vangloriam de sua inteligência, de saber e aprender tudo que lhe vem a sua frente, são como palhaços loucos, e quando olham para si mesmos não encontram local para viver na terra, se acham estranhos no meio da multidão, pois a vida já não tem sentido claro, na loucura se encontram em um mundo criado por si para si mesmo e percebendo que é uma ilusão, acham que o mundo real é uma ilusão, que a vida real é ilusão. E ainda há alguns que mesmo percebendo isso acham graça, se sentem superiores por serem esquisitos, adicionando mais alguns anos em sua prisão. Estão sempre em busca da ultima verdade, e sua busca é eterna e viverão sempre na ilusão. Esperando que o passaro seja um dia livre, mesmo que já esteja.

Os sábios reconhecem a realidade onde estão, podem ver como as coisas são de verdade, reais na atualidade. E mesmo que o que era ontem se torne ilusão, quando vivida era realidade, e agora está vivendo uma realidade superior, é assim nesse eterno subir na realidade que ele vive para sempre no mundo real, cada vez mais perto do ideal criado por Deus. Os sábios mantêm seu coração nas estrelas, mas os olhos na terra.

Quem tiver olhos que leiam e compreendam, senão, vomita as palavras antes que elas te destruam e te levem a loucura.

Quem sabe da verdade, e a verdade é que Deus tem um plano, e o plano é o da evolução, então não mais importará que religião está, nem em que país nasceu, nem em que condições estão seus vizinhos e amigos. Você tendo visto apenas uma vez o plano de Deus, não poderá deixar de cooperar com ele, buscando a evolução, tanto da matéria quando do espírito, pois a matéria é a manifestação máxima da criação 1, evoluir a matéria é ajudar com o plano de Deus, e para ajudar cada vez mais, evoluirá seu espírito, que disporá de maiores ferramentas para a cooperação na grande Obra.

Nota: é raro as pessoas que acreditam que a matéria é a expressão máxima da criação, não peço que acreditem por ter sido dito por esse ou aquele mestre, mas peço que considerem sua lógica e ilógica pelo ponto de vista da evolução que a matéria vem sofrendo, não é através do reino físico que despertamos para a existência de Deus e de nós mesmos? Não é através dele que evoluímos, e mesmo os planos mais sublimes são extensões de um mesmo plano, Deus criou o mundo e o universo e viu que era bom, criou o homem e viu que era bom, depois deu ao homem o domínio sobre tudo o que tinha criado. Onde somos deuses e reis senão no reino que Ele nos concedeu? Assim temos que nos libertar do mundo para dominá-lo, pois somos dominados por ele, essa é a mentira, essa é a ilusão, que estamos dominados pelo mundo, quando na verdade o mundo está sobre nosso controle, e isso para que façamos dele o paraíso e reflexo da perfeição divina.

Ausência de desejos

Muitas pessoas acham que se não tiverem mais desejos não serão mais alguém, estão crentes que os desejos são elas mesmas.

O homem tem duas fontes de vontade, o corpo e a alma.

Quando seu corpo desejar alguma coisa, e para saber que é seu corpo uso o seu discernimento, para e pense... Esse desejo é meu ou de meu corpo? Procure dentro de vós, no mais fundo domínio, e lá encontrará e ouvirá a vós de Deus, que é também a sua, e a vontade dele é a sua verdadeira vontade.

Não reprima a vontade de seu corpo, a controle, se é vontade do corpo, não tem urgência em ser satisfeita, decida conforme o contexto se deve ou não conceder ao corpo seu desejo, mas só conceda o que estiver em harmonia com o universo, o que trará o bem para ti sem prejudicar os outros ou que traga o bem para os outros sem prejudicar a ti mesmo. Lembre-se das palavras do Grande: "Amais ao próximo como a ti mesmo", porem ele não disse "Amais ao próximo ao invés de ti mesmo".

Assim seu corpo aprenderá a te obedecer e reconhecerá que tu és sábio para o controlar e entregará suas energias para que você o Eu verdadeiro trabalhe em prol da grande Obra.

Mas o que é o corpo? Seria o corpo físico? Não só ele, seu corpo é o corpo físico, o corpo astral e o mental, que embora sejam ensinados de forma separada, e sentido às vezes de forma separada são na verdade um só, assim, não confunda seu eu verdadeiro com seus corpos. Senão um deles te dominará, e você será como a marionete, e não mais cooperará com a grande obra, pois estará sobre seu domínio, e assim preso a ilusões e dificilmente encontrará saída.

Conheça a todos os seus corpos, pois cada um deseja ser o "ego", e assim obter o que deseja. E assim poderá controlá-los e utilizá-los para o beneficio do universo.

O seu corpo é seu cavalo, portanto é conveniente tratá-lo bem, alimentá-lo, abrigá-lo da chuva e do frio, e até mesmo conceder o devido descanso e prazeres que possam restaurá-lo em suas forças. Mas ao fazer isso, nunca assuma seu papel, não vicie em seu gosto.

Seu corpo físico vai querer que coma tudo, que tenha paixões irresistíveis, vai querer mostrar sua força e sua competitividade, vai querer satisfazer sua sede de sexo e pode te levar ao alcoolismo e as drogas, isso porque ele está no mundo e o mundo o leva a fazer essas coisas.

Seu corpo astral irá querer que fale palavras ríspidas, que se encolerize, que pule de lugares altos, vai querer que sinta ciúmes, que tenha vontade de ser rico e principalmente poderoso, vai querer que seus desejos se tornem reais rapidamente, vai te lançar ao amor humano.

Porém ele não vai fazer isso porque quer te fazer mal, ou porque seja mau. Ele faz isso, pois gosta das vibrações fortes e violentas, e isso porque está apto a suportar grandes quantidades de energia, e como geralmente não preenchemo-lo de amor, ele se sente vazio e como não tem sabedoria se entope de qualquer vibração.

Seu corpo mental vai querer ser respeitado por sua astúcia, sua inteligência, se dará aos bajuladores, e se engrandecerá e se sentirá superior, desejará manter-se orgulhosamente separado da consciência cósmica, retendo o seu auxilio, pois deseja ser superior até ao que é superior, deseja ser Deus e não aceita ser apenas uma criação do mesmo. Vai fazer com que pense muito em ti mesmo, e pouco nos outros.

Mesmo que tenha se livrado das coisas mundanas, o seu corpo mental irá fazer você pensar sobre o seu próprio desenvolvimento, se esquecendo da grande Obra, você irá querer se superar, evoluir, mas se esquecerá de evoluir o mundo junto contigo e assim você não terá frutos qual a validade de todo seu desenvolvimento?

Vigiai e Orai, para que não se torne escravo de teu cavalo, nem se torne cavalo dos outros.

Estuda profundamente as leis do universo e organiza sua vida conforme elas, e nunca te faltará nada, nem nenhum mau te atingirá, e mesmo a pedra no caminho será um aliado ao teu aprendizado e assim um bem.

Desapego

É preciso se livrar das paixões do mundo, aprender a receber sem e dar, aprender a deixar a roda do tempo girar sem que esta te gire.

Não há o que se falar muito sobre o desapego, pois conhecendo a ti mesmo, dominando seus desejos, usando seu discernimento irá automaticamente compreender o que é o real desapego.

Porém, saiba desde já que não é estar alheio a tudo, não é fugir do mundo, não é deixar de ter sentimento por tudo, e sim desapego é amar as coisas como elas são e não como gostaria que elas fossem.

Seis pontos sobre conduta exigida ao caminho.

1 - Controle da mente

É o que nós temos falado, controle dos desejos, discernimento, controle do temperamento, de forma que não possa mais sentir raiva ou impaciência. Assim poderá ter firmeza para enfrentar as dificuldades da senda e as pequenas perturbações diárias que a maior parte das pessoas consomem todo seu tempo.

Controla bem seus corpos, pois, por exemplo, pode cometer um mau sem saber, pode se entregar ao desanimo, e o desanimo contamina os outros tornando a vida deles pior, e não tem o direito de fazer isso.

Não deixe sua mente vagar, concentre-se no que está fazendo para que faça com perfeição possível, não a deixe ociosa (a não ser em exercícios) afim de que não seja um alvo fácil as vibrações ruins.

Se afaste do orgulho, pois só o tem o ignorante que se acha grande em algo, mas só Deus é grande e tudo é feito por ele.

2 - Controle da ação

Se tiver os pensamentos sobre controle, será fácil controlar a ação, e mais além, para ser útil a humanidade é preciso ação, traduza seus novos pensamentos em ação, ajude, mentalize o bem, pratique a palavra.

Mas ao ajudar outras pessoas, não faça o serviço delas, nem ache que ensinar a sua idéia de vida a irá ajudar, porem se alguém pedir seu auxilio para fazer o trabalho dela, faça-o com animo.

Todo ser tem direito de pensar o que quiser desde que não interfira no direito dos outros, assim só dê sua opinião se for solicitada. Se for dizer algo, diga o que pensa, sem tentar parecer sábio, ou sem tentar não parecer prepotente ou orgulhoso, pois quem pediu a opinião deve estar preparado para ouvi-la. Assim quando pedires a opinião de alguém, aceite o que ela disser, acredite ou não, e se puder tente entender o porque daquele pensamento assim aprenderá mesmo não mudando sua forma de pensar.

Se alguém quiser forçar que aceite uma idéia, responda com o silencio, pois ela não quer te convencer, ela apenas quer ter certeza que ela mesmo fala.

"O tolo fala tudo o que sabe, o sábio sabe tudo o que fala".

3 - Tolerância

Deve ser totalmente tolerante com as crenças e religiões dos outros, pois são também um caminho para o mesmo Deus que acredita, tenha um sincero interesse por tudo o que não compreende para poder ajudar alguém mesmo sendo de outra filosofia, pois se não compreender a filosofia de seu próximo como seus conselhos poderão lhe ser útil?

Para que alcance essa tolerância, você mesmo precisa se libertar das superstições e beatices, não há cerimônias indispensáveis, nem objetos que contenham o poder divino, nem templo ou igreja que seja mais sagrado que o seu coração, mas nunca condene quem ainda se apega a estas coisas, pois elas são necessárias àquela pessoa naquele momento, respeite-as.

A todos dê suas explicações sobre o que sabe se assim pedirem, mas não te perturbes se esta não aceitar e até mesmo te criticar. A melhor resposta é o silencioso amor.


4 - Contentamento

Deve suportar sua vida com contentamento, por mais duro que seja sua situação, pois são frutos da ignorância de sua vida antiga e que deve suportar como parte do processo, de pouca utilidade terá você se desesperar, se desequilibrar, ou sofrer. Sofrer numa situação difícil é sinal da ignorância, da falta de paciência, da falta de perseverança, da falta de confiança.

Abandona todo sentimento de posse, e apego, pois a vida pode sem avisos lhe tirar essas coisas, e se estiver apegado a elas, será difícil suportar essa perda, se desapegue até mesmo as pessoas que mais ama, embora continue amando-a, e às vezes fazendo isso a amará ainda mais.

Deve estar sempre pronto a abandonar tudo, assim como se fosse morrer a qualquer momento.

5 - Perseverança

Nesta senda, é necessário investir forças, se manter no caminho, não importa que sentimentos e infortúnios lhe ocorram, pois assim que começa sua ascensão as próprias forças do mundo irão tentar atrapalhar vosso caminho, e anjos irão testar suas intenções, mas seja grato e feliz, pois saberá que isso tudo é para o vosso bem, para que despertes e se livre de todas elas.

6 - Confiança

Fé não é crença sega, não é crer no miraculoso, não é esperar por dádivas celestes gratuitas, fé é ter confiança de que está trilhando um caminho de justiça e verdade, é ter confiança que suas ações são puras e boas, é ter confiança no seu mestre, e que ele lhe encaminhará para o melhor caminho.


O mestre é você real.

Algumas destas são conhecidas, outras nem tanto, e algumas podem ser feitas em conjunto com outras, por exemplo a oração com relaxamento, afirmações com imaginação projetiva etc.

Exercício um: Afirmações
Visa comunicar ao subconsciente sua vontade e determinação.
Use frases afirmativas e positivas como: Eu quero sair do corpo, eu vou sair do corpo durante o sono, é fácil sair do corpo, etc.

Exercício dois: Orar
Orar seja pra quem for visa fortalecer a convicção e evitar o medo, além de naturalmente elevar os pensamentos para uma melhor experiência fora do corpo.

Exemplo de oração: Essência do universo, amparadores e todos os seres da luz, por favor, com muito respeito peço por sua ajuda na minha meta de me projetar conscientemente para fora de meu corpo, assim farei o meu o máximo para me tornar uma pessoa melhor e útil a todos os meus irmãos.

Exercício três: Relaxamento
Visa possibilitar que você consiga manter o foco fora do corpo, que é umas das chaves para a saída.

Exemplo: Comandar a todas as partes do corpo para que relaxem por completo, mantendo uma respiração profunda no inicio e normalizando durante o exercício. Não esqueça dos músculos da face e principalmente do olho, evite olhar de mais para cima ou de mais para baixo.

Exercício quatro: Imaginação projetiva.
Visa fornecer mais situações fora do comum para os sonhos de modo a facilitar a ocorrência de sonho lúcido, assim como treinar a imaginação necessária para a interpretação pelo cérebro das informações recebidas na volta da projeção.
Durante o dia, sempre que puder, finja estar fazendo coisas fora do comum, se estiver preso no transito, imagine você apartando um botão e desintegrando os carros a frente, ou se estiver num ônibus, imagine se voando sobre ele etc. Sempre que puder imagine-se fazendo coisas que são impossíveis de realizar aqui no físico.

Exercício cinco: Visualizações
Visa induzir a transferência da consciência do corpo físico para o corpo astral,
Visualize antes de dormir que esta voando sobre a cidade, ou um campo, visualize que está saído do corpo, visualize seu corpo e diga: "Isso não sou eu, é só uma carcaça".

Exercício seis: Vibrações
Visa causar a separação dos corpos através da vibração.
Use qualquer técnica para atingir um estado vibracional ou use isto:

Deite-se, relaxe, se imagine separado do corpo, mas dentro dele. Imagine que seu corpo físico está vibrando lentamente e seu corpo astral está vibrando um pouco mais rapidamente. Então comece a imaginar que seu corpo astral acelerando a vibração lentamente, mas cada vez mais rápido, procure sentir as vibrações se tornando cada vez mais fortes.

Exercício sete: Bordas da consciência
Visa conhecer o limite entre os estados de consciência: deite-se para dormir como faz habitualmente, examine em curtos períodos de tempo seu estado mental, está normal? Está lendo?
Se ocorrer se visualizar imagens no processo, procure fixar sua atenção nela, escute os sons, mecha com os objetos etc, se perceber que está caindo muito rápido no sono, tente mexer uma parte do seu corpo.
Se tiver dificuldade, experimente fazer o exercício com uma mão levantada, com o cotovelo apoiado sobre a cama, assim se voe for muito fundo, deixará a mão cair podendo te despertar com o movimento.

Exercício oito: Vencendo o Medo
Visa trabalhar as crenças que trazem medo, pois o medo é uma das piores barreiras da projeção.
Faça uma lista com relação a projeção, com seus desejos, seus objetivos, o que espera encontrar, o teme que pode acontecer, etc.
Encontre na lista tudo o que v não "gosta", o que você acha que poderia lhe trazer medo, mesmo não tendo medo. Por exemplo, você acha que demônios podem invadir seu corpo durante a projeção, você pensa que não tem medo, mas quando você se projeta, se realmente acreditar nisso, pode ser que passe por sua mente e comece a temer atrapalhando a projeção.
Selecione essas crenças ruins e trabalhe com elas, medite muito até que esteja convencido mesmo de que estas coisas não podem acontecer.

Exercício nove: Técnica do yoyo.
Visa fazer uma pressão para a saída do corpo astral do corpo físico como as técnicas da corda, escada etc.
Deite-se, relaxe, fique em estado receptivo por um tempo, sem pensar em nada. Imagine um yoyo, sem peso, que não é atingido pela gravidade, então imagine que o barbante está ligado ao seu chakra frontal, e o yoyo começa a ir e vir, e quando chega no final da linha faz uma pressão puxando você pelo chakra frontal.
Como variação pode-se imaginar um cubo que vai e vem, uma bola, etc

Exercício 10: Técnica da porta
Visa marcar uma impressão em seu subconsciente de uma projeção completa, e também pode causar a projeção real.
Deite-se, relaxe, fique em estado receptivo por um tempo, sem pensar em nada. Imagine uma porta bem a sua frente, qualquer tipo de porta, então tire do seu bolso, ou de um colar em seu pescoço uma chave, abra a porta e passe por ela, vire-se feche a porta e tranque com a chave e a guarde em seguida. Vire-se novamente e imagine um túnel longo, com uma luz forte no final, ande por ele, e quando chegar ao fim, imagine-se fora do corpo, vá até algum lugar que conheça bem, tente imaginar todos os detalhes, depois volte pelo túnel, abra a porta, passe por ela, feche a porta , tranque-a e desperte.

Exercício 11: Caindo pra fora do corpo.
Visa abaixar as ondas cerebrais aos níveis de transe onde acontecem as experiências fora do corpo. Também contribui para não darmos aqueles sustos quando sonhamos que estamos caindo. E também contribui para a perda do medo da hora que sentimos o deslocamento do corpo astral.
Imagine um poço, então se atire dentro dele de cabeça, veja a água no fundo se aproximando, creia que ao chegar na água sairá do corpo.
Outras variações podem ser feitas, como descer uma escada, escorregar um escorregador, descer num elevador etc.

Exercício 12: Sonho Lúcido
Visa aumentar as possibilidades de ocorrência de sonho lúcido.
Construa o habito de se perguntar a cada 15 minutos (ou sempre que possível) questões como: estou sonhando? Isso é normal? Como cheguei aqui?
Sempre que possível, ou ver algo incomum, puxe seu dedo com a intenção de esticá-lo, depois se o ambiente permitir de um pulinho tentando flutuar.
Crie uma simbologia, sempre que olhar para determinado objeto, como um relógio, tente saber se está sonhando ou não.

Exercício 13: Música
Essa técnica é um pouco mais incomum, deite-se, relaxe, imagine uma música que você conheça bem, tente cada vez mais escutar essa música, até que ela se torne bem real. Depois transforme a música que está ouvindo em vibração em seu corpo, tente flutuar para fora do corpo físico.
Como variações pode-se imaginar o som de um grilo, ou escutar o som que está na cabeça normalmente (aquele iiiiiiiiiii)


Exercício 14: PingPong de consciência
Deite-se e relaxe, deixe-se perder foco do corpo, tente se imaginar como um pequeno ponto, imagine esse ponto onde lhe for mais confortável, na maioria das pessoas é entre os olhos, atrás deles. Gaste alguns minutos se imaginando esse ponto, se tornado esse ponto até que esqueça do corpo. Então tente mover esse ponto para trás, em direção á nuca, chegando lá retorne ao inicio, faça isso até que as vibrações cheguem e você saia do corpo.

Exercício 15: Silencio.
Sabe quando vemos um relâmpago e ficamos uns dois ou três segundos sem pensar em nada até que escutemos o barulho? Pois então temos que manter esse estado até que os processos de separação do corpo comecem.
Deite-se e relaxe, não deixe que nada lhe venha na cabeça, pode ser difícil no inicio, mas com treino você ira conseguir manter esse estado cada vez mais tempo. Faça isso até que a vibração inicie, provavelmente você pensará algo "consegui!" ou "ai o que está acontecendo?", mas tente voltar ao estado de silencio, senão poderá perder o ev. Tente manter pelo menos por mais 15 segundo, depois levante-se saindo do corpo.

Exercício 16: Balanço
Esse exercício fará com que você sinta a desorientação comumente relatada antes da projeção e até durante, tornando assim um sentimento mais fácil de agüentar.

Deite-se e relaxe, comece a balançar a cabeça para frente e para trás gentilmente de olhos fechados, e imagine que seu corpo acompanha o ritmo de sua cabeça.

Exercício 17: Livro
Esse exercício fará com que você treine sua capacidade de focalização, treine por uma hora antes de tentar a VA.

Embora exista uma linha fina entre muito exercício e pouco exercício, Muito irá te fazer ficar cansado e te levará ao sono. Pouco não será suficiente para tirar o foco para um ponto fora de seu corpo.

Deite-se e relaxe, visualize um livro, qualquer um, abra e folheie suas paginas, tente ver com o maior detalhe possível, depois tente ver as palavras nele e tente então ler. Torne tão real quanto possível, pois para fazê-lo terá que usar toda sua concentração.

Essa técnica não é projetiva, mas pode acontecer.

Exercício 18: Respiração
É mais que um exercício deverá se tornar um hábito, respire com o diafragma, e não com o tórax. Veja como um bebe respira, movendo apenas seu abdômen, esse hábito ajudará nas projeções, porem não tente forçar nenhum tipo de respiração diferente, durante a tentativa de projeção. Técnicas de respiração são somente para a preparação.

Exercício 19: O barco
Deite-se e relaxe, visualize-se em um barco, sinta as ondas levantando e abaixando o barco, imagine essas ondas cada vez mais altas, ate uns 15 metros de altura. Tente sentir até o frio na barriga quando desce. (essa aqui achei bem divertida, eu já troque por uma montanha russa, barco viking etc, heheheh)